CEZAR CANDUCHO

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Conserino persegue Lula, age como amador e se entrega aos braços da imprensa dos magnatas bilionários.

HORA DA VERDADE DE QUEM? DO PROMOTOR CONSERINO OU DA VEJA?



Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

As ações do promotor do MP de São Paulo, Cássio Conserino o são essencialmente deletérias, porque visam, sobretudo, atingir politicamente o ex-presidente Lula, bem como também tem o propósito de dar publicidade ao assunto de forma retumbante, como se fosse um show de horrores, onde o acusado, no caso o Lula, já estivesse, inapelavelmente, condenado à morte moral, em vida, que é pior que a morte de fato. Conserino é um promotor useiro e vezeiro em alardear aos quatro ventos seus atos e decisões, como já ocorreu em vários episódios que tal servidor público foi protagonista.

A verdade é que, nos últimos anos, promotores e procuradores tem se pautado pela imprensa alienígena dos magnatas bilionários de imprensa, bem como, reitero, partidarizaram-se, porque possuem lado, preferência partidária, cor ideológica e simpatias pessoais, inclusive no que é relativo aos políticos que resolveram apoiar.

Isto sempre tem de ser dito, mesmo a se tornar repetitivo, para que não haja dúvidas quanto a esses servidores pagos pelo contribuinte saberem que à noite nem todos os gatos são pardos, bem como incontáveis cidadãos deste País sabem e compreendem que existem promotores, policiais e juízes a trocar os pés pelas mãos para fazer política e se aproveitar de seus cargos para perseguir pessoas em pleno Estado de Direito. Trata-se do Estado ditatorial, autoritário, divorciado da sociedade, a agir e atuar dentro de uma democracia até hoje não aceita por promotores vaidosos e politicamente conservadores, como Cássio Conserino.

Sendo assim, Conserino é mais um dos muitos servidores do Estado ligados ao MP, que resolveu judicializar e criminalizar a política, de forma que ficou difícil até para o Governo governar, ou seja, efetivar suas ações administrativas e de infraestrutura por todo o País. Para resumir, promotores, a exemplo de Cássio Conserino se juntaram, indevidamente e imprudentemente, ao consórcio de oposição ao Governo Dilma e ao ex-presidente Lula formado por juízes, procuradores, promotores, delegados da PF, políticos do PSDB e DEM, sendo que o bolo da cereja, que repercute suas ações político-partidárias é a imprensa comercial e privada dos magnatas bilionários, donos de mídias monopolizadas.

Conserino se mostra lépido e fagueiro, reporta-se à Veja, ou seja, abre sua boca imprudente para cometer ilações levianas à moral de Lula, que humilham e envergonham a instituição do Ministério Público. Esperto e sorrateiro, o promotor que trabalha em São Paulo, Estado controlado pelo PSDB há 20 anos, inacreditavelmente acusa Lula de "ocultar patrimônio e lavar dinheiro", sem provas, para uma das piores e maldosas revistas do mundo, de extrema direita, exemplificada na "Veja" — a Última Flor do Fáscio —, certamente a publicação com a menor credibilidade neste País, dentre outras que são editorialmente e politicamente lamentáveis, a exemplo de "Época, Folha, Estadão, Zero Hora, Correio Braziliense, IstoÉ e O Globo". A oposição de direita e golpista em forma de cartel midiático.

Cássio Conserino sabe escolher, pois entende do riscado, porque tem a nítida compreensão de que "Veja" publica o que lhe dá na teia, sem se importar com a ética, a legalidade, o verdadeiro jornalismo, que preza o contraditório, e a lei. Como diz o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, quando perguntam-lhe sobre as diatribes e corrupções dos tucanos: "Isto não vem ao caso". É dessa forma que a banda toca nessas paragens, nos pagos brasileiros, no que é relativo à incrível intromissão do MP em questões essencialmente políticas e partidárias.

Então quem são os responsáveis para pôr um freio nesses servidores públicos? Sendo que muitos já deveriam ser duramente investigados e punidos com exonerações. Demissão de mau servidor de forma alguma acaba com a instituição do Ministério Público. Pelo contrário, o oxigena e o liberta de ervas daninhas que envenenam a sociedade brasileira. Que o promotor Cássio Conserino entre em um partido e tente se eleger para fazer política partidária. Agora, querer fazer política rasteira, a se aproveitar de cargo ocupado no MP, com salários pagos pelo povo não dá. Inaceitável.

"Veja", além de ser sustentada por sucessivos governos tucanos do Paraná e São Paulo, que rodaram até material didático escolar nas rotativas da Editora Abril, além de comprar milhares de revistas para distribuir nas repartições e nos órgãos públicos, abriu o verbo e pela milionésima vez editou e publicou seu jornalismo de esgoto para o público, que não merecia tanta patifaria, que se baseia em mentiras, calúnias, injúrias e difamações.   

Tal arremedo de revista é o maior responsável no Brasil pelo mais autêntico e genuíno jornalismo de esgoto — além de ser propriedade da Editora Abril, que adora falar em crise moral e econômica para afligir os governos petistas, mas que, contraditoriamente à sua moral de casa que abriga um rendez-vous jornalístico, não publica nada que possa prejudicar os estados administrados pelos tucanos e seus aliados, como o DEM, o pior partido do mundo, pois herdeiro direto da escravidão e sucessos da fatídica e golpista UDN de Carlos Lacerda — o Corvo.

Vamos ao que importa. O promotor de Justiça, Cássio Conserino, sequer ouviu Lula para tomar atitudes com tanta precipitação e falta de moderação. Quem ocupa cargo e função tão importantes, de ordem republicana, não pode se permitir a cometer aleivosias, que contrariam a ética por motivos de presunção sobre a moral e a conduta de terceiros. Afinal, Conserino não é um porta-voz ou capitão do mato de magnata bilionário de imprensa que fica aboletado em redação a dizer o que quer e o que lhe aprouver, em nome de interesses inconfessáveis, mas, evidentemente, de conotações políticas e econômicas.

Lula sequer foi ouvido por tal promotor, que age como o outro promotor, considerado pela mídia um "varão de Plutarco", no que tange à ética, à moral e aos bons costumes, que atendia pelo nome de Demóstenes Torres e ocupava o cargo de senador da República. Todo mundo sabe como acabou a história. "Diga-me com quem tu andas, que eu te direi que tu és". Se o "varão" Cássio Conserino "anda" com a Veja, o que se deve pensar dele? Com a resposta, o leitor e o próprio promotor...

"Lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio" — notícias de "Veja" e manchete da "Folha de S, Paulo", da família Frias, conhecida, historicamente, pelo seu reacionarismo atávico e conservadorismo genético, ou seja, de pai para filho. Acontece que o apartamento não é de Lula. Ele teve cotas e desistiu. Informou sobre as cotas em seu imposto de renda e foi tocar a vida. A mesma coisa é o sítio de Atibaia onde Lula descansa e a linha telefônica da OI.

Até a linha telefônica que abrange a área do sítio, o "jornalismo" porco e de esgoto praticado por empresas de coronéis midiáticos virou manchete, com o propósito de causar confusão, desmentidos, disse me disse, calúnias, maledicências, para depois colocar tudo num caldeirão dos infernos, que, com efeito, transformou-se em "notícias" e "manchetes" para o povo ouvir, bem como os coxinhas de classe média devotados à direita e que odeiam o Brasil e desprezam e desvalorizam até mesmo as coisas boas, como os avanços sociais e econômicos, que neste País aconteceram nos dois governos de Lula e no primeiro governo de Dilma Rousseff.     

Como alguém pode ocultar algo que não tem e não teve? Como um promotor se dá o direito de atacar e insultar, porque se trata também de insulto, uma figura pública da grandeza de Lula? Não que pessoas públicas não possam ser investigadas e, se for o caso, punidas e até presas, mas a questão é que quanto maior é o indivíduo, maior também vai ser seu sofrimento e sua penitência por seu nome ter sido injustamente jogado na lama.

Cássio Conserino erra gravemente, e, se ele não provar as acusações, sua punição tem de ser conforme o estrago moral e de juízo de valor que o promotor cometeu, na mesma dimensão de uma pessoa pública e conhecida como o ex-presidente Lula. Ponto. Sem espaço para tergiversações. Se a casa grande brasileira e seus asseclas querem transformar o Brasil na casa da mãe Joana, enganam-se. Há muito tempo o povo ou parte importante dele sabe que a burguesia usa a corrupção como subterfúgio para efetivar seus golpes.

É o que a direita tem, o que lhe resta, porque não pensa o Brasil e, com efeito, não pode apresentar projetos, pois somente almeja ganhar muito dinheiro e manter seus privilégios intactos, assim como não quer deixar de ser protegida e de mamar nas tetas do Estado nacional. A casa grande, ou seja, a direita, procede assim há séculos, bem como é o grupo que alimenta as demandas e concretiza os interesses da plutocracia internacional. Colonizada, subserviente, subalterna, provinciana e traidora contumaz de seu País. Esta é a cara e a alma da direita: a dona da casa grande e fiadora de 400 anos de escravidão.

Contudo, temos aí o promotor Conserino, que não tem a mínima disposição para investigar e denunciar os desmandos na Sabesp, nos trens e no metrô de São Paulo, além da roubalheira no que concerne à merenda escolar. Não cito outros casos cabeludos, porque apenas me reporto a acontecimentos recentes em São Paulo. Evidentemente que eu poderia falar da compra de votos da reeleição de FHC, da Privataria Tucana, da Lista de Furnas, que é de âmbito nacional, do mensalão tucano, que nunca foi julgado, da pasta rosa, do caso Banestado, onde vicejam tucanos, bem como poderia citar os escândalos do HSBC, da Zelotes, que incrivelmente se voltou contra o Lula, sendo que parte importante do PIB brasileiro consta neste caso de sonegação e desvios da monta de R$ 20 bilhões!!!

Entretanto, não é condestável promotor Conserino, esses casos "não vem ao caso". O entre aspas lembra um juiz de primeira instância... Enquanto isso, o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva tem de ser cassado em sua cidadania pelo status quo, com o propósito de desconstruir sua humanidade. Para isso, o líder de esquerda tem de ser humilhado, ao ponto de se irradiar desconfiança de natureza sórdida, porque o objetivo é destruir sua moral e depois prendê-lo, acontecimento que impediria sua candidatura a presidente em 2018. Nunca vi tanta vilania e perseguição estupidamente desumana. Cássio Conserino persegue Lula, age como amador e se entrega aos braços da imprensa dos magnatas bilionários e aos interesses da oposição aos governos trabalhistas. É isso aí.

Nenhum comentário: