CEZAR CANDUCHO

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Inquisição do MP caça Lula e sem provas — O domínio do fato sob o fanatismo de procuradores e juízes.

Resultado de imagem para lula lá


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

"Apesar de formalmente justificados os recursos recebidos por {por Lula}, a título de palestras proferidas no exterior, a suspeita, derivada inicialmente das notícias jornalísticas, era que tais contratações e pagamentos, em verdade, prestavam-se tão somente a ocultar a real motivação da transferência de recursos da Odebrecht para o ex-presidente Lula" — diz documentado elaborado por procuradores do MP do DF. Documento que teve por base, sem dúvida, matérias da imprensa de mercado deste País, inimiga histórica do PT e de Lula, além de ser a mesma que, junto com o Judiciário e o Congresso, liderou no Brasil mais um golpe de estado terceiro-mundista, neste fatídico ano de 2016.

Procuradores, juízes e policiais federais ignorantes sobre o processo político e sobre política, bem como, por serem técnicos e não vivenciarem a vida partidária, não compreendem, de fato, o que é um governo de coalizão. Até simples atos administrativos os presidentes Lula e Dilma foram criminalizados por má-fé e também por ignorância sobre como se faz política, em governos de coalizão, que traduz a centenária forma de fazer política neste País.

Governos de coalizão, não somente os de Lula e de Dilma, como o do atual governante ilegítimo, a exemplo do usurpador *mishell temer e do golpista Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal I —, em passado recente, repartem a administração do Estado nacional para que o presidente da República possa ter maioria no Congresso e aprovar seus projetos e diversas e variáveis demandas governamentais.

Esta era e ainda é a forma de se fazer política no Brasil desde a fundação da República, em 1889, pois até hoje se procrastinou a verdadeira reforma política, plena e ampla, pois o que se viu até este momento foram emendas, paliativos, como a proibição de financiamento privado às campanhas eleitorais, o que favoreceu, amplamente, as eleições de candidatos milionários e recrudesceu o poder econômico, sendo que nas capitais brasileiras quase dez eleitos são políticos realmente muito ricos e totalmente compromissados com o ultraliberalismo econômico, a exemplo do coxinha João Dória, que já anunciou até a privatização de parques e estádios públicos. Até parques...

Entretanto, estou a comentar sobre os  procuradores obsessivos por Lula e pelo PT, que fazem denúncias sem provas e vazias, bem como partem para acusar e denunciar por "convicção", o que denota que não há materialidade que comprovam os crimes imputados a Lula. Por isto os procuradores estão sendo denunciados no exterior pelos advogados de Lula e por setores legalistas e democráticos da sociedade brasileira, que consideram o Brasil ser um País que já vive em regime de exceção.

Não sei como os golpistas e os usurpadores do poder ainda não partiram para a repressão policial sistemática. Porém, acho que não reprimem com força os movimentos sociais pelo simples fato de ainda não terem conquistado o espaço necessário para cometerem arbitrariedades, por meio de ações burocráticas do Judiciário, assim como a autorização para efetivar a repressão em forma de violência física contra seus "inimigos", que pertencem à oposição partidária e à sociedade civil organizada, que foram derrubadas do poder por força de um golpe de estado travestido de legal e legítimo, que teve a plena participação de juízes, procuradores e delegados da PF.

Por sua vez, a violência institucional foi colocada em prática há algum tempo, a partir da não aceitação da derrota eleitoral por parte do senador tucano e golpista, Aécio Neves, o político que deu início a todo esse processo criminoso, que, em apenas dois anos, deteriorou a economia  brasileira, a dar como exemplo simbólico o Rio de Janeiro, que dependia dos royalties da Petrobras e de suas subsidiárias, além da indústria naval responsável pela construção de navios cargueiros, plataformas de petróleo, além de construir submarinos nucleares.

O dinheiro sumiu, porque ao invés de o Judiciário combater os corruptos e preservar as empresas e garantir desenvolvimento e emprego, optaram, maquiavelicamente, por paralisar os investimentos das indústrias e, consequentemente, fazerem política para enfraquecer o Governo Dilma e o PT, alvos da direita brasileira, que almejava conquistar o poder por um golpe de estado jurídico-parlamentar-midiático, o que aconteceu.

O propósito era enfraquecer a economia, de forma tão radical que ficasse fácil propagar à sociedade brasileira que a única saída é o Estado mínimo por intermédio das privatizações. O mesmo filme irresponsável, draconiano, perverso, colonizado e entreguista dos governos desditosos e sombrios de Fernando Henrique Cardoso — o Príncipe Golpista da Privataria e também conhecido como o Neoliberal I.


Toda esta engrenagem desenvolvimentista dos governos petistas e que foi praticamente destruída, ainda tinha a importante participação de empreiteiras brasileiras, gigantes de expressão mundial, que foram destruídas por irresponsáveis do Poder Judiciário, da grande imprensa parceira do capital internacional e de políticos de direita, golpistas, alienados, com bagagem intelectual minúscula e sem quaisquer compromissos com o desenvolvimento do Brasil e a emancipação de seu povo.

É neste contexto extremamente perverso e instável que acontece a queda de Dilma Rousseff, por meio de um golpe bananeiro, e a perseguição brutal a Lula. Dois episódios bárbaros promovidos por servidores públicos do Judiciário pagos pelo contribuinte a pesa de ouro. Em nome do combate à corrupção tais atores politicamente conservadores se infiltraram equivocadamente na política, porque  perceberam um espaço vazio, sendo que quando há espaço ele é imediatamente ocupado,

Até então os ataques diuturnos, violentos e covardes perpetrados contra o Governo Dilma eram lançados pelo Congresso — o mais conservador e intelectualmente sofrível da história do Brasil — e pelas mídias pertencentes aos magnatas bilionários da imprensa de mercado. Diga-se de passagem, a imprensa mais corrupta, mentirosa e manipuladora de que se tem notícia no mundo "civilizado". Uma imprensa de histórico golpista e que combate sem dar trégua a todo mandatário trabalhista ou socialista que, porventura, conquiste a Presidência da República no Brasil.

Ao perceberem o espaço político vazio por causa do enfraquecimento do Governo Trabalhista, servidores públicos do Judiciário, aliados e pontas de lanças da casa grande burguesa, passaram a ocupar os espaços e, com efeito, a intervir de maneira sem precedentes na política, a judicializá-la para criminalizá-la e engessar quaisquer movimentações administrativas e políticas por parte de Lula e Dilma Rousseff. Até atos administrativos simples foram criminalizados, conforme já relatei, ou seja, o Direito passou a ser usado com má-fé e forma de opressão para servir de instrumento político, partidário e ideológico contra o inimigo a ser derrotado e abatido. No caso, o PT e suas lideranças.

O Brasil está a repetir as perseguições da ditadura de 1964. Mais do que isto: procuradores, delegados e juízes reinauguraram o macartismo no Brasil, que, igualmente ao que aconteceu nos EUA da década de 1950, estão a efetivar uma política radical de combate ao PT, aos partidos de esquerda, às lideranças populares, aos movimentos sociais, às conquistas sociais e econômicas dos últimos 13 anos, ao estado nacional e seu patrimônio estatal, e, principalmente, ao Lula e à Dilma.

Políticos de esquerda e politicamente ainda vivos, e, apesar das covardias, perseguições e arbitrariedades sofridas, ainda são lideranças portadoras de milhões de votos e, por causa desta realidade, suas imagens precisam ser impiedosamente destruídas, desconstruídas e desqualificadas. Dessa forma esse processo sórdido e maquiavélico está a ser feito pelo consórcio de direita formado pelos Judiciário, Congresso, imprensa meramente mercantil e agora pelo Executivo, cujo presidente, o *mishell, não tem voto e por isto mesmo não se sente compromissado com o povo, o País e, evidentemente, com as corporações nacionais, estrangeiras e seus respectivos governos, a exemplo dos EUA e da Europa Ocidental.

*mishell é chefe de um governo pária e bastardo, além de ser subalterno ao tacão ultraliberal do PSDB, à frente o FHC — o Neoliberal I —, que o recebeu recentemente com a presença de Gilmar Mendes, do PSDB de Mato Grosso, juiz de direita e que há anos criminaliza os governos petistas em prol de derrubá-los, como aconteceu com a presidente constitucional, Dilma Rousseff, reeleita legalmente e legitimamente, que ora está a ver a patifaria que os novos "donos" do poder estão a fazer com o pequeno estado de bem-estar social criado pelo PT e seus dois presidentes, no decorrer de apenas 13 anos.

O usurpador e golpista *mishell foi pedir a benção a *FHC — o Neoliberal I, e, como já relatei, com a presença de sua herança maldita, o juiz Gilmar Mendes, que fez a infernal "Uma Ponte para o Futuro" para que ambos golpistas conversassem, como desmontar o Estado e realizar estratégias para elegerem um tucano em 2018, além de viabilizar a cassação de Dilma no TSE, sem punir, entretanto, o *mishell, que, inacreditavelmente, poderá ser "salvo" pelo Gilmar Mendes mesmo o usurpador ter sido vice-presidente na chapa da mandatária trabalhista. A hipocrisia e a vilania se tornaram e sempre foram a praxe das atuais autoridades golpistas brasileiras.

A verdade é que *mishell, o traidor e usurpador desprovido da autoridade soberana do voto, foi dizer a *FHC que vai atender aos anseios dos tucanos quanto ao jogo político e eleitoral, à economia e às finanças e impor a agenda ultraliberal ao País, mas que, sobretudo, o PSDB, um partido realmente de direita e completamente entreguista, antinacionalista e antirrepublicano, não retire seu apoio no Congresso e na imprensa burguesa e alienígena.

Afinal, todo mundo percebe e sabe, inclusive os recém-nascidos, os coxinhas analfabetos políticos e os extraterrestres, que os tucanos são blindados pela imprensa porta-voz da plutocracia e também pelo Judiciário, à frente a Lava Jato do juiz de primeira instância, Sérgio Moro, da republiqueta Banânia de Curitiba — a capital do golpe bananeiro e terceiro-mundista.

A carranca, o focinho e a alma das "elites" brasileiras, em forma de powerpoint manipulador, mentiroso e vazio de provas, que tem por objetivo — e somente este — prender o Lula ou deixá-lo inelegível para as eleições de 2018, porque o combate à corrupção se tornou há muito tempo apenas um detalhe ou não vem ao caso. O Judiciário faz política, antes de tudo e qualquer coisa. A péssima política, diga-se de passagem, praticada por gente que disputa poder, a querer a mandar na governança, sem se submeter às urnas. Trata-se do fim da democracia, como a definida pela Constituição de 1988. Ponto. A ocupação do espaço político por parte de togados é surreal. Somente pode acontecer em um País terceiro-mundista e ocupado por uma casa grande que faz do retrocesso e do atraso seu  programa de governo e projeto político.

Um país tão atrasado onde parcela dos pobres é de direita, servidores públicos são privatistas, incontáveis mulheres da pequena burguesia e da burguesia são machistas e coxinhas são coxinhas, porque um ser realmente coxinha como o juiz Catta Preta do DF, por exemplo, diz coisas irresponsáveis e levianas, como considerar que um golpe contra uma presidente legalmente eleita, que não incorreu em crime de responsabilidade e recebeu 54,5 milhões de votos, poderia ser uma coisa boa.

Para Catta Preta, conforme seu facebook, talvez com outro governo (*mishell) viajar para Miami ficaria mais fácil e barato, sendo que, no decorrer do governo Lula e no primeiro governo de Dilma, quando ainda não a sabotavam com as pautas-bombas para engessar as atividades governamentais e legislativas, nunca os brasileiros viajaram tanto para a Miami, Orlando, Nova York e Los Angeles, fora as principais capitais europeias da banda ocidental da Europa.

Viajaram às centenas de milhares, com o consumo em alta e o crédito aberto à população, coisa que nunca se viu no Brasil, ao ponto de o presidente Obama facilitar a entrada de "brazucas", a maioria coxinha de classe média, que depois foi para as ruas apoiar mais um golpe de estado, como sempre fizeram no passado. Tais sujeitos se refestelaram tanto, que deixaram bilhões de dólares a cada ano que viajavam para os EUA, um recorde de chamar a atenção das autoridades estadunidenses, de forma que, na época, a combalida economia yankee pudesse receber tão importante "ajuda" e movimentar seu poderosíssimo mercado interno.

Movimentar principalmente em Flórida, Nova York e Califórnia, onde a brasileirada mais colonizada do planeta adora ir para se divertir e se achar "chique" e "vip", o sonho de se separar da massa, ao tempo que odeia os pobres do Brasil e participa efetivamente do crime de golpe de Estado de 2016, que, visivelmente, tem por objetivo retirar direitos e benefícios do povo brasileiro, além de apoiar a venda do Brasil, como se o País de língua portuguesa não tivesse importância mundial e nem o desejo de se desenvolver e ser independente. Ou como disse o Dias Toffoli, juiz do STF, que de uns tempos para cá ele ficou mais "liberal".

Como assim cara pálida? Um juiz de alta Corte apoiar a alienação dos bens públicos e o fim dos programas sociais de inclusão social, que abrangem desde o premiado e reconhecido, internacionalmente, Bolsa Família até o Luz para Todos e o Fies, que é parte de um conjunto formado pelo ProUni, Pronatec, Ciência sem Fronteiras, Sisu e o espetacular Enem, que incluiu os pobres, negros e nordestinos nas universidades públicas, além de ter dado um freio no bilionário mercado dos cursinhos e das escolas estilo "papai pagou, filhinho passou".

Agora, tanto na educação quanto na saúde este governo pária e subalterno ao mercado, vai ressuscitar a saúde e a educação como setores para apenas se ganhar muito dinheiro. É a volta triunfal do "quem pode, pode; quem não pode se sacode", como deixou claro e sem deixar dúvida o direitista e veterano deputado paulista e golpista, Nelson Marquezelli (PTB/SP), que disse, em entrevista fortemente repercutida na internet, que quem quiser estudar que se vire para pagar. Não puder, que não estude. Este sujeito de palavras pérfidas e sórdidas é a cara da casa grande de índole escravocrata, bem como o portador do espírito de porco. Durma-se com um barulho desse.

O golpe foi para isto: tirar do pobre e dar para os ricos — os que já tem muito e não precisam do estado como indutor do desenvolvimento e mediador dos interesses do que é público e privado. Marquezelli é pecuarista rico e foi filiado à Arena e ao PDS da ditadura militar, além de ser exemplo acabado de como pensa a burguesia brasileira e o que ela deseja e quer: privilégios e benefícios para poucos e mão de obra barata para os empresários do campo e da cidade.

A intenção é ter, inclusive, a classe média coxinha a servi-la, mas com seu salário achatado, como o fez *FHC — O Neoliberal Golpista I — em seus dois governos fatídicos e cinzentos, quando deixou os trabalhadores do serviço público oito anos sem aumento salarial. Um tempo terrível e, ao que parece, esquecido pelos coxinhas do pato amarelo corrupto e fãs de um fascista do quilate de Jair Bolsonaro, o valentão, o durão, que só faltou levar mamadeira para seu filhinho que quase desmaiou em pleno debate, pois candidato derrotado à Prefeitura do Rio de Janeiro. Seria cômico se não fosse trágico...   

Por sua vez, pois não esqueci do tema, os juízes Catta Preta e Dias Toffoli são autores de dois episódios, que são emblemáticos, apesar de o serem fúteis e dissociados da dura realidade do povo brasileiro, no que tange às desigualdades. É sinal que o juiz de primeira instância de Brasília e o juiz de "última" instância da Corte Suprema, além das preocupações relativas ao Direito, eles também se preocupam com política e economia, não mais restritos a seus pensamentos ou opinativos juntos a amigos e colegas de trabalho.

Os capas pretas agora fazem questão de demonstrar e compartilhar suas aptidões, lados, escolhas, opções e preferências em público, de preferência a ter a imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?!) como disseminadora de suas opiniões e crenças. Por isto que temos juízes como Gilmar Mendes, o Luiz Fux e o Sérgio Moro, só para ficar nesses três, porque são incontáveis, até temos outro exemplo dos péssimos e vários exemplos, como o protagonizado pela juíza do STF, Rosa Weber, no julgamento do Mensalão do PT, porque, obviamente, o do Mensalão do PSDB até hoje não foi julgado.

A magistrada, inacreditavelmente, afirmou: Não tenho provas contra Dirceu, mas vou condená-lo porque a literatura assim me permite". E o que a permitiu a ser tão irresponsável com seu ato persecutório? Respondo: a teoria do domínio do fato, que tem por finalidade, inconteste, de prender o ex-ministro José Dirceu e tem o propósito atual de prender o mais importante, popular e conhecido presidente do Brasil de todos os tempos, que está a se defender há três anos de ataques recorrentes e ferozes, que se transformaram na maior covardia que vivenciei em toda a minha vida em termos políticos e ideológicos.

Trata-se da caça ao Lula por parte da imprensa alienígena e autora do insuperável jornalismo de guerra e de esgoto, do Congresso mais corrupto de todos os tempos e, principalmente, dos togados da Lava Jato e da PGR, à frente o procurador-geral, Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot, chefe dos procuradores obsessivos, que desejam prender o Lula e governar o Brasil com canetadas no lugar dos homens e mulheres que foram eleitos pelo povo brasileiro.

Esta dura e infame realidade é o que acontece no governo *mishell-PSDB, que ora está a tomar de assalto o poder central, pois sem a autorização e a legitimidade das urnas soberanas. A democracia no Brasil inexiste, porque já vivemos em regime de exceção, assim como quem governa está a governar pela força de um golpe de estado bananeiro. Aqui é a Banânia: a terra dos ricos e dos muito ricos, que lutam por um Brasil dependente e que os sirva apenas como um grande fazendão para que essa gente parca, pouca e rasa ganhe muito dinheiro para se locupletar e se esbaldar em suas vidas medíocres e metidas a besta.

Os procurados obsessivos por Lula e de caracteres persecutórios e midiáticos, bem como o juiz da republiqueta bananeira de Curitiba já determinaram, e pronto: o criminoso é o Lula. Agora, depois de persegui-lo violentamente e após dois anos, ainda se procura pelos "seus" crimes. Os políticos togados, que militam no campo da direita, até hoje, apesar do tempo, ainda tentam comprovar qualquer crime que Lula tenha cometido, mas sempre em vão.

Chega a ser ridículo, mas sem quaisquer graças. Não é engraçado, definitivamente, os crimes que tais togados cometeram ao longo desse processo covarde e draconiano, infernal e vampiresco. Não existe justiça no Brasil, bem como sua credibilidade perante milhões de brasileiros é nenhuma. Eu sei. Converso com pessoas de todas as classes sociais. Ponto.

Querem, na verdade, além de prender Lula e muitos de seus auxiliares de governo, reescrever a narrativa da Era Lula. Querem colocá-lo como corrupto e ladrão no imaginário popular, como fizeram com Getúlio Vargas e Leonel Brizola. Querem eliminar o PT como partido popular, orgânico e de esquerda, como fizeram com o PTB de Getúlio, que ficou nas mãos da direita a partir do início da década de 1980. Querem, sobretudo, que Lula seja preso como se ele fosse ladrão como a direita que está no poder mediante a um golpe o é.

A direita rouba o Brasil há 500 anos e repercute pelas mídias o velho discurso udenista e lacerdista da corrupção. Não cola mais... Somente coxinhas idiotizados e lobotomizados acreditam nessa palhaçada perversa e hipócrita. E tem mais: são idiotizados porque querem, pois não acredito que um indivíduo não saiba quando está a dar tiros nos próprios pés, como acontece agora com a extinção dos programas sociais, por exemplo. Esta é a verdade.

A perseguição de caráter canino ao líder trabalhista se dá por intermédio dos procuradores obsessivos por Lula (somente por Lula), os delegados aecistas, que xingavam o Lula e a Dilma por meio de seus facebooks, em plena atividade profissional e o "rei" dos coxinhas de classe média, o juiz Sérgio Não Vem ao Caso Moro. Este último se tornou o astro da corte golpista e nativa, a que admira os "democratas" Eduardo Cunha, Jair Bolsonaro, Aécio Neves, dentre outros da mesma espécie ou laia, além do pato corrupto e amarelo da Fiesp. Os que tem moral seletiva e hipócrita, assim como portadores de incomensurável analfabetismo político e complexo de vira-lata.

O juiz Moro, aquele que não quer ouvir, juntamente com seus asseclas as delações da OAS, da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, porque se ouvi-los a sério e de forma republicana vai ter de prender os políticos que tomaram de assalto o Palácio do Planalto (leia-se PSDB, PMDB, DEM e PPS, dentre outros), o que redundará na queda da República, que está a cair de podre, bem como os tucanos terão de eleger seus candidatos de dentro da cadeia. E Moro et caterva sabem disso. Ou não vem ao caso?

O que está a ocorrer é que, certamente, é que a força-tarefa da Lava Jato, com a cumplicidade do STF e da PGR, estão a cometer crimes contra as garantias constitucionais dos cidadãos e o Estado de Direito, que vão desde a publicidade opressiva na imprensa mercantil, como acontece diuturnamente com o Lula, até ao crime de tortura, como o relatado pelo senador cassado, Delcídio do Amaral, que disse ter sido colocado em uma sala escura na PF, onde teve de suportar a fumaça de um gerador, além do calor insuportável e da sensação de estar sendo sufocado, de forma que não pudesse respirar.

"Aquilo encheu o quarto de fumaça, e eu comecei a bater, mas ninguém abriu. Os caras não sei se não ouviram ou se fingiram que não ouviram. Era um gás de combustão, um calor filho da puta. Só três horas mais tarde abriram a porta. Foi dificílimo" — afirmou Delcídio em almoço com seus parentes, um tucano de origem e por muito tempo, que assumiu diretoria na Petrobras nos tempos de FHC, quando já trabalhavam na estatal gente como Cerveró e quase todos os servidores públicos de carreira da petroleira, que hoje estão na condição de delatores, além de Sérgio Machado, pivô do escândalo que derrubou o senador Romero Jucá e outros ministros, que ocupavam cargos no governo do *mishel — o presidente pária e sem voto.

Não sei como se alicerçam as convicções de tais procuradores, delegados e juiz da Lava Jato. Talvez por meio de suas convicções políticas, partidárias, ideológicas e de classe social, o que se torna um problema grave e perigoso para a sociedade. Entretanto, quando essa gente de toga se torna meganha sem limites e livres de fiscalização de suas corregedorias, o Direito e a Lei se transformam em meganhagem, o que sobra, então, é uma pantomima de caráter fascista e, com efeito, perverso, desleal e injusto. O MPF se transformou no Doi-Codi ou no Dops, em pleno século XXI. Por isto, e já há algum tempo, foi chamado de monstro pelo ex-ministro do STF, Sepúlveda Pertence, e também pelo, vejam só, general Golbery do Couto e Silva, um dos principais ideólogos da ditadura civil-militar.

Novamente Lula é denunciado pelo MPF do DF, que mais uma vez incorre em erro grave, pois suas ações dão a impressão de ação política à parte importante da população brasileira, que percebe as movimentações arbitrárias e casuísticas de procuradores como perseguição e caça ao Lula, a maior liderança popular e de esquerda da história do Brasil, volto a ressaltar.

Por sua vez,  jamais tais procuradores denunciam e acusam com ênfase e constância os políticos do PSDB, do PMDB, do DEM, do PPS, dentre outros partidos vinculados ao consórcio golpista de direita. Não sei por quê. Talvez porque nesses partidos de direita e que assumiram o poder por intermédio de um golpe de estado travestido de legal e legítimo são filiados apenas anjos. Ontem mesmo os anjos (caídos) se reuniram no Palácio da Alvorada com o golpista e usurpador, *mishell, para aprovar a PEC 241 — a PEC da Morte e do Estado Mais do que Mínimo —, como também, lembro mais uma vez, o presidente usurpador e traidor se reuniu com FHC, igualmente golpista, e com Gilmar Mendes — a herança maldita do grão-tucano para a República bananeira.

Trata-se de emenda constitucional prevista pelo programa dos golpistas chamado de "Uma Ponte para o Futuro (no Inferno)", que tem por propósito congelar os investimentos em saúde e educação, que a direita chama de "gastos", por longos 20 anos — duas décadas! Explico: dinheiro para rico é investimento. Para pobre, gastos. Imagine o resultado dessa receita diabólica e neoliberal do FMI e de outros órgãos de pirataria e espoliação, que retrocede o Brasil aos tempos sombrios do tucano golpista Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal Golpista I —, sujeito elitista também conhecido mundialmente como o Príncipe da Privataria, bem como retrocede em forma de atraso à Velha República.

FHC é a cara e a alma da aristocracia tupiniquim da República do Café com Leite. O sociólogo que não entende nada de povo e nunca fez questão de compreendê-lo representa o golpe da casa grande de 1932 contra a Revolução de 1930, liderada por Getúlio Vargas — o pai do Brasil moderno. Por isto que FHC vende e desdenha do Brasil e de seu povo, com imensa desfaçatez. O tucano entreguista e elitista é a alma da casa grande de 1932. O gaúcho trabalhista e revolucionário é o espírito de 1930. Entendeu, o quer que eu desenhe?

Contudo, acabar ou enfraquecer as garantias individuais e constitucionais, com os direitos trabalhistas e previdenciários, com os programas de inclusão social efetivados pelo PT não basta. É necessário também privatizar tudo e deixar o Brasil com um Estado mínimo, de forma que o poder público não tenha força, dinheiro e poder para atender às demandas e às reivindicações do povo brasileiro.

População que partirá para a radicalização do individualismo selvagem, que já acontece há algum tempo, mas que recrudesceu com a ascensão de um golpista de direita ao poder e com a tomada das ruas por coxinhas da classe média conservadora, que ainda não perceberam o gravíssimo erro que cometeram, porque a direita vem com força e vai tomar e tirar tudo o que for possível e o que é de benefício social e econômico. Os golpistas, juntamente com os órgãos internacionais de exploração e espoliação, vão realmente raspar os cofres do Estado de bem-estar social estabelecido pelos governos trabalhistas do PT. Sobrará muito pouco: a rapa do tacho. É o que a direita sabe fazer.

Enquanto isto, Luiz Inácio Lula da Silva não sai da mira dos agentes do Estado compromissados com a desconstrução do patrimônio público do Brasil e com a destruição da moral e da imagem de Lula, de Dilma Rousseff e do PT. Sei que esquerdistas dizem que o PT errou muito. Porém, acertou muito mais. O PT tem de se reerguer e se rediscutir, mas pedir desculpas por ter realizados os governos que incluíram milhões de brasileiros em todas as atividades humanas se torna uma provocação inominável e inenarrável.

O PT e os governos trabalhistas, realmente democráticos e de carácteres sociais tornaram o povo brasileiro protagonista de sua história e de sua autodeterminação. Pela primeira vez o pobre pegou em dinheiro e comprou o que ele queria sem a supervisão da classe média e dos ricos. Mulheres paupérrimas dos rincões do Brasil passaram a tem autonomia em suas vidas, realidade esta que enfureceu e encheu de rancor e ódio a alma dos coxinhas de classe média e dos ricos e muito ricos. Tanto é verdade que eles explodiram nas ruas e mostraram, para quem quisesse ver, que a corrupção não os incomoda, pois, se incomodasse, essa gente pediria cadeia para os demotucanos e iria às ruas pedir pela saída de *mishell temerário, além de baterem em panelas com suas barrigas cheias.


Lula pode ser preso ou ficar inelegível. Todavia, o consórcio de direita que tomou o poder de assalto como fazem os assaltantes, jamais terá paz, autoridade e legitimidade. A história dos governos petistas jamais será reescrita pelas mídias corruptas e golpistas e muito menos por coxinhas analfabetos políticos. A história não escolhe lado e nem time. Inquisição do MPF caça Lula novamente e sem provas. O domínio do fato sob o fanatismo de togados cobertos pelas luzes da ribalta. Lula é um estadista da grandeza de Getúlio Vargas. Todos eles sabem disso. É isso aí.

Nenhum comentário: