CEZAR CANDUCHO

sábado, 3 de setembro de 2016

*temer entrou na história como golpista. Gol-pis-ta! — Não haverá reunificação e nem repacificação no Brasil.

Resultado de imagem para temer golpista
*TEMER, O GOLPISTA, FEZ JURAMENTO. ELE JUROU QUE VAI VENDER O BRASIL, GOVERNAR PARA OS RICOS E TIRAR OS BENEFÍCIOS E OS DIREITOS DO POVO BRASILEIRO PARA FAVORECER OS MERCADOS.


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

*michel temer, o constitucionalista golpista, que traiu a presidente eleita com 54,5 milhões de votos para usurpar o poder máximo da República e, consequentemente, impor o programa draconiano e neoliberal do PSDB-DEM, da Febraban, da Fiesp e de Wall Street, é um sujeito, sem sombra de dúvida, golpista. Gol-pis-ta!

Seu pronunciamento ao lado de duas personalidades lamentáveis, a ombrear-lhes na Salão Oval da Presidência da República, é algo dantesco, surreal, fora de lugar e de tempo, pois se trata de repetição de um golpe, como ocorreu em 1964. *temer é um presidente fraco, traiçoeiro e covarde, porque simplesmente ilegítimo, além de ser um dos líderes de uma sedição que, em futuro não tão longe, constará nas páginas da história como golpe, e bananeiro.

Sua imagem ao dizer que não houve golpe, ao lado de Alexandre de Moraes, o Lex Luthor paulista, e de Eliseu Padilha, o gaúcho que envergonha os homens históricos, nacionalistas e libertários do Rio Grande do Sul, reflete o quão esse indivíduo não tem compromisso com a verdade, com a democracia, com o Estado de Direito, com os interesses estratégicos do País e com a emancipação do povo brasileiro, notadamente com a população mais pobre.

O discurso do político golpista, cercado por lesas-pátrias igualmente envolvidos com o golpe terceiro-mundista e essencialmente predatório, trata-se de um sinal, inequívoco, de que os grupos políticos e econômicos que assumiram o poder central, sem a legitimidade e a legalidade do voto popular, estão dispostos a quaisquer ações para que o golpe seja consolidado e, com efeito, essa gente colonizada e fantoche dos grandes conglomerados econômicos internacionais efetive o desmonte do Estado nacional, por meio da entrega das estatais brasileiras e o fim de projetos estratégicos, como o Pré-Sal e a construção, através da exigência da política de conteúdo, de aviões supersônicos e submarinos nucleares.

Políticas econômico-financeiras de arrasa-quarteirão vão vicejar neste País azarado, por viver nele uma das "elites" mais perversas, mesquinhas e alienígenas do mundo, pois completamente avessa à independência do Brasil e à autodeterminação de seu povo. Trata-se, sobretudo, de uma burguesia desprovida de projetos e de programas para o Brasil, porque jamais, no decorrer da história, esses grupos ricos e hegemônicos jamais pensaram o Brasil.

Tanto é verdade que essa gente, sem eira nem beira, nunca criou nada, nem mesmo o "Sistema S" (Sebrae, Sesi, Senai, Sesc, Senac etc.), que os empresários há décadas tomaram conta, mas que foi criação do estadista Getúlio Vargas, que, por sinal, político trabalhista. Mais uma prova de que a direita não cria nada em prol do desenvolvimento do País, pois de índole mesquinha e alma predadora, como deixa claro e transparente o programa do usurpador Amigo da Onça, vulgo *michel temer.

Tal "programa" recebeu o nome de "Uma Ponte para o Futuro". Uma "ponte" que, na verdade, não chega a lugar nenhum, porque o fim dela termina em um precipício para os trabalhadores e a sociedade em geral se esborrachem no chão, pois a intenção da direita golpista é entregar o Brasil e limitar os benefícios sociais e os direitos previdenciários e trabalhistas conquistados pelo povo desde os tempos de Getúlio, Jango, Lula e Dilma — políticos trabalhistas que desenvolveram o País, assim como respeitaram e beneficiaram o povo brasileiro. 

Nem este sistema os empresários tiveram a responsabilidade de criar, apesar de adorarem se beneficiar do "Sistema S", bem como do dinheiro público captado pelos "S". Os donos do capital também gostam muito de pedir empréstimos ou serem "salvos" quando suas empresas quebram pelos bancos públicos sustentados pelos contribuintes, ou seja, pelo trabalho de milhões de trabalhadores.

Muitos empresários se comportam como verdadeiros parasitas, porque privatizam o lucro e socializam seus prejuízos com a sociedade, que injustamente tem de arcar com a irresponsabilidade e com a inaptidão e a irresponsabilidade dos endinheirados. São incompetentes, sem generalizar. Depois ficam a cantar, hipocritamente e cinicamente, loas e boas à iniciativa privada, como o faz, sistematicamente, o grupo de "especialistas" e "comentaristas" de economia da imprensa de mercado, notadamente os empregados e associados das Organizações(?) Globo, oligopólio midiático que deveria, na verdade, privatizar-se, porque vive há décadas do dinheiro público. Durma-se com um barulho desse.

Todo esse processo predatório efetivado pela direita tem como propósito impor a cartilha diabólica do neoliberalismo, que, a partir do Consenso de Washington, de 1989, impôs ao mundo, inclusive aos países desenvolvidos, políticas econômicas de concentração de renda e de riqueza que, no decorrer da década de 1990 até o início o século XXI, assombraram inúmeras nações, que ficaram à míngua e empobreceram. E deu no que deu: a maior e mais grave crise da história em âmbito mundial, maior, inclusive, do que a crise de 1929, até porque hoje o mundo é globalizado.

O empobrecimento mundial veio a galope. E por quê? Porque as economias dos países praticamente faliram, foram à bancarrota, para que banqueiros, os grandes trustes internacionais e as plutocracias nacionais e estrangeiras pudessem se locupletar com o trabalho dos trabalhadores do mundo inteiro, bem como com as riquezas naturais e os mercados internos de inúmeros países, a exemplo do Brasil, da Argentina, do México e da Venezuela, países ricos, mas com povos pobres.

Todos esses países, dentre outros, faliram e ficaram desprotegidos, porque expostos aos ditames do FMI, do Bird, do BID, da OMC, do BCE e do FED, os dois últimos os bancos centrais da União Europeia e dos Estados Unidos. Não vai demorar muito para que o Brasil volte para as garras do FMI. *temer e o ministro golpista da Fazenda, Henrique Meirelles, têm dois anos e quatro meses para submeter novamente o Brasil à colonização, porque são agentes internacionais dos interesses da plutocracia. Meirelles é hoje, sem dúvida, um dos mais importantes agentes da banca internacional, até porque o golpista é ministro da Fazenda da sétima maior economia do planeta. Só isso; ou querem mais?

A verdade é a seguinte: os países ricos vão implantar o "duto" da exploração e da pirataria e, com efeito, voltar a sugar as riquezas brasileiras, pois o propósito é amenizar suas crises econômicas e financeiras. Era o que sistema de rapinagem dos países ricos fazia desde a queda de João Goulart, mas deixaram de fazê-lo com tanta brutalidade por causa da ascensão ao poder do nacionalista e trabalhista Luiz Inácio Lula da Silva, com a continuação de Dilma Rousseff. O golpe, antes de quaisquer interesses, tem a finalidade de transferir as riquezas do Brasil para o exterior e para a burguesia brasileira. Este é o foco principal. Ponto.

Os grupos políticos e partidários de direita apoiados pelo sistema judiciário brasileiro, pela imprensa de negócios privados dos magnatas bilionários e pelos empresários da Fiesp se uniram para dar um golpe de estado travestido de legal e legítimo em Dilma Rousseff e seus 54,5 milhões de eleitores. Um golpe realizado com competência e que realmente teve "forma", porque se enquadrou em um "rito" jurídico e parlamentar, como alegam os golpistas e os traidores do povo brasileiro.

Porém e apesar da "forma", o golpe bananeiro, com a cara e o espírito (de porco) da burguesia nacional, perversa e provinciana, é totalmente desprovido de conteúdo. Explico: apesar do rito e da forma, comprovou-se que não houve crime de responsabilidade, assim como as alegadas "pedaladas" fiscais se transformaram nas principais ferramentas para dar início ao golpe. Se não há dolo não existe crime. Portanto, impeachment sem crime é golpe, com reza a Constituição.

Por seu turno, o que mais chama a atenção de quem observa a política brasileira é a cara de pau dessa galera golpista, que fica a pensar que todo mundo é idiota ou burro. Rejeitado pela maioria do povo brasileiro em quatro eleições consecutivas, o programa neoliberal de tais ainda vai ser objeto de muita reação por parte da sociedade organizada, que já está a ser reprimida duramente nas ruas, como comprovam e mostram as imagens veiculadas pela internet e censuradas ou repercutidas em parte pela imprensa golpista dos magnatas bilionários.

Os golpistas agem e se conduzem como se estivesse tudo normal, pois tratam o golpe de estado como se fosse muito natural. Um golpe travestido de legal e legítimo, sendo que *michel temer, seu grupo palaciano e suas lideranças no Congresso são os principais golpistas de incontáveis golpistas, que participaram de tamanha farsa jurídica e parlamentar. A verdade nua e crua é que o Amigo da Onça, um dos maiores traidores da história do Brasil, é um sujeito que sentou na cadeira da Presidência sem ter autoridade moral, política e eleitoral para tanto.

*temer é irremediavelmente um mandatário ilegítimo, porque não foi eleito para trair e muito menos implementar o programa digno dos dentes de um Drácula, que é o programa neoliberal do PSDB de José Serra e Cia. Serra é um derrotado, porque suas propostas quando candidato à Presidência foram derrotadas, bem como de outros tucanos do naipe entreguista e elitista de Geraldo Alckmin e Aécio Neves — o mau perdedor —, que se insurgiu ao resultado legítimos das urnas, que incendiou o País e que, após a queda de Dilma, evidenciou todo seu cinismo e escárnio contra a legalidade constitucional e institucional em seus mórbidos e medíocres pronunciamentos.

A verdade é que vai haver mobilização contra as perdas dos direitos trabalhistas e previdenciários, além de resistência contra a entrega das estatais brasileiras por parte da burguesia tupiniquim e inquilina da casa grande, que odeia o Brasil e seu povo, mas que adora ser pária e bastarda no mundo, pois subserviente, subalterna, sectária, preconceituosa, além de antinacionalista e antirrepublicana.

Como dizia o poeta Cazuza: "A burguesia fede; a burguesia quer ficar rica; enquanto houver burguesia, não haverá alegria!" Todos às ruas, porque sem justiça não há paz. Impeachment sem crime é golpe. Em um país de tradição democrática e maduro politicamente, os golpistas seriam presos, a começar pelo *temer golpista! É isso aí.

*michel temer - O nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um golpista e pigmeu moral, político e citadino. Tal sujeito é também conhecido pela alcunha Amigo da Onça — o Traidor Usurpador.

*temer: vossa excelência já consta na história como golpista. Gol-pis-ta! Não haverá reunificação e nem repacificação no Brasil. Golpe é crime. Quem comete crime é criminoso. *temer entrou no Palácio do Planalto pela porta dos fundos e vai sair pela porta dos fundos.

Nenhum comentário: