CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

terça-feira, 26 de julho de 2016

Temer é Coringa e seu segurança Moraes é Lex Luthor — Lula, Dilma e golpe.



Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Coringa é um personagem que ri, mas é mau, de personalidade e caráter maus. Trata-se de um super-vilão. Ele é uma das estrelas do DC Comics, que têm, dentre muitos heróis e vilões, o Super Homem e o Batman como suas figuras mais ilustres e célebres em âmbito mundial.

A principal característica do Coringa é o riso escrachado e congelado em seu rosto, de forma que suas vítimas sejam aniquiladas ao vê-lo rir em um riso sem vida e pleno de destruição e morte. O riso do Coringa é morto, pois cadavérico, a dimensionar a tristeza e a desesperança em forma de escárnio, infâmia e violência.

O Coringa é o The Joker, mas também é conhecido pelas alcunhas de Jester of Genocide (Bobo do Genocídio) ou Scourge of Gotham (Flagelo de Gotham), sendo que o vilão tem outros apelidos que retratam sua perversidade perante o mundo e principalmente a tudo aquilo que trata de construir uma sociedade mais justa, igualitária e democrática.

Lex Luthor também é um super-vilão do DC Comics. O "louco" extremado é cientista, empresário trilhardário e considerado um dos sujeitos mais inteligentes do globo terrestre. Seu sonho é conquistar o mundo e impor suas verdades, valores e princípios. Porém, trata-se de um tirano à flor da pele e que não mede consequências para dominar a natureza humana, principalmente no que se trata de sua vocação para viver em liberdade.

Sim. Isto mesmo. Gente como o Coringa e o Lex Luthor detestam a liberdade. Só se conquista a liberdade por intermédio do conhecimento. Guerras e revoluções ou conflitos generalizados dentro de qualquer país ou nas cidades também acontecem por causa de liberdade, como as garantidas pela Constituição brasileira de 1988, a ter o Estado Democrático de Direito como seu alicerce fundamental. Essas coisas incomodam profundamente os mesquinhos e os violentos do status quo.

Lex Luthor tem esta compreensão e, por ter um caráter tirânico, como o é também o do Coringa, ele trata de retirar em parte ou extinguir, se tiver oportunidade, os direitos e as garantias constitucionais, trabalhistas e previdenciárias da sociedade, em geral, e dos trabalhadores, em particular. Por causa dessas questões, eles têm enorme pressa para vender o patrimônio público, desmontar o Estado nacional e, com efeito, inviabilizar os programas de inclusão social e eliminar os direitos trabalhistas.

Agem desse modo casuístico e despótico porque, além de serem antidemocráticos, trata-se de pessoas sectárias e plenas de desprezos pela maioria, que, para eles, somente serve como mão de obra barata e que não deve, em hipótese alguma, sair de seu quadrado em busca de cidadania, que se fundamenta na igualdade de oportunidade e justiça social.

O problema do Lex Luthor é o mesmo do Coringa: privilegiar os ricos e manter os pobres nas senzalas dos tempos atuais, que são os guetos, os morros e as periferias. Para isso, basta cercar esses locais com as corporações policiais, bem como quando é necessário enviar as Forças Armadas ao invés de o Estado brasileiro deixar de ser patrimonialista para atender os interesses da casa grande e passar a investir pesadamente em educação, como o fez a Coreia do Sul, que até os idos dos anos 1950 era quase um país medieval.

Perversos e mal-intencionados, o Coringa e o Luthor apenas são fantoches do grande capital mundial, da plutocracia, pois títeres que sabotam o Brasil e seu povo para garantir os benefícios e os privilégios dos rentistas, dos grandes jogadores das bolsas de valores, dos trustes do petróleo, dos banqueiros que impõem juros estratosféricos e dos tubarões que querem o poderoso País sul-americano e possuidor de enorme mercado interno como presa do FMI.

O retorno do Brasil à subalternidade e à falta de soberania, a ser humilhado por técnicos de tal Fundo a examinar as nossas contas e a humilhar nossa cidadania e nacionalidade. E tudo isto após o Brasil ter saldado a dívida externa, no Governo Lula, ao preço de US$ 15,5 bilhões. Nunca mais o FMI, ou seja, os países desenvolvidos vieram nos xeretar para dar ordens.

Esta realidade deixou gente pequena e incompetente como José Serra, o chanceler golpista, a lamentar tanta independência, pois tal sujeito é um dos principais agentes do mercado de capitais que atua no Brasil e a ocupar cargos de poder público exatamente para efetivar e consolidar o jogo de interesses estrangeiros.

Por isto o desprezo incontido em forma de cólera aos Brics, ao Mercosul e às relações diplomáticas e comerciais com a África e o Oriente Médio árabe. A direita quer de volta o "seu" País — provinciano, menor e para poucos —, além de restabelecer a "Diplomacia do Tirar os Sapatos" ou do "Falar Grosso com a Bolívia e Fino com os Estados Unidos". Não é uma desgraça a burguesia escravocrata brasileira e políticos como o também Coringa José Serra? Los Macaquitos Blancos Subalternos detestam soberania e vergonha na cara.

Está aí para provar o que afirmo o projeto de sua autoria de entrega do Pré-Sal, que o Pedro Parente, presidente golpista da Petrobras quer efetivar a toque de caixa. Serra, ratifico, é também o Coringa. O que se escamoteia e desliza por entre os dedos. Ele é totalmente sorrateiro. Sua face; seu retrato. No governo de FHC — o Neoliberal I —, este indivíduo se tornou o principal responsável pela privatização da Vale do Rio Doce, a privatizada que matou o mineiro Rio Doce, além de outras importantes estatais.

A resumir: venderam o Brasil e não pagaram a dívida pública. Nem ao menos a amortizaram. Além disso, deixaram o poder com o Brasil praticamente sem reservas internacionais, com inflação de 12,5% e taxa de desemprego de 12,1% em 1999, sendo que 11,7% em 2002. E os demotucanos são considerados "competentes" pelos "especialistas" mequetrefes das mídias de mercado igualmente golpistas dos magnatas bilionários de imprensa.

Índices e números negativos muito maiores dos que os de Dilma Rousseff — a mandatária injustamente afastada porque não cometeu crime de responsabilidade. Por sua vez, se compararmos com os governos de Lula seria uma covardia — humilhação. São esses golpistas incompetentes que tomaram de assalto o poder sem ter direito e autoridade para administrar e governar o Brasil, quanto mais vendê-lo. Cadê o voto popular? Ponto.  

No Brasil, Lex Luthor é o capitão-do-mato do Coringa. O sujeito atende pelo nome de Alexandre de Moraes. Já foi denunciado por ser ex-advogado do PCC, além ter sido nomeado ministro da Justiça, porque a intenção do Coringa — vulgo michel temer (o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo por se tratar de um pigmeu moral, político e citadino) — é reprimir os movimentos sociais, a exemplo dos Sem Terra e dos Sem Teto, e os inúmeros sindicatos de trabalhadores, principalmente após o julgamento do golpe de estado travestido de legal e legítimo por parte do Senado.

Se michel temer e seus sequazes forem autorizados pelo Senado e pelo STF a continuar no poder e a caminhar por trilha desditosa e criminosa, realmente, não sei o que será do País em termos de estabilidade política e institucional, até porque as ruas vão tremer, pois ainda se encontram adormecidas, apesar de protestos pontuais por todo o Brasil, desde que a direita tomou o poder por meio de um golpe bananeiro e com a carranca e o focinho (golpista não tem rosto e nem nariz) da casa grande.

A partir daí, Lex Luthor, o segurança bandeirante de temer, como se diz no jargão policial, vai esbravejar: "A borracha vai comer no lombo dos arruaceiros". Para a direita e os fascistas, reivindicar direitos e combater golpe criminoso de estado é arruaça e baderna, bem como exigir melhorias nas condições de vida é coisa de folgado. É dessa forma que a banda toca. Por isso que o Brasil é hoje considerado uma republiqueta bananeira, assim como a imprensa e os governos estrangeiros estão a tratar as oligarquias e a grande burguesia do azarado País como "los macaquitos blancos", os responsáveis maiores pelo o atraso na vida brasileira.

Vamos àquela piada cretina e repleta de complexo de vira-lata sobre o Brasil ser grande e rico. Ela termina assim: "(...) Mas, olhe o povo que Deus colocou lá (no Brasil)". A piada, sobremaneira, não retrata a realidade e a verdade. O problema desta Nação não é seu valoroso e corajoso povo, mas, evidentemente, a burguesia proprietária da casa grande, além de subserviente e subalterna à plutocracia internacional.

A piada, que deveria ser contada pelo Coringa — o palhaço e vilão a gargalhar — deveria ser assim: "(...) O Brasil é grande e rico, mas olhe a burguesia e a pequena burguesia (coxinha de classe média) que Deus colocou lá". Porque é exatamente isto o que acontece, cara pálida. País nenhum merece uma "zelite" dessa. Aí, na real...

O Brasil não precisa de inimigos externos, porque já é povoado por essa gente entreguista, provinciana, racista, antinacionalista, antidemocrática e, sobretudo, violenta. michel temer (para relembrar: o nome do Coringa é sempre escrito em minúsculo) representa todas as palavras acima que definem a casa grande deste País azarado, juntamente com seus associados históricos de golpes — os coxinhas.

Trata-se de um usurpador e traidor perigosíssimo para os interesses da Nação. Em quase três meses a usurpar o poder que não lhe é de direito, o Coringa brasileiro e seu segurança Alexandre Lex Luthor de Moraes fizeram todo tipo de maldades e trapalhadas. São os verdadeiros trapalhões, que deixariam o Didi, o Dedé, o Muçum e o Zacarias com inveja e tristonhos por se considerarem desprovidos de talento.

E por quê? Porque quem assume o poder por meio de um golpe bananeiro ou terceiro-mundista tem de recorrer à violência, à censura e a supressão de direitos e benefícios conquistados pelo povo. Por seu turno, para contrariar os interesses dos pobres, que é a maioria da população deste País injusto, no qual vicejou a escravidão de 388 anos, só é possível por intermédio de ações violentas e de decretos, projetos e emendas casuísticas e impositivas, contrárias ao voto depositado pela maioria do povo, que em quatro eleições consecutivas se recusa a votar nas propostas do PSDB e de sua escória associada e autora de mais um infeliz golpe que humilha e envergonha o Brasil.

Não é à toa que temer convidou o secretário de Justiça do governador ultraconservador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Alexandre de Moraes — o Lex Luthor — é notório por seu pensamento e ações fascistas. Ele trata os movimentos sociais e políticos (a exceção quando é a favor dos demotucanos e da direita em geral) de forma a criminalizá-los e judicializá-los, porque a finalidade é reprimi-los. Opressão é a palavra-chave de sua cartilha "pinochetiana".

E foi o que Lex Luthor fez como secretário de Justiça de São Paulo, assim como recrudescerá a violência de Estado se o michel Coringa temer conseguir usurpar definitivamente o poder central. Luthor manda bater sem avisar... Ele é um autêntico representante dos interesses das oligarquias quatrocentonas de São Paulo. Um de seus bate-paus, no que tange à segurança pública. O guardião de sua "fé". Quem viver verá.

Não dá para não perceber a posição política completamente sectária desses golpistas reacionários que jamais engoliram o fato de o PT vencer quatro eleições consecutivas, além de ter governado democraticamente, sem reprimir quaisquer movimentos sociais e de trabalhadores. Pelo contrário, Lula e Dilma receberam, no Palácio do Planalto, índios, quilombolas, movimentos de negros, mulheres e gays.

Convidaram ainda os moradores de rua, os sem terra, os sem teto, os catadores de latas, as federações e os sindicatos de trabalhadores. Abriu as portas do Palácio ao povo. O Palácio do Planalto, onde a casa grande elaborava suas estratégias de entrega do País, de privilégios aos ricos e de subalternidade ás potências estrangeiras. Lula, além de humanizar a Presidência da República, governou como estadista, pois é o que ele é. O estadista é o mandatário que cuida do povo. Parece simples, não é? Porém, não é. Se contam estadistas nos dedos.

Presidentes comuns e fantoches ou representantes das corporações transnacionais e oligarquias se encontram aos montes em qualquer lugar do planeta e em qualquer era ou época. É isto que mata de raiva e de ódio os Coringas e os Lex Luthor da vida. Eles são homens ou mulheres pequenos. Menores do que seus cargos e funções. Não compreendem o que é governar, pois apenas fizeram um faculdade ou um doutorado.

Contudo, qualquer imbecil pode fazer um doutorado. Basta-lhe a vida dar-lhe acesso e estudar, ou, quiçá, comprar o diploma ou fazer o curso nas "coxas", a pagar a alguém para fazer seus trabalhos e teses. Isto acontece. É comum. Depois posam de sábios e, quando tomam conta do poder, a exemplo de FHC e seus assessores "geniais", fazem cagadas tão grandiosas como a do apagão elétrico de um ano e meio, ou afundam a maior plataforma de petróleo do mundo, como a P-36, ou ainda matam 19 trabalhadores no Pará a tiros de metralhadoras, cujo governador era do PSDB. Por isto temos tantos "especialistas" de prateleiras, mas que são intelectualmente tão comuns, além da má-fé intelectual, que se tornam fraudes e farsas de suas próprias imagens retratadas nos espelhos de suas casas. É de lascar, vei!

Agora, ser estadista requer compreensão das realidades e dos fatos históricos, que se apresentam e, consequentemente, governar para melhorar as condições de vida do povo, assim como desenvolver o País. Ser estadista é, sobretudo, cuidar do povo. Lula e Dilma, em seu primeiro governo, obtiveram resultados muito maiores e melhores do que os tucanos, seja em qualquer segmento e setor da economia e de atividade humana. Depois Dilma foi violentamente boicotada e sabotada por uma corja de malfeitores que dominaram o Congresso e tomaram de assalto a Presidência do Brasil.

Os números e os índices sociais e econômicos dos governos trabalhistas do PT são claros; e a História, que não é escrita, pesquisada e muito menos pensada por jornalistas empregados da imprensa de mercado certamente que vai pontuar os fatos e esclarecer a verdade. michel temer, o Coringa, deu um golpe que transformou o Brasil em terra sem moral perante a comunidade internacional, pois, apesar de ser a sétima maior economia do mundo, é mais bananeiro do que pequenos países africanos, asiáticos e sul-americanos. Uma verdadeiro crime, que envergonha qualquer cidadão que tem a mínima noção do que é ser civilizado.

Os crimes do Coringa e do Lex Luthor são muitos, dentre eles, o golpe de estado travestido de legítimo e legal. Vilões tem de ser presos. Eles não podem ficar a brincar de "terrorismo", publicizar a violência para chamar a atenção da comunidade internacional e dos coxinhas de classe média analfabetos políticos, que leem a Folha, a Veja, O Globo e assistem o Jornal Nacional sem o mínimo de senso crítico, a engolir barbaridades em forma de manipulações, distorções e mentiras, para depois repercuti-las como se verdades fossem. É o fim da picada e da imbecilidade. A idiotice em toda sua profusão e plenitude.

Essa dos "terroristas" do Luthor é de uma pantomima e de uma absoluta palhaçada "coringuiana", que transforma o Estado brasileiro, especificamente na área de segurança pública, em uma piada de mau gosto. O Lex Luthor, ele próprio, reconheceu, que não há grande periculosidade por parte dos "terroristas". "Eles são amadores" — sacramentou o Luthor, que, na verdade, queria fazer o governo golpista e usurpador aparecer na mídia internacional para mostrar serviço e, quem sabe, angariar simpatias para o golpe bananeiro e criminoso.

Todo mundo percebeu o golpe terceiro-mundista da "zelite" troglodita, menos a imprensa alienígena e mais corrupta e covarde do mundo, que é a que sonega impostos e vive do dinheiro público no Brasil e depois vem falar um monte de merda sobre a "competência" da iniciativa privada. Coisa dessa "zelite" provinciana e vira-lata, que não conhece o Brasil, mas conhece Miami e Orlando. "Lá ela abraça o Mickey para dar uma de Pateta". Adoro esta frase.

Torna-se insuportável ver essa gente de muito riso e pouco siso tomar de assalto a Presidência da República como se fosse bandoleiros ou piratas. michel temer é chefe interino de um governo pária, bastardo e covarde. Um governo não reconhecido, pois originário de um golpe de estado sofisticado, de forma que essa patranha bárbara pensa que engana a comunidade internacional e as forças legalistas e democráticas que atuam no Brasil.

michel temer e ministros ridículos e desprovidos de bom senso e senso crítico e intelectual, como o Alexandre de Moraes inviabilizam quaisquer acordos civilizados. O único acordo possível é o olho da rua para os golpistas. Ou seja, o Senado restabelecer a democracia, o Estado de Direito, a ordem constitucional e, principalmente, salvaguardar os votos soberanos de 54,5 milhões de brasileiros. Não se cassa os votos de dezenas de milhões de pessoas e ficar por isto mesmo.

Se o Senado e o STF permitirem que um golpe parlamentar, apoiado pela imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?!) e por juízes do naipe de Gilmar Mendes e Sérgio Moro, além de promotores da estirpe de Carlos Fernando e Deltan Dallagnol, viceje no País, aí, sim, é melhor fechar as portas e deixar essa gente coxinha tomar conta de vez, a rasgar a Constituição e fazer o Brasil, que nos últimos anos lutou para ser um País respeitado e influente, retornar à condição de republiqueta.

Uma "Banânia" vendedora de commodities e absolutamente dedicada a uma minoria que vai deitar e rolar, se formar nas universidades públicas, obviamente, e viver no exterior. A "zelite" bananeira continuará a aproveitar a mão de obra barata de um povo de joelhos e completamente ignorante sobre sua própria história. Talvez as madames de pendores rastaqueras retomem ou recuperem a pequena senzala, o quartinho de empregada, sem cumprir com os direitos trabalhistas de sua mucama.

Contudo, creio eu, que se Dilma Rousseff reassumir a Presidência de onde ela nunca deveria ter saído, aposto que os golpistas brucutus ficarão inteiramente desmoralizados. Vou mais além: os golpistas e traidores deveriam ser presos depois de processados. Livres de perseguição, coisa que eles fazem covardemente contra as autoridades que levaram um golpe de estado e hoje são alvos de perseguições atrozes, como as perpetradas contra Lula, Dilma, sem esquecer de José Dirceu.

E o deputado Eduardo Cunha e Cia. livres, leves, soltos e fagueiros. Um verdadeiro deboche e soco no estômago da sociedade, com a aquiescência e a cumplicidade absurda de juízes do STF, de juízes peerseguidores de primeira instância, procuradores partidarizados e delegados aecistas. O sistema judiciário completamente politizado e ideológico à direita. O alicerce e a base do golpe. O que o Coringa fez de desmontes e trapalhadas em apenas três meses no poder, vale por 12 anos de construção da infraestrutura brasileira e de efetivação de programas de inclusão social. Diametralmente oposto, lógico.

E os usurpadores ainda querem tirar onda com as Olimpíadas, que vão gerar quase R$ 3 bilhões. Os jogos que a direita jamais teria competência para trazer ao Brasil. Tanto é verdade que nunca trouxe. Quem trouxe foi o Lula, bem como a Copa do Mundo e outros eventos grandiosos, juntamente com a Dilma. Aliás, eventos boicotados e sabotados por coxinhas amarelões golpistas, pela mídia empresarial corrupta e entreguista e pelos demotucanos, que infernizaram as festas e os jogos, a financiar grupelhos fascistas como o MBL, o Vem pra Rua, dentre outros. Sabotagem é pouco, porque o Brasil e seu povo não precisam de inimigo externo e nem o teme. O inimigo é interno: a classe média coxinha e a casa grande.


A verdade única é a seguinte: michel temer não é o Flagelo de Gotham. O golpista e traidor é o Flagelo do Brasil. temer não efetivou uma única ação que beneficiasse o povo. Ele é testa de ferro da casa grande, da plutocracia e odiou ver pobre frequentar shoppings, aeroportos, restaurantes, universidades públicas, ser atendido por médicos, bem como ter direito à casa própria, à instrução escolar de boa qualidade nas universidades públicas e os investimentos obrigatórios no SUS e na Educação, a começar pelas centenas de escolas técnicas construídas pelos governos trabalhistas do PT. O Coringa e o Lex Luthor são vilões, conforme informações inequívocas do Batman e do Super-Homem. Lugar de vilões golpistas é na cadeia. É isso aí. 

Nenhum comentário: