CEZAR CANDUCHO

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Os R$ 975 mil da Odebrecht calarão FHC?



Por Altamiro Borges.

Excitado com a onda antipetista que saiu às ruas pelo país, o ex-presidente FHC desembestou a falar nos últimos meses. Ele virou figura obrigatória nas capas bajuladoras da Veja, é presença quase diária nos telejornais da Globo e adora dar entrevistas aos jornalões. Diante dos holofotes da mídia, o grão-tucano atiça os golpistas mirins que rosnam pelo impeachment de Dilma e, principalmente, destila o seu ódio contra o ex-presidente Lula. Parece trauma de um invejoso amargurado, que deixou o Palácio do Planalto com recordes de rejeição! Nesta postura teatral, ele se traveste de paladino da ética. Na semana passada, porém, um vazamento da Operação Lava-Jato acabou com sua pose. Ele revela que o seu instituto, o iFHC, recebeu R$ 975 mil da Odebrecht. Será que agora o tagarela vai se calar?

Segundo o laudo da Polícia Federal, a construtora Norberto Odebrecht, acusada de integrar o cartel de empreiteiras no esquema de corrupção da Petrobras, desembolsou esta grana entre dezembro de 2011 e dezembro de 2012. Foram onze pagamentos mensais no valor de R$ 75 mil - algo parecido com o "mensalão" - e mais uma parcela de R$ 150 mil. O relatório, datado de 26 de outubro de 2015, foi subscrito pelos peritos criminais Fábio Augusto da Silva Salvador, Audrey Jones de Souza, Raphael Borges Mendes e Jefferson Ribeiro Bastos Braga, que analisaram as contas da empreiteira acusada de corrupção na midiática Operação Lava-Jato.

"Na contabilidade da Construtora Norberto Odebrecht foram identificados os registros indicativos de pagamentos realizados ao Instituto Fernando Henrique Cardoso no montante de pelo menos R$ 975 mil. O referido instituto foi fundado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que ocupou a presidência do Brasil até 2002", conclui o laudo. O documento contém uma planilha que mostra os pagamentos mês a mês ao iFHC. O primeiro ocorreu em 13 de dezembro de 2011. A Polícia Federal ainda analisou os e-mails trocados entre as secretarias da Odebrecht e do instituto. Um deles destaca um "suposto pagamento de valores por parte da Braskem" - petroquímica ligada à Odebrecht.

“Na referida mensagem, destaca-se o trecho em que a secretária da presidência [da empresa] elenca entre as maneiras da Braskem fazer a doação: 'A elaboração de um contrato, porém não podemos citar que a prestação de serviço será uma palestra do Presidente' ou por meio de 'doação direta…'. Dessa forma, é possível que outros pagamentos tenham sido feitos e não tenham sido encontrados em função da limitação do presente laudo, ou ainda, que os referidos pagamentos tenham sido feitos por meio de triangulação entre Grupo Odebrecht, o contratante do serviço e o Instituto Fernando Henrique Cardoso”, afirma o documento oficial, levando a suspeita de outras sacanagens.

O vazamento do laudo da Polícia Federal deve ter pegado de surpresa FHC e seus comparsas da mídia. Nas últimas semanas, as revistonas, os jornalões e as emissoras de rádio e tevê fizeram baita escarcéu para satanizar o ex-presidente Lula pelo pagamento de suas palestras. O tucano ressentido, inclusive, fez declarações caluniosas à imprensa contra o seu rival - talvez com inveja por seu cachê ser inferior ao do ex-operário. E agora, FHC fechará sua boca de sovaco? A mídia seguirá fazendo malabarismos em títulos e matérias para blindar o santo tucano e seu sacrossanto instituto?

Nenhum comentário: