CEZAR CANDUCHO

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Cunha é novo líder dos fascistas mirins?




Por Altamiro Borges

Nas convocatórias para as marchas golpistas do próximo domingo (16), os grupelhos fascistoides que dizem lutar “contra a corrupção e pelo Fora Dilma” evitam mencionar o nome de Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal. Quando questionados nas redes sociais, alguns dos jovens direitistas afirmam desconsiderar as denúncias contra o lobista, que inclusive foi citado na midiática Operação Lava-Jato, por considerá-lo vital à luta contra o atual governo. No final da patética marcha a Brasília, em maio, os líderes do “Movimento Brasil Livre”, “Revoltados Online” e “Vem pra Rua” inclusive fizeram questão de posar para fotos junto com o seu novo líder messiânico, famoso pela postura ética e republicana.
Uma notinha na Folha desta quarta-feira (12) parece confirmar o poder do lobista sobre os líderes golpistas: “Aliados de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) definiram, em almoço com o presidente da Câmara nesta terça, uma estratégia para bombardear a aproximação de Renan Calheiros (PMDB-AL) com o governo Dilma Rousseff. Passarão a incentivar que os grupos que organizam as manifestações de domingo incluam o presidente do Senado como alvo dos protestos. O discurso será o de que Renan atua para salvar a presidente num ‘acordão’ que inclui preservá-lo das investigações da Lava Jato”. Além de presidir a Câmara Federal, Eduardo Cunha já orienta os grupelhos que pregam o golpe. Poderoso!
Pelas redes sociais, alguns seguidores do “achacador” já seguem a sua ordem. Renan Calheiros passou a ser o principal alvo dos fanáticos no twitter e no facebook. Os mais doentes chegam a ameaçá-lo de morte – esquecendo-se que o IP do computador pode ser rastreado e que o autor da ameaça pode ser preso. Antes dele, os fascistas mirins já tinham se desentendido com o grão-tucano FHC – que elogiou a presidenta Dilma numa entrevista ao jornal alemão Kapital. Ele foi chamado de “velho”, “doido”, “senil”, “demente”, “gagá”, “caduco”, “doente de Alzheimer”, “pateta”, “traidor” e “maconheiro” – entre outros adjetivos de alto nível catalogados pelo jornalista Mauro Santayana num artigo imperdível.
Caso concretizem seu plano de derrubada da presidenta Dilma e do vice Michel Temer, os fascistas mirins já poderão nomear Eduardo Cunha, o seu líder messiânico, como o novo imperador do país e instalar de imediato a “República Fundamentalista do Brasil”. Como dizem, tem doido para tudo neste mundo! Após vários anos de manipulação, a mídia privada conseguiu chocar um ovo com serpentes das mais venenosas. Os fascistinhas mirins, admiradores de Cunha, são cínicos e patéticos!

Nenhum comentário: