CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Globo mente, porque a mentira é seu DNA.



Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

Não é à toa que o jornal dos Marinho foi empastelado pelo povo carioca, em 1954, logo após o estadista gaúcho e presidente trabalhista, Getúlio Dornelles Vargas, ter se matado, e, com efeito, adiado o golpe de estado da direita brasileira, dentre ela a famiglia Marinho, que até nos tempos atuais continua em sua luta insana, desleal e violenta contra a independência do Brasil e a emancipação social e econômica do povo brasileiro.

As Organizações(?) Globo são assim: até seus aliados quando são presos passam a ser tratados como "amigos" ou "cúmplices" ou "apoiadores" de seus adversários e inimigos. Surreal! Patético! Mas não tem jeito... E por quê? Porque a família Marinho é empresária, e, como tal, defende apenas seus interesses econômicos, sendo que, por ser muito poderosa, tornou-se há muito tempo a principal porta-voz da plutocracia nacional e internacional neste País.

De índole golpista e sem limites éticos para concretizar seus interesses, que jamais coadunam com os interesses e as necessidades do povo brasileiro, a famiglia Marinho, liderada por três irmãos bilionários, continua a fazer perversidades, a construir armadilhas e a moer reputações de partidos, empresas e cidadãos. Não importa se depois nada fique comprovado, como ocorreu incontáveis vezes, até porque tal famiglia midiática é também, como os tucanos, inimputável.

A verdade o que importa aos plutocratas e proprietários de um dos maiores e mais poderosos oligopólios do mundo se resume a implementar suas agendas e pautas doa a quem doer, porque para esta famiglia, que inferniza a vida brasileira desde 1925, ou seja, há quase cem anos e a despeito de quaisquer questões, é realizar seus meganegócios e defender os interesses das oligarquias e aristocracias internacionais, que controlam o dinheiro e a máquina de guerra, que serve como polícia do mundo e dos interesses da plutocracia.

Não há movimento político brasileiro de apelo e essência popular que não foi combatido pela famiglia Marinho em quase um século. Desde 1930. Ponto. Agora, os irmãos se mobilizam para descartar o banqueiro de seus quadrados, bem como de seus aliados, a exemplo de Aécio Neves. De repente, não mais do que de repente, o banqueiro, André Esteves, dono do BTG Pactual e preso na Operação Lava Jato virou "amigo" do Partido dos Trabalhadores.

É isto mesmo, minha gente! O banqueiro financiador de campanhas tucanas, amigo e padrinho de casamento do senador tucano, Aécio Neves, além de ter sido feroz opositor ao PT, ao Lula e à Dilma na campanha presidencial de 2014, conforme comprovam inúmeras matérias da imprensa de negócios privados deste País, hoje está no limbo, a beber o cálice de fel ofertado pelos Marinho, com notícias e manchetes no jornal fundado por Irineu Marinho, pai do Roberto e avô dos irmãos plutocratas.

Coisas de O Globo, o jornal destruído (empastelado) pelo povo em 1954 por considerá-lo golpista, insidioso e mentiroso, além de ser um dos culpados pela morte do grande estadista Getúlio Vargas, o político que honrou o trabalhador brasileiro e civilizou o empresariado selvagem deste País, de índole escravocrata, por meio da criação do Ministério do Trabalho, das leis trabalhistas — CLT, do salário mínimo, além das férias, do repouso remunerado e do 13º salário, conquistas estas que se transformaram nas principais razões, até os dias de hoje, do ódio brutal da casa grande contra os governantes trabalhistas do Brasil e de qualquer país do mundo, principalmente da América Latina.

Contudo, voltemos ao assunto. O Globo, na maior desfaçatez e cara de pau possíveis, quer desvincular o garoto "prodígio" do mercado, o banqueiro aliado do PSDB, André Esteves, de Aécio Neves, porque não é de bom alvitre o playboy mineiro ser visto como amigo de uma pessoa presa e acusada de se beneficiar com a corrupção na Petrobras. O tucano das Minas Gerais e morador do Rio de Janeiro, que há 13 meses, por ser um péssimo perdedor, demonstra ódio, intolerância e inconformismo com a derrota para a petista Dilma Rousseff.

O mesmo ódio niilista, ao tempo que vingativo das burguesias, que não abrem mão de fazer do Estado uma ferramenta para servi-las e manter intactos seus benefícios e privilégios por tempo indeterminado. O Estado ideal para a burguesia é o Estado patrimonialista, bem como dotado de forças de repressão para defender seus interesses perante os trabalhadores por intermédio da força bruta e de demissões. A mesma burguesia do golpe do impeachment contra a presidenta eleita pela vontade das urnas e pela maioria do povo.

O Globo é arrivista, inclusive com seus aliados, sejam eles antigos ou novos por causa de interesses comuns e circunstanciais. É exatamente o caso de André Esteves, que acabou de levar um chute bem forte na bunda por parte da famiglia Marinho. Agora e sempre foi assim: O Globo mente descaradamente sem se importar com a mentira, a credibilidade e a verdade. O diário não precisa dessas coisinhas "irrelevantes", porque a maioria de seus leitores é igual.

Como afirmou certa vez Malcolm X: "A imprensa é tão poderosa no seu papel de construção de imagem, que pode fazer um criminoso parecer que ele é a vítima e fazer a vítima parecer que ela é o criminoso. Esta é a imprensa, uma imprensa irresponsável. Se você não for cuidadoso, os jornais terão você odiando as pessoas que estão sendo oprimidas e amando as pessoas que estão fazendo a opressão".

E completo com as palavras de Millôr Fernandes: "A imprensa brasileira sempre foi canalha. Uma das grandes culpadas das condições do País, mais do que as forças que o dominam politicamente, é a nossa imprensa. Nossa imprensa é lamentavelmente ruim. E não quero falar da televisão, que já nasceu covarde!"

Exatamente isto que O Globo e suas Organizações(?) fazem. Há muitos anos eu combato e critico a imprensa meramente de mercado, de péssima qualidade editorial e completamente divorciada dos interesses do País. A conheci profundamente no Correio Braziliense, no Jornal de Brasília e no TJ Brasil do SBT, comandado por Boris Casoy, no fim dos anos 1980 até meados dos anos 1990. Uma sujeira só. Putrefação pura em forma de jornalismo.

Manipulações, distorções e mentiras diretamente aplicadas nas veias dos leitores, principalmente aqueles incautos, geralmente pessoas de classe média, incrivelmente de origem universitária, que se deixam envenenar pelo sibilar da serpente até se tornarem drones bípedes, ideologicamente e politicamente radicalizados à direita, prestes a explodirem como se fossem bombas, como acontece nas redes sociais e nos lugares públicos, como restaurantes e até mesmo hospitais.

Coxinhas pit bulls que acampam armados em frente ao Congresso Nacional em defesa de golpe de estado contra uma mandatária eleita legalmente e constitucionalmente. Coxinhas que se aproveitam da democracia e da liberdade de expressão para pregarem, de forma surreal e irresponsável, a volta da ditadura, que tanto prejudicou e entristeceu a sociedade brasileira, que tem vocação democrática.

Trata-se dos coxinhas e da casa grande com a cara e a alma da imprensa golpista e que inferniza, literalmente, o Brasil porque é antidemocrática e casuística, além de ter uma enorme dificuldade para tolerar o contraditório, o contraponto e tudo o que é antagônico às suas causas e crenças elitistas e sectárias. É assim que atua e age O Globo e todos seus congêneres com outros nomes e nomenclaturas, que tem como paradigma o jornalismo de engodo repercutido pelos empregados dos irmãos Marinho.

Agora é a vez de o banqueiro André Esteves ser, ridiculamente, "acusado" de ser amigo do PT, quando, na verdade, ele é inimigo, pois aliado do PSDB, como demonstrou, sem sombra de dúvida, por intermédio de suas ações, de seus atos e de seus pronunciamentos, a participar e financiar reuniões, almoços, jantares e viagens ao candidato a presidente pelo PSDB, o tucano Aécio Neves. Notícias, fotos e filmagens estão aí para comprovar o envolvimento do banqueiro abandonado às traças pelo O Globo. Basta o cidadão ir à internet e verificar. Só isto. Simples assim...

André Esteves contratou Persio Arida, economista tucano famoso e um dos ícones das privatizações piratas efetivadas pelo governo do tucano Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal I — para presidir o Banco BTG Pactual. Esteves ainda controla parte do Banco Panamericano, que era de Silvio Santos e quebrou, em 2010. O apresentador de televisão afirmou, na época, à Justiça: "Diziam {diretoria} que o banco era uma maravilha!" Quanta ingenuidade. Todavia, o dono do SBT e do Baú da Felicidade, que se saiba, também nunca foi amigo do PT.

Persio Arida, o economista privatista é tucano. Ele não é petista. Além disso, o preso André Esteves realizou seminário em Nova York quando "descascou" o PT, o Governo e sua candidata, Dilma Rousseff. Aécio Neves foi ao seminário, além de ser "premiado" pelo banqueiro com o pagamento de sua lula de mel em um dos hotéis mais caros do mundo — o Waldorf Astoria. Ninguém faz isto de graça, e muito menos para um desconhecido, o que não é o caso de Aécio em relação ao Esteves.

Pois é, cara pálida, e O Globo diz que o banqueiro preso é amigo do PT. A verdade é a seguinte: O Globo mente, porque a mentira é seu DNA. É isso aí.

Nenhum comentário: