CEZAR CANDUCHO

terça-feira, 28 de julho de 2015

Minas Gerais terá Comissão Estadual de Educação Escolar Indígena.



Em visita a aldeias no Norte de Minas, secretária de Educação, Macaé Evaristo, defende direito à terra e identidade cultural das comunidades indígenas e quilombolas.
“O direito à educação está ligado ao direito à terra e ao direito de ter sua identidade indígena reconhecida”. Foi com essa frase que a secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, abriu reunião realizada na quinta-feira (23/7) com professores e a comunidade indígena xacriabá, da aldeia Brejo Mata Fome, no município de São João Missões, no Norte de Minas.
Em respostas às demandas da comunidade, Macaé ressaltou a importância de ouvir os povos e do trabalho conjunto. “Essa é uma missão importante. Tem muito trabalho pra fazer, mas nós não vamos saber fazer sozinhos. Precisamos sempre de sentar com vocês, escutar e trabalhar juntos”, afirmou. A secretária também confirmou que já está sendo criada a Comissão Estadual de Educação Escolar Indígena. Segundo ela, a comissão, que já realizou a primeira reunião, estará consolidada em breve.
Durante a reunião, o cacique xacriabá Domingos ressaltou a importância de ter escolas nas aldeias e da presença da secretária Macaé Evaristo. “Ter escolas dentro das aldeias facilita o acesso dos alunos à sala de aula. Nossas escolas oferecem não só a educação comum, mas também nossas culturas de dentro da aldeia. Macaé não é só secretária, mas também é amiga do nosso povo. Esperamos, de agora em diante, estreitar cada vez mais essa parceria para a melhora das nossas escolas”, ressaltou.
O Estado tem 17 escolas indígenas e duas turmas vinculadas a escolas não indígenas. O atendimento escolar indígena é feito em 64 endereços. São atendidos nessas escolas aproximadamente 3,5 mil alunos indígenas das etnias kaxixó, krenak, maxakali, pataxó, pankararu, xacriabá, xucuru-kariri e mokurin.
Educação escolar quilombola.
O direito de ter a identidade reconhecida também pautou a visita da secretária à Escola Estadual Antônio Corrêa e Silva, localizada na comunidade quilombola do Alegre, no município de Januária. Logo em sua chegada, Macaé Evaristo foi recebida por apresentações que retrataram a cultura quilombola. As apresentações foram feitas por alunos da escola que, segundo o diretor Odair Nunes de Almeida, tem como meta valorizar a cultura da comunidade.
Além das aulas regulares, essa valorização também acontece na Educação Integral. “Nós oferecemos atividades voltadas para o artesanato popular, acompanhamento pedagógico, artes e a parte de esporte. As aulas são voltadas para a cultura quilombola”, diz. A escola atende cerca de 300 alunos do ensino fundamental e médio.
Minas Gerais conta com 23 escolas estaduais localizadas em comunidades quilombolas. Essas escolas atendem a 5, 4 mil estudantes e estão presentes em 17 municípios de nove superintendências regionais de Ensino.
Visita à regional de Januária.
Macaé também visitou as dependências da Superintendência Regional de Ensino de Januária. Recebida pelos alunos da Escola Estadual Pio XII com a apresentação da Folia de Reis “Terno dos Temerosos”, dança típica da região, Macaé destacou aos servidores e diretores de escolas estaduais da regional os avanços alcançados nesses primeiros meses, como a aprovação da Lei 21.710/2015, que garante o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério aos educadores, e o compromisso de publicar 1.200 aposentadorias por mês e nomear 60 mil servidores até 2018.
Foto: Marcelo Sant’Anna/Imprensa MG
***
***
***
Falta empatia com as questões sociais do Brasil, analisa Tico Santa Cruz.



Em entrevista à TV Carta, da “Carta Capital”, cantor fala sobre os ataques e ameaças que sofre. Para ele, “há uma onda conservadora forte crescendo nas pessoas”
O cantor, compositor e escritor Tico Santa Cruz é também um ativista social. A página do artista no Facebook, com 1,6 milhão de seguidores, é um dos espaços que ele utiliza para expressar opiniões, compartilhadas por milhares, mas alvo de críticas de conservadores.
“Eu sofro todo tipo de ataque, desde ameaças de morte até gente que me xinga, me ofende, me ridiculariza, tenta tirar minha credibilidade, manipula minhas postagens”, declarou, em entrevista à TV Carta, da Carta Capital.
Entre os temas que geram os maiores ataques, de acordo com Tico, estão a posição contrária à redução da maioridade penal e outros assuntos relacionados à pauta da esquerda brasileira, como o fato de o Bolsa Família ter tirado milhões de brasileiros da miséria.
Na avaliação do cantor, as pessoas têm o direito de serem conservadoras, sobretudo em uma democracia. “Em assuntos mais relacionados a essas questões da esquerda, a gente vê uma onda conservadora forte crescendo nas pessoas. Acho que as pessoas têm que raciocinar é que as coisas não são de uma maneira tão preto e branco”, analisa.
Para ele, é preciso ter mais empatia para analisar a pauta social brasileira. “Eu sei que é difícil de entender quando você não está realmente disponível para se colocar no lugar do outro. É preciso se aprofundar, até para poder defender o pensamento conservador com mais argumentos e não ofensas, ataques, xingamentos, mentiras”, criticou.
Durante a entrevista, Tico deixou claro que é contra ações antidemocráticas. “Qualquer tentativa de golpe contra a democracia, da minha parte, vai ser combatida de todas as maneiras”, alertou.
Avanços – Tico Santa Cruz falou também que o País precisa avançar nas áreas de Educação e Transparência. “O Brasil já passou muitos anos na mão de governos que não fizeram nenhum avanço relacionado às questões sociais, dos mais humildes e mais pobres e que precisam se desenvolver”.
Confira a entrevista na íntegra.
Foto e fonte: Agência PT de Notícias
***
***
***

Brasil fecha o Pan com 141 medalhas; Dilma parabeniza atletas.
Pela primeira vez em 48 anos, os brasileiros ficaram à frente de Cuba na competição. Presidenta emitiu nota oficial e lembrou incentivos garantidos pelo governo federal aos atletas.
Os atletas brasileiros conquistaram 141 medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. Com isso, a delegação do Brasil retorna ao país com o terceiro lugar no quadro de medalhas. Pela primeira vez em 48 anos, os brasileiros ficaram à frente de Cuba na competição.
O primeiro lugar no quadro de medalhas ficou com os Estados Unidos. Os americanos conquistaram com 265 medalhas, sendo 103 ouros, 81 pratas e 81 bronzes. Em seguida, ficou o Canadá, com 217 medalhas (78 ouros, 69 pratas e 70 bronzes).
Os atletas brasileiros ganharam 41 medalhas de ouro, 40 de prata e 60 de bronze. Em nota oficial divulgada ainda no domingo (26), a presidenta Dilma Rousseff fez uma homenagem especial aos representantes do Brasil nos Jogos Pan-Americanos.
“Nossa alegria se torna ainda maior porque pudemos ajudar a construir o caminho em direção às medalhas”, disse a presidenta, ao fazer referência aos programas de incentivo ao esporte garantidos, pelo governo federal, aos atletas.
De acordo com Dilma, dos 141 pódios conquistados pelo Brasil, 121 foram alcançados por atletas e equipes que recebem patrocínio do governo federal. Além disso, ela informou que mais de 70% da delegação brasileira em Toronto era formada por bolsistas do Ministério do Esporte.
“Temos o compromisso de apoiar o esporte e temos consciência do seu poder transformador”, afirmou Dilma.
Leia a nota da presidenta, na íntegra:

“Com muito orgulho, faço neste domingo, dia do encerramento dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, uma homenagem especial aos nossos atletas que mostraram força e determinação no Canadá.
Nossa alegria se torna ainda maior porque pudemos ajudar a construir o caminho em direção às medalhas.
Dos 141 pódios alcançados pelo Brasil, 121 foram conquistados por atletas e equipes que recebem patrocínio do governo federal.
Mais de 70% da delegação brasileira em Toronto é formada por bolsistas do Ministério do Esporte.
Tenho certeza de que vamos colher ainda mais frutos nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro, no ano que vem.
Temos o compromisso de apoiar o esporte e temos consciência do seu poder transformador.
Atletas como o nadador Thiago Pereira, que se tornou em Toronto o maior medalhista da história dos Jogos Pan-Americanos, são exemplos para nossas crianças.
Assim como é louvável a presença dos meninos da Liga de Desenvolvimento de Basquete no time campeão pan-americano. O jovem Isaquias Queiroz, que conheceu a canoagem em sua cidade natal, Ubaitaba, na Bahia, por meio do programa Segundo Tempo, hoje é campeão pan-americano e mundial. As irmãs Lohaynny e Luana Vicente, que ganharam no Canadá a primeira medalha do badminton brasileiro feminino, entraram no esporte por meio de um projeto social na comunidade da Chacrinha, no Rio de Janeiro. Davi Albino, da luta greco-romana, ex-menino de rua, deu um depoimento emocionante ao Portal Brasil 2016 sobre o papel fundamental do Bolsa Atleta para a construção de sua trajetória vitoriosa no esporte.
Saúdo as meninas da seleção brasileira de futebol, que a cada competição internacional dão demonstrações da sua garra e abnegação.
Parabenizo a todos que competiram em Toronto e aproveito para desejar boa sorte aos nossos atletas paralímpicos que disputarão, daqui a duas semanas, os Jogos Parapan-Americanos.
Recebam meu carinho e o apoio de todos os brasileiros.”
***
***
***
Território Sudoeste aponta suas principais demandas no Fórum Regional de Governo.



Evento realizado em Passos contou com 268 participantes, que indicaram necessidades como cursos profissionalizantes e melhoria da infraestrutura turística.
Uma nova forma de governar. Essa é a definição que o agricultor Marcelo Francisco da Silva, que veio da cidade de Guapé, a 93 km de Passos, atribuiu ao Fórum Regional Território Sudoeste, cuja segunda etapa aconteceu em Passos, no sábado (25/7). Integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Silva é produtor de açúcar mascavo, rapadura e café.
Para Silva, é muito importante que os próprios habitantes da região definam suas prioridades, premissa número um dos Fóruns Regionais. “Isso mostra que o governo está realmente empenhado em colocar em prática uma gestão participativa”, afirma.
Outro participante do Fórum Regional do Território Sudoeste, o gestor de Turismo Regional de Passos, Ketler Silveira, considera importante o trabalho em conjunto entre governo e população como forma de fortalecer os municípios mineiros.
De Delfinópolis, a 80 km de Passos, o prefeito Pedro Paulo Pinto, acompanhado de vereadores e técnicos da prefeitura, fez questão de participar do Fórum Regional para sugerir pavimentação asfáltica entre os municípios de São João Batista do Glória e Delfinópolis, obra que favorecerá o turismo e o escoamento da produção agrícola local.
“Esta é uma reivindicação de todos os prefeitos da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg). Acho muito interessante o que o governador Fernando Pimentel está fazendo, pois além de ouvir os moradores, ele está cumprindo os compromissos assumidos pelo Governo”, afirma.
A demanda acabou sendo incluída na relação final do eixo temático Infraestrutura e Logística. Assim como Marcelo Francisco, Kleyber Silveira e o prefeito Pedro Pinto, outros 265 participantes debateram um total de 368 problemas e necessidades da região apontados nos formulários.
Os Fóruns Regionais são compostos também por outros quatro eixos temáticos: Segurança Pública; Educação e Cultura; Saúde e Proteção Social; e Desenvolvimento Produtivo, Científico e Tecnológico.
Da área de Segurança Pública, os participantes elegeram como prioridades o aumento de vagas no sistema prisional e reforma da cadeia pública de Alpinópolis. Também foi mencionado o aumento do efetivo das Polícias Militar e Civil para melhor atender à população.
Êxodo de jovens.
O acentuado êxodo de jovens da região Sudoeste para centros maiores nos últimos anos foi um problema destacado no eixo Desenvolvimento Produtivo. Deste debate surgiu como uma das prioridades a ampliação dos cursos técnicos e profissionalizantes.
Na área de Turismo, foi proposto apoio à infraestrutura, melhorias na sinalização e acesso, além da construção de um centro de apoio ao visitante. Eles procuram muito o território em razão do lago de Furnas e do Parque da Serra da Canastra.
Já a área de Educação e Cultura apontou a necessidade de incrementar a parceria das faculdades locais com a Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg). Ela irá oferecer o curso de medicina em Passos a partir de 2016, atendendo a uma antiga demanda local. No eixo da Saúde foram indicados pelos participantes o término da construção do Centro Viva Mulher e o novo hemocentro regional de Passos.
Após a apresentação das prioridades na plenária final, o secretário adjunto de Planejamento e Gestão do Governo do Estado, Wieland Silberschneider, anunciou os nomes dos escolhidos para compor o Comitê de Planejamento Territorial (Complete), que irá acompanhar as demandas identificadas e os projetos e recursos necessários para sua implantação.
O Complete do Território Sudoeste irá integrar o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI) a partir do diagnóstico traçado em Passos. Está agendada para o dia 19 de setembro uma reunião em Belo Horizonte com os integrantes dos Completes dos 17 Territórios de Desenvolvimento.

Nenhum comentário: