CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

sábado, 13 de agosto de 2016

Aécio, o mega delatado, debocha: "Dilma cometeu ilegalidades" — 54 senadores rasgam 54,5 milhões de votos.



Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"Ninguém pode cometer crime impunemente. (...) A sensação de impunidade deixará de predominar". (Palavras absurdas e louquíssimas pronunciadas no Senado por Aécio Neves, o político mega delatado, no âmbito da Lava Jato, sobre Dilma Roussef, a presidente constitucional derrubada por um golpe criminoso terceiro-mundista, levado a cabo pelas oligarquias subdesenvolvidas e provincianas deste País, sem ter cometido crime de responsabilidade, além de não constar em quaisquer listas espúrias de construtoras, como acontece com o tucano golpista e derrotado legalmente pela petista em 2014).

"Ahahahahahahahahah!" (Gargalhada quase incontrolável do autor deste artigo, Davis Sena Filho, ao ouvir a pândega do tucano, ou seja, as palavras insensatas e surreais do senador Aécio Neves (PSDB/MG), que denotam, sobretudo, que a hipocrisia, o cinismo, a desfaçatez e a cara de pau são considerados por tal sujeito promotor de golpe de estado como virtudes humanas; realidade que, inquestionavelmente, não condiz com o caráter bom da grande maioria da Nação brasileira.

O deboche, o cinismo e a hipocrisia quando se juntam se transformam em escárnio. O resultado disso são as palavras do senador Aécio Neves (PSDB/MG) pronunciadas no Senado em prol do golpe contra a presidente Dilma Rousseff. Aécio é um playboy sem limites e sua vocação golpista está longe do fim, desde que o tucano não perca eleições.

Aécio Neves derrotado por Dilma Rousseff nas eleições presidenciais de 2014 esperneou igual a um menino chorão arrogante e prepotente que, perna de pau, pega a bola e põe debaixo do braço para encerrar o jogo como forma de retaliação, porque durante a partida ele não foi o centro das atenções, bem como seu time perdeu. Então, o despeitado e egocêntrico derrotado confisca a bola e vai embora, sem antes prejudicar os dois times, porque aquela era a única bola do jogo.

É exatamente com esta postura e conduta golpista que Aécio se apresenta à sociedade depois de ter perdido as eleições para o PT, assim como seu partido, o PSDB, onde militam sediciosos de toda monta e tipos. Contudo, o tucano playboy, que canta loas e boas à iniciativa privada e às privatizações, como faz todo membro da alta burguesia, sempre teve cargo público, desde muito jovem quando foi diretor da CEF, bem como no poder como governador, senador e deputado sempre fez do Estado seu esteio patrimonialista, de onde vem seu poder e influência.

Tanto é verdade que até aeroporto construiu em terras de seus parentes, além de ser um dos principais políticos golpistas responsáveis pelo golpe de estado travestido de legal e legítimo, assim como o indutor-mor da grave instabilidade político-institucional pela qual o Brasil está a passar e a sofrer desde 2013, quando os coxinhas saíram às ruas pela primeira vez para sabotar a Copa das Confederações, que por sinal foi um sucesso, pedir por "intervenção" (golpe) militar, além de insultar ferozmente a mandatária constitucional, assim como desejar sua queda do poder.

Aécio, sem dúvida, capitaneou o golpe e, consequentemente, tornou-se um dos principais responsáveis pela crise político-econômica propiciada pelo campo político e partidário da direita, do qual ele faz parte, que engessou o Governo Trabalhista de Dilma, que, por ter sido traída por sua base que se aliou aos demotucanos para dar um golpe criminoso, não conseguia mais tocar a administração federal. Aécio Neves é um dos pais do golpe parlamentar, midiático e jurídico. Como tal seu nome ficará guardado na lata de lixo da história.

Aécio Neves é um político mega delatado, sendo que controlou esquema milionário durante anos em Furnas, um propinoduto de grandeza, além de ser delatado por políticos como o cassado Delcídio do Amaral, por doleiros, a exemplo de Alberto Youssef, por executivos importantes da UTC, da OAS e da tucaníssima Andrade Gutierrez, além de seu nome constar na lista do construtor e empreiteiro preso, Marcelo Odebrecht, delação que, ao que parece, não interessa muito ao sistema judiciário politizado, partidarizado e de direita.

Não importa ao Judiciário porque há muitas razões de conveniência política, conforme se percebe por meio do pronunciamento do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da Lava Jato, pois sabedor que se a delação de Odebrecht for homologada (oficializada), ela implode o governo pária e de alma fascista dos golpistas e usurpadores controlado pelo PMDB, PSDB, DEM, PPS e PP. Como sempre observo, afirmo e repito: o Judiciário e seus operadores do STF, da PGR e da PF são os pilares principais do golpe. A história assim os definirá para sempre, como jogou na lixeira os nomes dos golpistas de 1964. Ponto.

Porém, mesmo assim os procuradores do MPF, delegados da PF e os juízes do Supremo teimam em blindar os demotucanos, que estão envolvidos com todas as construtoras e com as arrecadações criminosas oriundas de inúmeras estatais, a exemplo da Petrobras, Furnas, Eletrobras e os Correios, além das empresas públicas estaduais como a Sabesp e as companhias de trem e de metrô do Estado de São Paulo, assim como a Cemig e a Copasa de Minas Gerais, sem esquecer de citar a Sanepar e a Copel do Paraná, estado da Federação há anos controlado pelo PSDB.

O Paraná tucano de hoje se tornou lugar onde é comum massacrar professores grevistas e outras categorias de trabalhadores, conforme não deixam resquícios de dúvidas as fotos e os vídeos sobre tão violenta repressão — a marca do PSDB, que trata questões sociais e trabalhistas como casos de polícia.

Duvida? Então passe a observar o golpista Lex Luthor, do Ministério da Justiça, cujo nome é Alexandre de Moraes, ex-secretário de Justiça do governador Geraldo Alckmin, que, em São Paulo, botou para quebrar. Espere para ver a atuação desse sujeito de ares fascistas se *michel temer concretizar o golpe de estado bananeiro no fim de agosto. Todo governo ilegítimo e ilegalmente constituído cala seus adversários por intermédio da violência. Quem viver verá. 

E por que acontece tal proteção perniciosa e completamente antirrepublicana aos demotucanos? Não sei responder, a não ser que talvez certos togados consideram os trabalhadores, os contribuintes, os eleitores e os cidadãos brasileiros como idiotas. Acho que é isto: todos são idiotas para alguns juízes, delegados e procuradores, principalmente para os que trabalham na operação Lava Jato. Ou, quiçá, os cidadãos são considerados cegos, mudos, surdos e, principalmente, burros. Talvez seja por isso que os demotucanos são inimputáveis. Talvez...

Acho que essa gente do Judiciário acredita que ninguém está a ver as covardias, as perseguições, as seletividades e o golpe de estado bananeiro cometido por homens e mulheres que se vestem de preto — a cor do luto. É a marcha fúnebre para o fim da democracia que a banda toca, a despeito das realidades e das verdades que, seguramente, irão constar nas páginas isentas e imparciais da História do Brasil sobre a verdade do golpe de terceiro mundo, criminoso e covarde praticado pelos políticos de direita, togados, empresários e magnatas bilionários e sonegadores de impostos da imprensa de mercado.

Grupos de indivíduos ricos, brancos, misóginos, racistas, sectários, autoritários e politicamente conservadores, que se associaram para formar um consórcio golpista e de direita, que tem por finalidade derrubar uma presidente que não cometeu crime de responsabilidade, extinguir o PT e prender o Lula, ou, no mínimo, transformá-lo em pessoa inelegível, como já o é o Amigo da Onça, vulgo *michel temer (*o nome dessa peçonha é sempre escrito em minúsculo por se tratar de um pigmeu moral, político e citadino), além de ser o chefe de um governo pária e bastardo.

O governo do traidor e usurpador do poder é objeto dessas desqualificações pois edificado pela ilegalidade, ilegitimidade e a ter o retrocesso e o atraso como sua "ponte para o futuro" dos infernos para o povo brasileiro, porque seu "programa" é digno de um Drácula, já que retira direitos e garantias dos trabalhadores e beneficia os ricos para sedimentar seus interesses econômicos e de classe social. Duvida? Então trate de ler o "programa" do temer e de sua malta para você ter uma ideia de como com quantos paus se faz uma canoa para depois ouvir a jiripoca piar.  E é isto que vai acontecer. Ponto.

Trata-se, volto a ressalatar, de um golpe de direita sem precedentes, forjado por parlamentares, pela imprensa de mercado e pelo sistema judiciário, de forma que, após quase dois anos das eleições, a crise política recrudesceu e vai se radicalizar ainda mais se a presidente eleita, com 54,5 milhões de votos, ter seu mandato legítimo cassado por 54 senadores, aliados do golpista michel temer, bem como de Aécio Neves, político mau perdedor, autoritário e arbitrário. O tucano playboy jamais se conformou em perder para Dilma Rousseff, e, no dia seguinte à sua derrota, não saiu mais das ruas, a alimentar a sedição sempre em modo histérico, agressivo, desrespeitoso e, desditosamente, golpista.

A verdade é que a direita brasileira sabe que não ganha pelo voto as eleições de 2018 e resolveu tomar de assalto o poder por meio de um golpe com a carranca e o focinho terceiro-mundista, pois o semblante da casa grande. Um golpe "disfarçado" de legítimo e constitucional, o que não é verdade, pois criminoso e manipulado, porque não houve em momento algum a comprovação de que Dilma Rousseff tenha cometido crime de responsabilidade. Portanto, impeachment sem dolo é golpe, fato este que contraria os preceitos da Constituição de 1988.

Entretanto, nada importa para os golpistas, nem quando a mandatária golpeada foi isentada das acusações infundadas de ter cometido ilegalidades fiscais. O MPF considerou oficialmente que Dilma não cometeu "pedaladas", bem como a perícia do Senado. Antes, o Banco do Brasil isentou a mandatária trabalhista de ter cometido "pedaladas" no que é relativo ao Plano Safra. A resumir: Dilma não cometeu crime de responsabilidade, sendo que as acusações de ela ter cometido "pedaladas" ilegais partiram do PSDB, que, além de acusador e autor do processo sedicioso, indicou o relator da acusação, Antonio Anastasia, que é senador tucano.

Ou seja, o PSDB é o maior interessado no processo de derrubada de uma presidente constituída legalmente e legitimamente e ainda nomeia o relator que dá o golpe de misericórdia. Inacreditável. Para ficar mais surreal ainda do que um quadro pintado por Salvador Dali, o relator Anastasia, quando governador de Minas Gerais, foi considerado o campeão de pedaladas fiscais entre todos os governadores de sua época. Além disso, o tucano golpista é aliado do derrotado Aécio Neves, que, ora veja e quanta coincidência, o indicou para a relatoria que recomendou o golpe contra Dilma Rousseff para ser votado no plenário do Senado.

Agora vamos lá, no sentido de perguntar aos varões de Plutarco da Lava Jato sobre o porquê de o senador Aécio Neves, seus parceiros e aliados serem praticamente inimputáveis e não responderem pelas seguintes acusações, a seguir:

1) Mensalão do PSDB mineiro jamais julgado, além de 11 anos engavetado. Quantia de R$ 10 milhões desviada para a campanha de Eduardo Azeredo a governador; 2) Construção de aeroporto em fazenda de parente, no município de Cláudio; 3) Propina em obras da Cidade Administrativa, segundo Leo Pinheiro da OAS; 4) Acusação de desvio das verbas da saúde mineira: R$ 7,6 bilhões, sendo que tal fato foi publicado no TCE de Minas; 5) Caso Cemig/Investminas/MO Consultoria, sendo que esta última era empresa de fachada do doleiro Alberto Youssef, velho conhecido íntimo dos tucanos, como sabe muito bem o juiz Sérgio Moro; 6) Favorecimento a veículos de comunicação da família Neves por parte do Governo Estadual; 7) Nepotismo a favorecer a família Neves em Minas; 8) Obra em rede elétrica realizada pela Cemig que corta as terras da família de Aécio Neves, sem, no entanto, cobrar R$ 240 mil aos proprietários, o que fica claro que as regras da estatal mineira não foram cumpridas; e

9) Entre os anos 2004 e 2005, o governo de Aécio Neves em Minas Gerais pagou cerca de R$ 27 milhões às agências do publicitário Marcos Valério, que foi punido com prisão pela Justiça. Aécio governou Minas entre 2003 e 2010. Até hoje a documentação (contratos, notas fiscais e extratos) entre o Governo Aécio e Marcos Valério está engavetada e sem andamento no Conselho Superior do Ministério Público de Minas, segundo a promotora Elizabeth Villela. A promotora é responsável pelo inquérito e afirmou que enviou os documentos para o Conselho.

Marcos Valério é o personagem central dessa história, e em julho anunciou, por intermédio de seu advogado Jean Robert Kobayashi Júnior, que estaria disposto a fazer um acordo de delação premiada. A resumir: Valério resolveu abrir a boca sobre o Mensalão do PSDB e os contratos com o Governo Aécio Neves. Agora, adivinhe o que aconteceu? Quem acertar ganha um doce. O MP de Minas até hoje não se interessou em assinar um acordo de delação com o Marcos Valério. Por que será?

A minha suspeita é porque os tucanos são inimputáveis ou porque o Código Penal e a Constituição deles são à parte de toda a população brasileira ou porque eles são inatingíveis como os deuses. Acho que é por causa disso. Não porque os tucanos sejam protegidos e blindados por juízes, procuradores, promotores e delegados, que resolveram se juntar aos golpistas do Congresso, da Fiesp e da imprensa de negócios privados para sacramentar um golpe de estado bananeiro travestido de legal e legítimo contra o PT e suas principais lideranças. O que o leitor acha? Com a resposta, o leitor.

Agora vamos a pergunta que se recusa a calar: E se a pretensa delação de Valério em relação, por exemplo, a Aécio Neves fosse contra o Lula ou a Dilma? Será que os promotores do MP mineiro fariam corpo mole, não se interessariam pela dedoduragem ou simplesmente deixariam o publicitário apodrecer na cadeia? Se fosse o PT, os inquéritos contra Lula ou Dilma ficariam à mercê de cupins nas gavetas do MP, como acontecem com os inquéritos sobre as ações de Aécio Neves quando governou Minas? Com a resposta, o Conselho Superior do Ministério Público.    

Não é má vontade com o MP, a PGR, o STF, o TSE e a PF de minha parte. O problema é que contra os fatos não há argumentos. Fatos são realidades que acontecem ou aconteceram. O fato é intrínseco ao tempo; e o tempo é o relógio da história e da verdade, que mais cedo ou mais tarde aparece. Não tem jeito. É bíblico: "Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia (Marcos 4:22).

O golpe de estado terceiro-mundista que envergonha e humilha o Brasil, porque o transforma em um republiqueta das bananas, apesar de seu poder e de sua importância em âmbito internacional, pois um País industrializado, com um mercado desenvolvido com mais de 200 milhões de pessoas, além de ser a sétima maior economia do mundo. Um País que passou a ser admirado e respeitado em termos diplomático, a efetivar uma política independente ao tempo que solidária e não alinhada aos interesses dos Estados Unidos, apesar de manter o país yankee como importante parceiro comercial e geopolítico.

Humilhação total, porque assumiram o poder central uma escória bárbara e selvagem, esfomeada para pilhar o Brasil como se fossem piratas ou bandoleiros, com desejo indomável de desmontar o Estado nacional e extinguir tudo o que foi edificado e conquistado nos governos trabalhistas do PT, que fizeram uma revolução social e econômica silenciosa, sem dar um tiro ou espancar trabalhadores.

Os unos chegaram ao poder por meio de um golpe traiçoeiro e violento, porque derrubaram uma presidente constitucional que recebeu do povo brasileiro 54,5 milhos de votos. Aécio Neves tem grande responsabilidade e culpa pelo golpe terceiro-mundista, que tem a cara da casa grande plutocrata brasileira. A casa grande pária e bastarda e até agora isoladas pelas autoridades internacionais, que perceberam que o atraso e o retrocesso tem nome e endereços, que são as residências das oligarquias deste País.

Aécio Neves é golpista e a história o vai considerar pelo o que ele realmente é e foi. Ponto. Sua fala no Senado foi um deboche e um escárnio contra a inteligência alheia, com a cumplicidade da Justiça. A verdade é a seguinte: 54 senadores rasgaram 54,5 milhões de votos concedidos legalmente e democraticamente à Dilma Rousseff.

Se prenderem Lula e os tucanos implicados em todo tipo de corrupção e delação premiada continuarem livres, leves e soltos por causa da impunidade seletiva, realmente é melhor fechar o STF, a PGR e o Congresso e transformar o Brasil em um verdadeira e autêntica ditadura controlada pelo Executivo. Só que desta vez, em 2016, o ditador é civil.

Cinismo, hipocrisia, deboche e seletividade têm limites, e certamente como párias bárbaros que são os golpistas serão tratados, mesmo que por força do sistema econômico mundial os governantes estrangeiros tenham que se reportar aos unos, aos selvagens usurpadores da casa grande escravocrata brasileira.

Quando Aécio Neves disse no Senado que "Ninguém pode cometer crime impunemente. (...) A sensação de impunidade deixará de predominar", realmente o cinismo, a hipocrisia e o deboche bateram o recorde mundial e olímpico, já que estamos em época de jogos olímpicos. Jogos conquistados por Lula e edificado em termos de infraestrutura por Lula e Dilma.

A verdade é que a sensação de impunidade vai perdurar, além de o povo saber que tem políticos, principalmente os tucanos, que continuam livres porque podem cometer crimes. Tanto é verdade que não tem um único demotucano preso, como também os políticos do PMDB que renunciaram aos ministérios estão impunes, mesmo após terem seus diálogos conspiratórios repercutidos pela imprensa mercantil. Aécio Neves é o mega delatado e debocha da cara do povo quando fala em impunidade e crime. Esta é a democracia que a casa grande quer. É isso aí.

Nenhum comentário: