CEZAR CANDUCHO

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Adeus, Eduardo Cunha…


Certamente ainda existem aqueles que acreditam que Cunha sobreviverá. Faz parte da natureza humana ter medo de fantasmas.
E Cunha hoje é apenas isso, uma assombração.
Nada que um ritual de lavagem dos corredores da Câmara não possa resolver.
Não fará falta alguma, mas fez alguns estragos. Alguns são revertíveis se o governo agir rápido, de forma cautelosa e hábil.
Este governo, no entanto, já deu mostras de que não é bom nisso.
Cunha é arrogante e amador. Um deputadozinho de quinta.
Que amargaria uma segunda-secretaria da Câmara em qualquer legislatura com um governo minimamente articulado.
Mas que virou presidente para sair daquela cadeira provavelmente para a cadeia.
É uma questão de tempo.
A denúncia que Janot apresentou hoje deve ser aceita pelo STF e aí, amigos, fim.
Não existe possibilidade jurídica e nem política de um presidente da Câmara ficar se equilibrando nessas condições.
É voltar pra casa e tentar se defender do pior.
Adeus, Cunha.
*

Nenhum comentário: