CEZAR CANDUCHO

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

PTMG - Projeto que prevê ações de desassoreamento em 13 municípios é aprovado.



Cerca de 450 mil pessoas serão beneficiadas. Projeto prevê desassoreamento de 21,16 Km de leitos de rios e 258.246,35m² em lagoas.
O Conselho Estadual de Recursos Hídricos aprovou, durante reunião na sede do Sistema Estadual do Meio Ambiente (Sisema), em Belo Horizonte, o Projeto de Prevenção e Controle de Cheias do Estado de Minas Gerais, parceria entre Ruralminas e Sisema/Fhidro, que irá beneficiar 13 municípios e mais de 450 mil pessoas.
A definição dos municípios a serem beneficiados se deu em função da demanda originada pelas prefeituras, Governo de Minas Gerais e Defesa Civil dos municípios. Serão beneficiadas as populações urbanas e rurais de Bom Despacho, Cordisburgo, Francisco Badaró, Guaxupé, Itaverava, Itambacuri, Monte Azul, Ninheira, Piranga, Pouso Alegre, Raul Soares, Rosário da Limeira e Viçosa. O projeto prevê o desassoreamento de 21,16 Km de leitos de rios e 258.246,35m² em lagoas.
Um dos principais problemas que afetam os rios, principalmente os que passam por grandes cidades, é o assoreamento. Neste processo ocorre o acúmulo de lixo, entulho e outros detritos no fundo dos rios. Com isso, o rio passa a suportar cada vez menos água, provocando enchentes em épocas de grande quantidade de chuvas.
De acordo com o presidente da Ruralminas, Luiz Afonso Vaz de Oliveira, a medida emergencial necessária para a correção desse problema é a manutenção dos rios, através do processo de desassoreamento. “Esse processo consiste em retirar do fundo dos rios, com o uso de máquinas, todo tipo de lixo e detritos depositados, aumentando a vazão fluvial”, explica.
A Ruralminas irá realizar os trabalhos de contratação da empresa executora e, com equipe própria, irá realizar os serviços de fiscalização das obras. O presidente da Fundação explica o objetivo do projeto: “As ações serão realizadas com o intuito de minimizar as cheias, adequar às seções fluviais dos cursos d’água, permitir um melhor escoamento das águas de enchentes e, consequentemente, diminuindo o período de tempo de inundação no espaço urbano”, esclarece.
O presidente da Ruralminas conclui que combater as causas dos assoreamentos dos cursos d’água também é de fundamental importância. “O assoreamento é uma consequência direta da erosão e deve ser atacado através da readequação das estradas vicinais, construção de bacias de captação de enxurradas, terraceamentos, proteção de matas ciliares, de topo e nascentes, obras abrangidas por outros projetos da Ruralminas e Emater-MG. Também é importante destacar que seja realizado o correto destino do lixo urbano.
O projeto ainda sofrerá ajustes pelo Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro).
Fonte e imagem: Agência Minas
***
***
***
Nota de pesar.
É com muito pesar que o diretório estadual do Partido dos Trabalhadores, informa o falecimento do companheiro e ex-prefeito do PT da cidade de Várzea da Palma, o Bill, Arnaldo de Marques de Souza.
Dono de uma história de lutas, tanto na vida como na política e militância, um grande homem que deixará saudades.
Solidário a perda, o diretório presta condolências aos familiares e amigos enlutados pela grande e irreparável perda.

Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais
***
***
***

Em 2014, 35% dos formandos eram os primeiros na família a chegar à universidade.
Cerca de 65% dos estudantes que concluíram cursos superiores em 2014 têm renda familiar de até 4,5 salários mínimos.
Dos alunos universitários em fase de conclusão de curso avaliados pelo Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) em 2014, 35% são os primeiros da família a entrar em uma instituição de ensino superior. A conclusão está presente na compilação dos dados respondidos pelos alunos no Questionário Socioeconômico do Exame, em estudo divulgado nesta sexta-feira (18) pelo Ministério da Educação.
Para o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, o índice é resultado de políticas públicas de acesso ao ensino superior, como o Programa Universidades para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), e representa uma grande conquista para o Brasil.
“O crescimento fantástico no acesso ao ensino superior é uma das coisas mais bonitas que estamos vivendo no País. Hoje temos mais de sete milhões de universitários, mais do que o dobro em 12 anos, quando o número era menor que três milhões. Tenho certeza que as famílias têm muito orgulho desses alunos”, disse, nesta sexta-feira (18).
Cerca de 65% dos estudantes que concluíram cursos superiores em 2014 têm renda familiar de até 4,5 salários mínimos, ou seja, uma família que recebe até R$ 3.546 por mês.
Os dados do questionário socioeconômico também mostram que a maior parte dos estudantes, além de estudar, também trabalha. Mais de 64% dos universitários trabalham regularmente, e pelo menos 39% deles cumprem carga horária de 40 horas semanais.
Dos universitários que recebem alguma forma de incentivo, como bolsas ou financiamento, metade é de incentivo do governo federal, a partir do Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Dos estudantes beneficiados pelo governo, 56% têm renda familiar de até três salários mínimos e 36% ingressaram por meio de políticas afirmativas, como por exemplo as cotas raciais e sociais.

Nenhum comentário: