CEZAR CANDUCHO

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Lutar, lutar, lutar. Temer jamais!

Fora Temer 6

Por Luis Edmundo Araujo, editor de esporte do Cafezinho
Eduardo é um pacato pai de família de 52 anos, auditor da Receita, atleticano e progressita. Criou com amigos do trabalho, na Secretaria Estadual de Fazenda de Minas Gerais, o Comitê SEF/MG pela Democracia, para combater o golpe. O Comitê promove vaquinhas regulares para a confecção de faixas, adesivos, bottons e camisetas, mas é nos estádios, nos jogos do Galo mineiro, que o grupo não só ganha evidência maior como afronta a principal promotora de tudo o que está acontecendo no Brasil hoje, e num terreno fundamental, vital, para a Globo.
Antes das partidas a gente panfleta contra os jogos às 21:45 e o domínio da Globo sobre o futebol e o país como um todo. Além disto, temos mandado colocar faixas nos postes com o mesmo propósito. Às vezes nós mesmo as colocamos em viadutos no caminho do campo.
Além das benesses governamentais às custas da população, das mamatas com dinheiro público que incluem sonegações miliardárias, muy bem calculadas, a Globo depende hoje, visceralmente, do futebol, mesmo que a audiência dos jogos, como a de toda a programação, esteja em queda, o que no caso de um campeonato organizado há anos ao bel prazer da emissora, com horários indignos e arbitragens criminosas denunciadas aos gritos ou escondidas ao gosto dos locutores, comentaristas e editores de imagens, a depender dos times envolvidos, é até bem compreensível. A Globo não pode simplesmente deixar de mostrar o futebol, os contratos milionários não permitem, as audiências ainda entre as maiores, apesar da queda inevitável, também não.
Dentro do estádio, e é aí que o bicho pega, temos ações ainda mais efetivas, e difíceis. Desde o jogo contra o São Paulo na Libertadores temos colocado faixas grandes, visíveis para as pessoas e, especialmente, para as lentes das câmeras. Infelizmente, não é fácil driblar o editor de imagens da Globo. Temos que reconhecer que o time adversário, além de rico, é bom de bola.
Galo fora Temer 

Com o propósito de se aproximar das torcidas organizadas, de muita valia para se fazer qualquer coisa dentro de um estádio, o Comitê SEF/MG tem feito diversas ações, como um vídeo com a Mídia Ninja sobre a questão do horário dos jogos e visitas à ocupação da Funarte, quando a Galoucura, maior torcida organizada do Galo, chegou ao local carregando garrafões de água mineral.  Também já foram entregues cobertores para moradores de rua, mas é nos estádios, na insistente, resistente batalha contra a manipulação da mídia golpista, que o grupo brilha. Assim como as aspas dessa matéria, o texto abaixo é do Eduardo Aguiar Ferreira, enviado a pedido do blog, assim como as fotos, para ilustrar esse belo exemplo de guerrilha criativa, pacífica, contra este golpe cínico, dissimulado, sobretudo frágil, mesmo que venha a ser bem sucedido. Outras torcidas têm feito o mesmo por todo o País. Que outras façam mais, sem parar.
Segue o texto do Eduardo...
Na luta contra o golpe que se avizinhava ainda no mês de março, um grupo de auditores fiscais da SEF/MG se reuniu e criou, a exemplo do que fizeram muitos deles durante a campanha das Diretas, um Comitê pela Democracia. Em função de projetos de ações especificas é feita uma vaquinha entre os membros do grupo o que já viabilizou a confecção de diversos materiais de campanha e a ajuda na estruturação da ação de outros grupos organizados mas menos dotados de recursos.
Entre boa parte dos membros do Comitê, porém, além da defesa dos ideais democráticos atingidos pelo golpe, os unia a paixão pelo Galo. Já que esta turma estava todos os jogos do Atlético nas arquibancadas, por que não criar, juntos com outras torcidas organizadas, uma ação especifica contra os irmãos siameses, Globo e Temer. 

fora temer 3

Foram feitas diversas faixas para entrar, das maneiras mais diversas e inusitadas, no campo de futebol. A maior delas, de 20 metros de largura, tinha os dizeres LUTAR, LUTAR, LUTAR, TEMER JAMAIS, criados pelo jornalista, atleticano apaixonado, Fred Melo Paiva, se valendo do principal lema do hino do time. Na estreia da faixa no estádio, ela entrou oficialmente, acompanhada de diversas pessoas, inclusive um advogado e uma professora de português. Quando o segurança mandou abri-la, ao ver o seu conteúdo, alegou a sua conotação política ao que a professora contra-argumentou: quem garante que TEMER é um substantivo e não um verbo? Não se sabe se, em função do argumento da professora, ou da multidão querendo entrar logo no jogo contra o São Paulo pela Libertadores, a faixa, cuja imagem correu por todo o Brasil, entrou com tranquilidade no Independência. A mesma tranquilidade não ocorreu porém dentro do estádio. Ao verem os dizeres a segurança se apressou em mandar retirá-la, mas passados uns vinte minutos ela foi recolocada em outro lugar até a segurança novamente mandar tirar.

No clássico contra o Cruzeiro, foi colocada uma faixa GLOBO GOLPISTA bem no meio de campo e aberta justamente na hora do apito inicial. Não houve meio do editor de imagem da Globo evitá-la e toda Minas Gerais viu ao vivo aquela faixa de 8 metros de largura. Divertidamente, no dia seguinte, quando a Globo Minas e o SportTv foram apresentar os melhores momentos da partida, apenas o segundo tempo começou com a bola rolando, tendo o pontapé inicial sido suprimido pelo editor de imagens.
Pode-se ter mil queixas da Globo, mas não se pode negar sua competência. O editor de imagens, cansado de tomar bola nas costas, preparou-se melhor para o jogo contra a Ponte e na hora de um córner, quando o adversário – da Globo, no caso - levantou a mesma faixa do jogo anterior, ele, mais do que depressa, tirou a imagem aberta e jogou no ar só a fechada, filmando apenas o calcanhar do Robinho. A imagem não foi ao ar pela TV, mas as inúmeras câmeras presentes ao estádio registraram o ocorrido e em segundos já estava na rede.
No jogo contra o Corinthians, no Mineirão, a mesma faixa de 20 metros foi posta bem atrás do gol e por lá ficou todo o primeiro tempo e parte do segundo. Além disto, as torcidas entraram com escudos grandes do Galo e, no verso de cada um, as letras da expressão GLOBO GOLPISTA, sendo ovacionadas por toda a plateia.

Galo Fora Temer 2


No jogo mais recente, contra o Botafogo, a ideia foi mudar a estratégia, pois os escudos, apesar de muito bonitos e de grande visibilidade, tinham ficado marcados pela segurança. Prova disto é que, no jogo de um time adversário em Belo Horizonte quatro dias depois, diversos escudos foram apreendidos e proibidos de entrar no estádio por contarem no verso com a expressão GLOBO ALIENADORA. Foram feitas então 21 camisas, cada uma com a letra das já famosas expressões FORA TEMER e GLOBO GOLPISTA. E, já que a faixa grandona do LUTAR, LUTAR, LUTAR, TEMER JAMAIS tinha ficado muito visada, foi feita uma menor, de 10 metros, que ardilosamente entrou também no Mineirão para dar mais uma dor de cabeça no hábil editor de imagem da Globo. O embate promete e as outras torcidas de Minas estão fazendo o mesmo. A torcida pelo Galo e contra o Golpe fará muito mais, cada vez mais e melhor. Os próximos jogos prometem muito emoção.

luis.edmundo@terra.com.br
*

Nenhum comentário: