CEZAR CANDUCHO

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Golpistas jogam sal na terra do Brasil para roubar dos pobres e dar para os ricos.


Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

Tomaram de assalto o Palácio do Planalto como os bandidos, os bandoleiros e os quadrilheiros tomam de assalto as calçadas, as ruas, as rodovias, as residências, as lojas comerciais, os bancos e tudo aquilo que se possa auferir para encher os bolsos de dinheiro por intermédio da violência e da miserabilidade humana, que não tem limites quando se trata de roubar e matar para ter cada vez mais dinheiro e privilegiar e beneficiar os apaniguados do sistema de capitais, que geralmente é uma pequena minoria inconsequente, irresponsável e que somente pensa em se dar bem na vida e tirar vantagens.

Essa súcia de bandidos agora está a tomar de assalto o Brasil e não quer que haja reação interna, com o apoio do Judiciário mais caro, corrupto e golpista do planeta, a ter a imprensa de negócios privados a criminalizar a política e a judicializar as ações governamentais dos governos petistas e trabalhistas, que jamais, em tempo algum, tiveram a mínima tranquilidade para governar, porque sempre alvos do jornalismo de guerra e de esgoto praticados por jornalistas que, descaradamente e diuturnamente, conspiraram contra Lula e Dilma de forma sistemática, a manipular e a distorcer as notícias e informações sem um mínimo de vergonha na cara.

As bancadas dos telejornais são espaços de negócios e não de jornalismo. Os apresentadores estão a fazer negócios em nome de seus patrões. Além disso, percebe-se nitidamente as chantagens, com avisos prévios para aqueles que são considerados inimigos de seus patrões, principalmente os políticos que não cumprem e não rezam pela cartilha ou agenda dos magnatas bilionários de imprensa, que hoje tentam calar a imprensa internacional que atua no Brasil, porque entendem que somente a versão golpista e usurpadora dos jornais tupiniquins que deve ser repercutida para a população brasileira.

Uma sociedade esfacelada e dividida, que deu uma guinada à direita e há anos leva uma lavagem cerebral, que redundou em monstrinhos perversos e fascistas que saíram às ruas em bandos para sacramentar o golpe contra Dilma Roussef e, consequentemente, darem tiros em seus próprios pés, pois o governo de lesa-pátria formado por traidores de toda monta está a prejudicar seriamente os interesses do povo brasileiro, para que ele retorne à escravidão, no sentido de perder o que conquistou nos governos trabalhistas, inclusive a ver modificados ou anulados direitos e garantias constantes na CLT, na Previdência Social, no direito à greve e no acesso à educação e à saúde universais, pois dois setores de incomensurável importância, por intermédio das universidades públicas, das escolas técnicas, nos colégios federais e estaduais de segundo grau.

A burguesia provinciana deu mais um golpe de terceiro mundo, porque perdeu quatro eleições consecutivas e, por sua vez, não aceitou os resultados das eleições, tanto que o senador mega delatado, Aécio Neves, um tucano golpista e que, incrivelmente, ainda não deu um único depoimento ao MP, à PF e à Justiça sobre as acusações imputadas a ele, saiu às ruas a questionar o resultado favorável à Dilma, bem como recebeu instantaneamente o apoio da imprensa de mercado, que há mais de um século inferniza a vida brasileira e causa instabilidade à governança de mandatários trabalhistas ou de esquerda.

Contudo, os golpistas e usurpadores jogam sal na terra do Brasil para roubar dos pobres e dar para os ricos, porque a intenção é fazer uma política de arrasa-terra, no sentido de desmontar o estado nacional, mexer nos direitos civis, trabalhistas e previdenciários, de forma que os trabalhadores tenham seus direitos diminuídos, sendo que alguns até extintos, além de dar fim a diversos programas e projetos de inclusão social, a começar com o que estão a fazer com a educação pública e com o Sistema Único de Saúde (SUS), a congelar seus orçamentos por longos 20 anos em um País com 210 milhões de habitantes, com desigualdades regionais e injustiças sociais centenárias, que levam os brasileiros à miséria, à pobreza, à prostituição, ao tráfico de drogas e à violência.

De forma metódica, estudada e a toque de caixa, o governo *mishell temer, o mais corrupto e de direita que se viu nos últimos 40 anos, paga para ver e aposta no atraso e no retrocesso, porque para esses fanáticos e fundamentalistas do capital é necessário destruir e desconstruir o Estado de bem-estar social, de maneira que se torne muito difícil para que qualquer governo de esquerda que volte a administrar o País tenha os instrumentos e as ferramentas estatais para efetivar políticas públicas desenvolvimentistas, democráticas e de inclusão social.

Não se faz nada se o Estado não tiver a posse de suas estatais, desde empresas de eletricidade, de petróleo até os bancos de fomento, que concedem créditos, principalmente aos pequenos e médios empresários urbanos e rurais, que verdadeiramente são os responsáveis por 80% da criação de postos de trabalho. *mishell temer e o PSDB arrombaram a porta do Brasil por meio de um golpe criminoso e que tem por finalidade entregar e transferir para o capital privado as riquezas do Brasil, seu patrimônio, além de suspender os inúmeros programas de inclusão social, que fizeram do Brasil, por certo momento, um País confiável e que abriu oportunidades de trabalho e de estudo para milhões de brasileiros e dezenas de milhares de estrangeiros.

Além dos mais, a casa grande de índole e caráter escravocrata deste País, com o golpista José Serra no Itamaraty, um louco de pedra, fez o Brasil girar novamente na órbita dos EUA, submetido à política externa dos yankees, que é traduzida na diplomacia do porrete e de suas conveniências e interesses. Uma loucura efetivada por um louco, que não sabia quais eram os países componentes dos Brics, que não confiam mais no Brasil, pois sabedores que a política externa do governo *mishell não passa de uma política de fantoches e de agentes públicos e políticos vinculados umbilicalmente aos interesses econômicos e geopolíticos dos Estados Unidos.

Trata-se do governo de direita mais violento que eu tive o desprazer de ver e vivenciar em meus 57 anos. Nunca vi nada igual, pois os governos militares, a despeito da violência institucionalizada contra os adversários do regime, não entregou o País, apesar dos "Robertos Campos e Simonsens" da vida" e muito menos tirou direitos e garantias dos trabalhadores, apesar de o Brasil viver em uma ditadura. Os militares pelo menos tinham projeto e programas para o País desde os tempos de Getúlio Vargas. 

Já o Governo *mishell/PSDB não tem projeto, não tem programas de independência e autodeterminação do Brasil e de seu povo, que há séculos luta por sua emancipação, que nunca vem, pois neste País se dá um golpe de 25 em 25 anos, a se destruir tudo que foi edificado, porque a "elite" mais escrota do mundo viceja nas terras brasileiras, pois herdeira de 388 anos de escravidão. Os preconceitos de raça, cor, classe social e origem pululam ou brotam das almas, corações e mentes dos que se consideram superiores à maioria do povo brasileiro.

São grupos sociais ricos, que geralmente ocupam o campo da direita, com o apoio de uma das mais canalhas classe média do planeta, que, idiota, rancorosa, violenta e mal-humorada, associou-se ao Judiciário, ao Congresso e à imprensa burguesa golpistas, em um consórcio reacionário, infame e malévolo, que ainda não consolidou o golpe, que será concretizado quando Lula for preso ou afastado da corrida eleitoral até 2018, quando acontecerão as eleições.

Patifes e cafajestes se lambuzam com a retirada à força do orçamento para as bolsas, a infraestrutura, os projetos científicos e tecnológicos — a pesquisa em geral. Odiaram e odeiam o Fies, o Sisu, o Enem, o Pronatec, o Ciência sem Fronteiras e o ProUni. Odeiam de morte, do fundo do coração. Tem um promotor espírito de porco do Ceará que todo ano tentava sabotar o Enem. E este ano o MP do Ceará, composto por promotores brancos, preconceituosos e elitistas, mais uma vez volta à tona e tenta sabotar as provas do Enem.

Pobre do povo que tem um Judiciário (STF, PGR-MPF, PF etc.) como este. Um verdadeiro inferno, porque politizados, partidarizados e vinculados aos interesses da casa grande brasileira. Uma verdadeira lástima. A verdade é que o consórcio golpista e de direita, que mandou às favas o Estado Democrático de Direito e a Constituição está a cometer ilegalidades e até mesmo crimes, a exemplo das gravações e grampos repercutidos sobre os diálogos de Lula e Dilma, além das escutas ilegais e, com efeito, criminosas, no escritório de advocacia dos advogados Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira. Trata-se de crimes pesados, que, certamente, em um país desenvolvido acarretaria o fim da carreira de juiz com atitudes arbitrárias como o Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, que cooperou, e muito, para afundar a economia brasileira, quebrar empresas gigantes e infernizar a vida dos brasileiros, que estão divididos, sendo que ainda tem muita lenha para queimar no plano dos conflitos sociais e políticos. 

A verdade é que golpe de estado nunca acaba bem, os juízes, procuradores, delegados, políticos, barões de imprensa e empresários gostando ou não. Lembrai-vos de 1964. O Brasil vai levar anos para se recuperar desse atraso originado mais uma vez por um golpe. Até 2013, vale lembrar, o País estava calmo, com suas instituições estáveis, com a economia equilibrada, apesar dos problemas do Governo Dilma e da crise internacional, além do quase pleno emprego. Se duvida, pesquise e não fique a contrariar a verdade. Ponto. De repente, a partir da Copa das Confederações se organizou uma frente de direita, que, no decorrer de três anos, derrubaram a presidente constitucional e legitimamente eleita por 54,5 milhões de votos. É muito voto. Não se rasga votos assim sem ter depois consequências sérias e duras.

Os golpistas e usurpadores do governo mequetrefe e rastaquera do *mishell não têm vida fácil, pois o fantoche e medíocre cidadão e político, antes de tudo e qualquer coisa, terá de lidar com seus comparsas de sedição e traição para não cair do poder. *mishell terá de costurar um "cala a boca" com Eduardo Cunha, que, se tiver sua mulher e filha presas, vai ficar doido e talvez perder o juízo que nunca teve em sua vida. Além disso, tem o Renan Calheiros, presidente do Senado, que vive hoje uma situação dificílima, mas que tem a coragem e a ousadia de peitar juízes, pois também golpista sabe como a banda toca e por isso até agora não foi atingido apesar de também, como Aécio Neves, ser inúmeras vezes delatado.

A "salvação" para manter a patranha e a safadeza perpetradas por um golpe espúrio cometido por verdadeiros canalhas é a eleição indireta, com o FHC — o Neoliberal I —, um aristocrata provinciano de São Paulo, a assumir a Presidência da República, sendo que, já na cadeira presidencial usurpada, o entreguista-mor, que arrebentou com o Brasil em seus péssimos e sombrios governos de carácteres elitistas e sectários, fará a ponte para que Geraldo Alckmin seja eleito presidente e de preferência sem a concorrência de Lula, até porque os tucanos são, irrefragavelmente, I-NIM-PU-TÁ-VEIS! 

Ah, já ia esquecendo: todo mundo no Brasil é idiota, porque todos acreditam que somente o PT fez caixa dois ou recebeu propinas para financiar as eleições. É assim: dinheiro para o PT é propina e para o PSDB é doação. Juiz Moro, a sociedade brasileira é idiota e burra! Entendeu? Só vossa excelência é esperto e inteligente. Durma-se com um barulho desse. Não existe em país civilizado um juiz de província e de primeira instância a dar as cartas e a influenciar até mesmo na economia, a prejudicá-la. Somos de um País surreal e completamente azarado, porque não é possível que se permita que o Judiciário governe no lugar dos eleitos e, por seu turno, intervenha dessa forma no processo político brasileiros, a judicializá-lo e a criminalizá-lo. São realidades e fatores típicos de uma nação que entrou em um processo fascista e antropofágico, que só acontece quando a democracia e o sistema partidário são implodidos.

A Justiça é burguesa e defende os interesses da burguesia. Trata-se, juntamente com a PGR-MPF e PF, de uma caixa preta que ninguém consegue abri-la. E, se alguém tentar, é logo linchado publicamente por intermédio da imprensa de negócios privados deste País, que, parceira dos togados e dos meganhas, rebate prontamente as críticas, pois a imprensa mercantil se tornou a mais corrupta e ao mesmo tempo a mais partidária do mundo ocidental. A imprensa da casa grande não faz jornalismo, mas, sim, negócios. Quando vejo, por exemplo, os apresentadores, comentaristas e "especialistas" dos jornais televisivos, evidentemente que aqueles sujeitos não são jornalistas, porque se trata de executivos pagos para fazer negócios para seus patrões. 

Os jornais das grandes corporações midiáticas são, na verdade, a bolsa de valores e a política de intimidação pertencentes à plutocracia, a que derruba presidentes eleitos e transforma os estados nacionais instrumentos de seus interesses econômico-financeiros. Há muito tempo que o Partido da Imprensa intervém na política e sabota governos até se concretizar um golpe criminoso de estado, travestido de legal e legítimo, como o de 2016.

Cristiano Zanim Martins, o talentoso e corajoso advogado de Lula, afirmou que o ex-presidente está a ser vítima de lawfare. E é verdade. Apesar do termo em inglês, muitos analistas de política, como este articulista, há muitos anos assevera que agentes do Estado vinculados ao Judiciário se utilizam do Direito e das leis para intervir na política e, ideológicos à direita, como comprovam seus pensamentos, declarações e ações, efetivam um processo opressivo e repressivo, autoritário e arbitrário, cujo propósito é derrotar os políticos, os partidos e seus aliados, notadamente o PT de Lula e Dilma. 

Lawfare é a manipulação do sistema legal, do Direito, para deslegitimar o inimigo a ser derrotado, sendo que o exemplo mais emblemático é o Lula. A prática do lawfare é abuso de direito, judicialização da política, promoção da desilusão popular, criminalização de atos administrativos legais e rotineiros, deslegitimação da autoridade ou de liderança popular, no caso de Lula, influenciar a opinião pública com vazamentos seletivos por parte do Judiciário para a imprensa corporativa e privada, além de usar o Direito para fazer uma "guerra legal e jurídica", mas seu verdadeiro propósito é derrotar determinado grupo político em benefício de outro, no caso o PSDB e seus aliados, porque tal procedimento por parte do MPF, da PF e do STF é simplesmente visível e perceptível. 

Não dá mais para disfarçar, pois todo mundo está vendo, inclusive parte da sociedade que apoiou o golpe vestida com a camisa amarela da corrupta CBF, ao lado o pato amarelo da golpista Fiesp, além do Japa, o herói dos coxinhas que usa tornozeleira por ter cometido o crime de contrabando. O sistema legal brasileiro, o Judiciário e todos seus segmentos deveriam ser refundados. Trata-se de um poder divorciado da Nação e totalmente burguês. 

A Justiça burguesa precisava de uma Bastilha. Não é possível para qualquer País ter de conviver com servidores públicos pagos a preço de ouro e que influenciam e fazem intervenções no processo político. O problema é o Lula, que é um estadista, sem dúvida. Ele é  o calo que machuca os pés da burguesia. O golpe não termina enquanto o Lula tiver a mínima chance de concorrer à Presidência da República. Assim está decidido pela Lava Jato, imprensa e STF.

Nunca se viu algo assim. Os membros do Judiciário, mesmo os que apoiaram o golpe de 1964, jamais se arrogaram como os "donos" do poder, de tal forma que os golpistas togados de 2016 se transformaram nos principais alicerces, junto com a imprensa falsa moralista ao tempo que corrupta, da sedição contra uma mandatária que não cometeu crimes de responsabilidade, assim como evidenciou a corrupção de verdadeiros ladrões do dinheiro e do patrimônio públicos, por meios de instrumentos de combate à corrupção somente visto no Brasil nos governos petistas de Lula e Dilma. 

A verdade é que o PT errou, mas também acertou muito. E foi nos governos trabalhistas que o MPF e a PF tiveram liberdade para trabalhar, bem como seus orçamentos foram aumentados e suas ações passaram a ser o lugar comum da atuação de servidores do Judiciário, sendo que muitos deles passaram a conspirar para que assumisse um presidente de direita da laia de *mishell temer. Nada mais baixo e vil, porque a ordem democrática foi quebrada, sendo que todo mundo sabe que o chefe desse governo pária e bastardo, ilegítimo e usurpador, juntamente com seu bando, está envolvido até o pescoço com a lama da corrupção, pois várias vezes delatado por donos e executivos de construtoras, dentre elas a Odebrecht. 

Aliás, vale ressaltar que praticamente todos os tucanos do PSDB, do DEM e do PPS estão em diversas listas, documentos e gravações conseguidos pela PF e MPF. Só que até agora os demotucanos, como sempre falo, não responderam pelos seus crimes, pois temos no Brasil um Judiciário partidarizado e que transita à vontade pelo campo da direita. Dilma cair sem ter cometido crimes e Eduardo Cunha, um malfeitor comprovado ser o canal para que Dilma Rousseff fosse derrubada do poder é algo que o Judiciário vai ter de engolir, pois está maculado eternamente pela história. 

O STF e a PGR são os principais responsáveis por um juiz de província de Curitiba e um monte de procuradores e delegados obsessivos e golpistas terem feito do Brasil um pardieiro, a casa da mãe Joana, além da esculhambação como forma de uma "elite" carcomida pela corrupção e pelo entreguismo barato e irresponsável ficar mais rica. Rememoremos Cazuza: "Transformam o Brasil inteiro num puteiro, porque é assim que se ganha mais dinheiro!" 

O Brasil rapidamente se transformou na pátria da agiotagem. A classe média coxinha e moralmente doente que se prepare, porque o bicho vai pegar. Nunca mais os coxinhas terão acesso às compras, ao crédito, ao consumo, à moradia, aos automóveis, aos inúmeros produtos da linha branca e os tecnológicos, às viagens e o acesso ao financiamento universitário. Que se preparem, porque vão se danar com esse governo draconiano e de caráter perverso. Os "donos" atuais do poder não podem sair às ruas ou irem ao aeroporto em paz. São chamados de golpistas e bandidos. Nada mais realista...

Esse governo patife vai ter o fim que merecem os patifes. A história é pródiga em registrar o fim desditoso de golpistas e traidores, que não possuem quaisquer compromissos com a Nação e a independência do Brasil. Não pensam o Brasil. Não conhecem o Brasil. São distantes do povo. Detestam o Brasil, mas querem o Brasil para se locupletar e morar em condomínios de luxo armados até os dentes e viver também no exterior, que tais desordeiros tanto admiram, mas que jamais se propuseram a desenvolver a sociedade brasileira. Eles são ordinários e não merecem respeito, porque não se dão o respeito. O Brasil está à espera do que o *mishell et caterva vão fazer com seus "ajustes fiscais" criminosos. Vamos ver como esses aventureiros irresponsáveis e inconsequentes vão terminar.

A PEC 55, ex-PEC 241, está a tramitar no Senado. Na verdade é a PEC do Fim do Mundo ou a PEC da Morte. Esse projeto demonstra, sem dúvida, quem são os políticos e executivos que tomaram de assalto o poder. Trata-se de um processo que essa gente desprovida de compromisso com a população chama de "novo regime fiscal". Pura manipulação e picaretagem sem precedentes. Anti-povo, tal malta quer acorrentar o povo por 20 anos, no que ela considera como "gastos" e não investimentos. Dinheiro para o povo e a infraestrutura do País é gasto, mas a grana quando vai para os bolsos dos ricos e dos muitos ricos é investimento. Uma hipocrisia e safadeza sem definição. Quer dizer que a educação, a ciência, a cultura, a saúde, a agricultura familiar, a moradia, a previdência, a teconologia, o bolsa família, o luz para todos, a transposição do rio São Francisco e as hidrelétricas são gastos?

Agora, fazer superávit primário para pagar as dívidas públicas e seus escorchantes juros é considerado cinicamente "investimento". Poupar bilhões para pagar banqueiros, rentistas, especuladores e jogadores do mercado de capitais é investimento? A verdade é que os banqueiros sempre ganharam, nos governos trabalhistas de Lula e Dilma, e em todos os governos de diferentes cores ideológicas e partidárias. É o fim da picada o programa do golpista Henrique Meirelles, que realisticamente é o programa do PSDB, que assumiu o poder por meio de um golpe, pois desde 2002 perdia eleições nas urnas. 

O inacreditável é que tem gente da classe média coxinha que acha que esse roubo todo vai acabar bem, porque ouvem e vêem um monte de "especialistas" de prateleiras da imprensa golpista a tentar dar uma conotação de seriedade ao programa do *mishell chamado de "Uma Ponte para o Futuro" (no inferno), é claro. O governo desses usurpadores é pária, não é respeitado pela comunidade internacional e dentro do Brasil é fortemente questionado. Espere mais um ano para ver como vai acabar a tentativa constante de roubar o povo para dar mais dinheiro para os ricos. Não há hipótese de esse processo golpista acabar bem. A vida é como ele é, e não como algumas pessoas querem. É isso aí. 

*mishell temer, além de ter seu nome sempre escrito em minúsculo, a partir de hoje terá seu primeiro nome escrito com as letras s-h-e-l-l. Portanto, o nome de tal desditosa peçonha passa a ser escrito no Palavra Livre como *mishell temer. PS: sempre em minúsculo.

*mishell temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*temer é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça —  Usurpador Traidor.

Golpista é palavra sinônima de *mishell temer. 

Golpismo é sua essência e razão.

Nenhum comentário: