CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

quinta-feira, 17 de março de 2016

PTMG - Doleiro abriu conta secreta para família de Aécio em Liechtenstein.


PF encontrou, durante operação em 2007, documentos que eram ligados à conta. Família Neves confirmou que os documentos apreendidos são verdadeiros.
Reportagem da revista “Época” publicada nesta quarta-feira (16) informa que o doleiro Norbert Muller abriu contas bancárias no LGT Bank, em Liechtenstein, para a família do senador Aécio Neves (PSDB-MG).
De acordo com a matéria, a Polícia Federal encontrou, durante operação feita em 2007, uma pasta na casa do doleiro etiquetada com “Bogart e Taylor”, o nome escolhido pela mãe de Aécio Neves, Inês Maria Neves Faria, para batizar a fundação que administraria o dinheiro da conta no banco.
Em delação premiada, o senador Delcídio do Amaral citou a conta do senador tucano em Liechtenstein.
“Os procuradores que trabalham ao lado de Rodrigo Janot apuram a participação de Aécio nos esquemas citados por delatores, em especial o de Furnas. Pediram colaboração internacional, junto às autoridades de paraísos fiscais, para averiguar se contas como a associada ao senador em Liechtenstein foram usadas para o recebimento de propinas”, diz a reportagem.
“Aécio acabara de assumir a Presidência da Câmara dos Deputados quando a conta em Liechtenstein foi aberta. De acordo com os documentos apreendidos pela PF, ela poderia ser movimentada por Inês Maria e por Andréa Neves, irmã de Aécio. Segundo os papéis, Aécio não estava autorizado a movimentar a conta da fundação no banco LGT. Era, no entanto, seu beneficiário, de acordo com um documento apreendido pela PF e conhecido como “By Law””, completa o texto.
Ainda segundo a revista “Época”, a Polícia Federal confirmou, na investigação, que a conta e a fundação da família de Aécio Neves não foram declaradas à Receita Federal ou ao Banco Central.
“Em tese, cometeram os crimes de evasão de divisas, ocultação de patrimônio e sonegação fiscal. Procurados por ÉPOCA, nem Aécio nem Inês Maria quiseram dar entrevista. Por meio de seus advogados, a família Neves confirmou que os documentos apreendidos são verdadeiros e que Inês Maria pretendia criar a fundação Bogart & Taylor em Liechtenstein para destinar recursos à educação de seus netos”.
Fonte e imagem: Agência PT de Notícias, com informações da Revista Época
***
***
***
Pimentel entrega 155 veículos para a saúde e libera linha de crédito de R$ 100 milhões para hospitais filantrópicos.
Foram investidos R$ 6,56 milhões pelo Tesouro Estadual em ambulâncias e outros veículos, beneficiando 112 prefeituras e cinco entidades não governamentais.
O governador Fernando Pimentel entregou, nesta segunda-feira (14/3), em Belo Horizonte, 155 veículos para a saúde no estado, entre os quais 17 ambulâncias. Foram investidos R$ 6,56 milhões pelo Tesouro Estadual na aquisição dos veículos que serão entregues para 112 prefeituras e cinco entidades não governamentais de 116 municípios em 11 Territórios de Desenvolvimento de Minas Gerais.
Ainda durante o evento, o governador assinou um despacho governamental definindo como prioridade a liberação de R$ 100 milhões em linhas de financiamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais para a reestruturação de hospitais filantrópicos que, em Minas, são responsáveis por mais de 50% dos atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Em seu discurso, Pimentel destacou a importância do Programa de Doação de Veículos para a Atenção à Saúde nos municípios. “Estamos totalizando quase 700 veículos entregues e já alcançamos mais da metade das cidades mineiras. Essas entregas são fruto de emendas parlamentares, é por isso que os deputados estão aqui. E a emenda parlamentar, que às vezes é criticada, é muito importante para os municípios”, afirmou.
O governador ressaltou a boa relação do Executivo com o Legislativo. “Essa presença maciça de deputados estaduais e federais nessa cerimônia fala mais alto do que qualquer possível suspeita de que a gente tenha alguma dificuldade com o Legislativo. Ele tem nos ajudado e muito na difícil tarefa de governar Minas Gerais”, ressaltou.
Pimentel defendeu ainda a emenda parlamentar como importante ferramenta para se fazer política. “Nós estamos dando uma demonstração de que, quando feita de forma correta, efetiva, democrática, republicana, transparente, a política produz bons resultados para a nossa sociedade e para aqueles que nós representamos”, completou.
Os veículos foram entregues para municípios dos Territórios de Desenvolvimento Metropolitano, Oeste, Sul, Médio e Baixo Jequitinhonha, Caparaó, Vale do Aço, Mucuri, Mata, Triângulo Norte, Central e Sudoeste. O objetivo é proporcionar qualidade no transporte de pessoas com necessidades de tratamento médico, realização de exames ou de consultas, além de promover a assistência médica de caráter emergencial.
Dos 155 veículos, 17 são Doblô ambulâncias, 83 Fiat Palio, 53 Doblô Essence e dois Ducato minibus. Também receberam veículos as organizações não governamentais Associação Beneficente Paulo de Tarso (Belo Horizonte), Hospital de Cataguases, e Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Presidente Olegário, de Senador Firmino e de Viçosa.
Crédito
Durante a cerimônia, foram liberados R$ 100 milhões em recursos para os hospitais filantrópicos mineiros que prestem atendimento pelo SUS, possuam mais de 100 leitos e que tenham faturamento bruto anual superior a R$ 10 milhões. A ação é feita pelo BDMG em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).
“Essa é uma linha que não existia antes. Estamos seguindo essa linha correta de apoio aos hospitais filantrópicos, que são importantíssimos. Nós temos que ser parceiros deles a todo momento. Em Minas Gerais, mais da metade do atendimento é feito pelos hospitais filantrópicos”, ressaltou Fernando Pimentel, lembrando o período em que trabalhou, enquanto ministro, para que o Governo Federal retomasse o financiamento das Santas Casas para auxiliar o SUS.
O governador reiterou o empenho da administração estadual em superar as dificuldades financeiras para melhorar o atendimento à população. “São dois atos singelos na manhã de hoje que mostram que Minas Gerais tem um caminho para enfrentar as dificuldades. O momento é difícil? É. Tem dificuldades financeiras? Tem. Tem críticas generalizadas à atividade política? Tem. Como é que nós respondemos a isso? Fazendo o que nós fizemos aqui hoje, trabalhando com empenho, dedicação, seriedade e humildade para reconhecer as nossas deficiências”, finalizou.
Os hospitais filantrópicos interessados deverão inscrever as suas propostas, até o dia 13 de maio, por meio do preenchimento de formulário que estará disponível no site do BDMG. Para conseguir o financiamento a instituição precisa comprovar ocupação mínima dos leitos do SUS de 50% e fazer parte da Rede de Urgência e Emergência estadual e do Pro-Hosp, programas geridos pelo Governo de Minas Gerais.
Preocupação social
O presidente do BDMG, Marco Aurélio Crocco, acredita que o programa amplia o papel do banco no desenvolvimento do estado. “É importante destacar que esse edital tem papel fundamental porque muda a visão do banco. É um banco preocupado não só com o desenvolvimento econômico, mas com o desenvolvimento social”, disse.
Na avaliação do secretário de Estado de Saúde, Fausto Pereira, o programa permitirá aos hospitais filantrópicos mineiros modificar o perfil do endividamento e, consequentemente, melhorar o atendimento. “Várias Santas Casas têm dívidas com bancos, taxas de juros e prazos diferentes. A ideia é que esses hospitais possam alongar o prazo de pagamento das dívidas, diminuir a prestação mensal que pagam e, assim, ter maior capacidade de caixa”, afirmou.
Apoio
O presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais (Federassantas), Francisco de Assis Figueiredo, disse que o apoio do Estado é fundamental para garantir a manutenção dos serviços nas unidades. “Estamos prontos para ajudar o serviço público, só precisamos de um braço de apoio, e é o que surge agora com esse financiamento do BDMG. Estamos muito mais fortes para atender a nossa demanda, mas precisamos estar de pé”.
Já o presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel) e prefeito de Vespasiano, Carlos Murta, acredita que a sensibilidade do governador tem ajudado os municípios a enfrentar a crise no país. “Esse ato é de grande significado para Minas Gerais. Com o financiamento do BDMG e com a entrega de carros para a saúde poderemos promover um atendimento melhor aos nossos municípios”, concluiu.
Participaram da cerimônia o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes, o presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM) e prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio, o presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Jorge Nahas, secretários de Estado, deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores e representantes das áreas da saúde nos municípios.
municipios-contemplados
Fonte e imagem: Agência Minas

***
***
***

PTMG comemora nomeação de Lula ministro do governo Dilma.



A presidenta do PTMG, Cida de Jesus, comemorou a nomeação do ex-presidente Lula para ministro da Casa Civil pela presidenta da República, Dilma Rousseff, nesta quarta, 16.

“Consideramos que Lula vai somar sua força e experiência política ao governo da nossa presidenta Dilma Rousseff, conhecedor que é das necessidades do País”, afirmou Cida de Jesus.
De acordo com ela, “com sua capacidade de articulação política, Lula vai colaborar para rearticular as forças políticas da base de apoio do governo. Além disso, acredito que ele poderá contribuir muito para que os compromissos do governo com a classe trabalhadora possam ser colocados em prática. Esperamos que o Brasil retome o crescimento não só econômico, mas também tenha fortalecidas as políticas públicas voltadas para os mais pobres. E tenho certeza que Lula estará ajudando muito nesse sentido”.
Sobre as insinuações de que, como ministro, Lula estaria buscando foro privilegiado, Cida de Jesus afirmou que “a oposição até hoje não se conformou com a derrota nas urnas e fica tentando minar qualquer ação do governo, como forma de desestabilizá-lo. A Dilma é a presidente eleita pelo voto popular e pode nomear quem ela quiser para seu ministério”.
Assessoria de Comunicação do PTMG

Nenhum comentário: