CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Cantora Ceumar volta ao Brasil após temporada na Holanda.

Ceumar se apresentará hoje em Uberlândia ao lado de Luiz Salgado, que conheceu há dez anos, em seu primeiro show na cidade (Foto: Divulgação)
Ceumar se apresentará hoje em Uberlândia ao lado de Luiz Salgado, que conheceu há dez anos, em seu primeiro show na cidade (Foto: Divulgação)Por Carolina Monteiro




Cantora, compositora e instrumentista, Ceumar volta à cidade exatos 10 anos depois da primeira visita, quando se apresentou no “Arte da Praça”. “Participando de uma mesa-redonda dentro do evento, conheci Luiz (Salgado) e (Lilian) Fulô. Desde então, a gente troca figurinhas e tem uma boa amizade, o que proporcionou o meu retorno. Estou muito feliz de chegar aqui com minha viola para fazer um som de coração aberto”, diz Ceumar, em entrevista exclusiva ao CORREIO de Uberlândia.
“O que esse silêncio tem a dizer / Fico sozinho, fico calado / Pra perceber”. A voz de Ceumar se lança no vácuo – límpida, vigorosa, delicada. Em primeiro plano, pairando sobre o silêncio, encontra o timbre bucólico do violão, com que desenha paisagens improváveis. A cantora mineira está de volta em Uberlândia para apresentação única, que acontece, neste sábado (30), no Vinil Cultura Bar. O show tem participação especial do violeiro e cantador Luiz Salgado.
Depois de sete anos vivendo em Amsterdã, na Holanda, a cantora retorna ao Brasil para divulgar “Silencia”, seu sexto e mais recente disco. No País desde agosto do ano passado, não deve voltar para os países baixos tão cedo. “Estou fazendo uma certa transição. Neste recomeço, pegando estrada, reencontrando e fazendo amigos. Antes, a minha vida era essa, viajar o Brasil. Dei uma pausa no roteiro, mas continuei fazendo shows na Holanda. Aqui o sabor é outro”, afirma a cantora. Na temporada no Brasil, já passou por Belo Horizonte, Crato e São Paulo.
Com a direção musical do violoncelista francês Vincent Ségal, “Silencia” apresenta 13 faixas, nove de autoria de Ceumar. Com exceção da música que abre o disco, homônima, todas as demais foram compostas a quatro mãos. Além de canções do álbum, estão no repertório do show de Uberlândia títulos que marcaram o percurso de 16 anos desde o primeiro disco, “Dindinha”, produzido por Zeca Baleiro. Entre eles, “Engasga gato”, de Kiko Dinucci e Fabiano Ramos Torres; “Turbilhão”, de Miltinho Edilberto; e “Encantos de sereia”, de Osvaldo Borgez.
No show minimalista, em que abraça e é abraçada pelo violão, Ceumar apresenta o que há de melhor na MPB, temperado com ritmos de todo o Brasil – samba, xote, marchinha, coco e xula. “Durante a vida, experimentei uma vastidão de ritmos e estilos e nem sei mais definir a minha música. As pessoas falam em regional, folclórica. Que bom que temos essa riqueza, não precisamos ter medo de explorar as possibilidades. Mas, com certeza, minha visão de mundo é de uma pessoa do interior do Brasil. Nunca consegui ou quis ser uma pessoa urbana. Minha realidade é a roça, os rios, a poesia da vida”, diz Ceumar.
Estrada para fazer amigos
Nascida Ceumar Coelho, na cidade de Itanhandu, “nas Terras Altas da Mantiqueira”, a cantora mineira só poderia ter sido artista. “Meu pai era cantor na juventude, minha mãe adorava cantar, minhas irmãs tocavam piano, então, foi muito natural que eu me encantasse pela música”, diz Ceumar. Com cerca de 15 anos, cantando na escola, pegou gosto e, um ano depois, ganhou o prêmio de melhor intérprete no tradicional Festival de Inverno de Itanhandu.
Na sequência, a cantora se mudou para Belo Horizonte, na intenção de cursar Desenho Industrial. Matriculada em paralelo em uma escola de arte, foi fisgada pelo violão. Ficou cerca de três anos na capital mineira, quando, depois de idas e vindas, se mudou para São Paulo. Lá, começou a se profissionalizar, em busca de identidade própria. No percurso, conheceu Chico César e Zeca Baleiro, por intermédio de uma amiga. O último, além de parceiro, apadrinhou a carreira de Ceumar, produzindo e financiando o disco de estreia, “Dindinha”, de 2000.
Depois de 14 anos na capital paulista e de quatro discos lançados, se mudou para Amsterdã, na Holanda. Por lá, chegou a gravar um disco, “Live in Amsterdam”, lançado em 2010. O quinto álbum, gravado em colaboração com os holandeses Mike del Ferro ao piano, Olaf Keus à bateria e Frans van der Hoeven ao baixo acústico, traz releituras de canções da carreira e uma inédita de Zeca Baleiro, “Iá Iá”. “Silencia”, que a cantora gravou no Brasil em 2013, revela momentos de uma fase de reflexão e descobertas pessoais e espirituais.
Serviço
A cantora Ceumar se apresenta neste sábado (30), às 21h, no Vinil Cultura Bar: avenida Segismundo Pereira, 1.121. Santa Mônica. A abertura do show vai ser feita pela Banda Solaris. Os ingressos vão ser vendidos na bilheteria a partir das 21h. Informações: 3234-6999.
Ouça a música “Silencia”, que abre o sexto álbum, homônimo, da cantora Mineira Ceumar:
*

Nenhum comentário: