CEZAR CANDUCHO

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

PTMG - Brasil vive tempos sombrios, diz Dilma ao contestar Gilmar Mendes.


Presidenta eleita esclareceu que a campanha da reeleição teve custo de R$ 330 mi e que prestação de contas foi aprovada por unanimidade do TSE.
A presidenta eleita Dilma Rousseff condenou, em nota divulgada nesta terça-feira (8), suposições do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, em Washington, nos Estados Unidos, sobre os valores de sua campanha à reeleição.
Para ela, “é espantoso que um ministro da mais alta corte eleitoral do País trate de questões processuais relativas à campanha presidencial fora dos autos”. “Mais (espantoso) ainda que seja em um evento no exterior. É uma conduta inadequada a um magistrado”, completou a nota.
Em nota, Dilma esclarece que a campanha da reeleição em 2014 teve custo de R$ 330 milhões. “A prestação de contas foi aprovada por unanimidade do TSE, com parecer favorável do Ministério Público”.

Leia a nota, na íntegra:
“NOTA À IMPRENSA
A respeito das declarações do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, em Washington, nos Estados Unidos, de que a campanha de reeleição teria custado quatro vezes mais do que o valor efetivamente declarado, superando a marca de R$ 1,3 bilhão, a ex-presidenta Dilma Rousseff esclarece:
1. A campanha da reeleição em 2014 teve custo de R$ 330 milhões. A prestação de contas foi aprovada por unanimidade do TSE, com parecer favorável do Ministério Público.
2. As cifras citadas pelo ministro Gilmar Mendes não têm o menor amparo nos fatos. Aliás, é espantoso que um ministro da mais alta corte eleitoral do País trate de questões processuais relativas à campanha presidencial fora dos autos. Mais ainda que seja em um evento no exterior. É uma conduta inadequada a um magistrado.
3. Como presidente da Corte, o ministro Gilmar Mendes deve abster-se de fazer prejulgamentos e de externá-los, como determina a lei.
4. A Constituição Federal é clara ao impedir manifestações políticas e partidárias expressas por magistrados que violem a imparcialidade no processo legal.
5. Vivemos tempos sombrios que turvam o Estado Democrático de Direito no Brasil”.
Fonte: Agência PT de Notícias.
***
***
***
Série ‘Concertos Didáticos’ leva às escolas música para ouvir, sonhar e educar.



Crianças e jovens têm a oportunidade de conhecer o mundo das composições clássicas e aprender com DVD didático.
Com olhar atento e observador, crianças e adolescentes de 79 escolas e instituições sociais de Belo Horizonte e Região Metropolitana foram ocupando as cadeiras da Sala Minas Gerais – espaço palco da edição 2016 da série “Concertos Didáticos”, da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, do Instituto Cultural Filarmônica.


Concerto Didático da Orquestra Filarmônica

Durante a abertura do concerto também foi laçado o DVD didático “Primeiros passos na música clássica: para quem ouve e para quem quer ouvir”, produzido pela Orquestra, com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.
Os “Concertos Didáticos” são precedidos de uma ação educacional sobre música e orquestra, realizada nas próprias escolas, e orientada, em conjunto, além da Filarmônica, pela Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), com apoio da Coordenação Geral das Ações de Educação Integral, da Secretaria de Estado da Educação, e do Centro de Formação Artística e Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado.
A gravação educacional traz uma narração que possibilita, nas salas de aula, a continuidade do trabalho de fixação e ampliação dos conhecimentos adquiridos em concerto.
Foi para uma plateia de estudantes dos ensinos fundamental e médio das redes pública e privada, e entidades assistenciais, que a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais realizou quatro apresentações dos Concertos Didáticos, nesta edição.
As escolas receberam convites e a Sala Minas Gerais acolheu 5.800 espectadores nos dois dias de apresentação (24 e 25 de outubro), sendo 3.200 estudantes de escolas estaduais.
Cada escola participante recebeu um DVD. Outras 100 cópias foram entregues à Superintendência de Fomento de Incentivo à Cultura da Secretaria de Estado de Cultura, para distribuição a bibliotecas públicas, entre outros espaços.
Música, Cultura e Educação para todos.
Sob a batuta do maestro Marcos Arakaki, a Orquestra interpretou as obras Capricho Espanhol, op. 34, de Rimsky-Korsakov; Rapsódia Húngara nº 2, de Liszt; Guilherme Tell: Abertura, de Rossini; e L`Arlesienne: Suíte nº 2 – Farandole, de Bizet. Durante a apresentação, o maestro Arakaki convidou os alunos a escreverem e enviarem para a Filarmônica uma redação relatando a experiência do concerto.
O concerto foi precedido da apresentação, pelo maestro, dos instrumentos, suas famílias (madeira, metal, corda e percussão) e seus acordes e sua disposição na formação da orquestra. As mãos levantadas foram quase unanimidade nas galerias, quando perguntadas pelo maestro: “quem nunca viu uma orquestra?”. “O que buscamos é estimular esses jovens a descobrirem o universo sinfônico e suas possibilidades”, afirma o regente.


Alunas da Escola Engenheiro Prado Lopes

Os colegas de turma do 2º ano da Escola Estadual Doutor Renato Azeredo, de Betim, Starley André e Daniel Martins, ambos de 16 anos, estavam maravilhados.” Nunca tivemos a oportunidade de ver uma orquestra, estamos impressionados”.
Daniel, que também canta e toca violão, bateria, baixo e guitarra, se disse impressionado com a formação do conjunto dos instrumentos e defendeu que a iniciativa chegue até as comunidades.“Muita gente nem imagina como é bacana”.
Starley se disse impressionado com a potência do som. “No início fiquei procurando os microfones e as caixas de som, depois percebi que era o som natural dos instrumentos. Foi fenomenal”.
Evelin Beatriz, Letícia Marília Silva Machado, ambas de 17 anos, e Jéssica Julie, de 15, colegas de turma da Escola Estadual Engenheiro Prado Lopes, no bairro Alto Vera Cruz, também se entusiasmaram.
“Nunca imaginei que fosse uma coisa tão bonita e tão intensa”, disse Jéssica. “Uma vez vi uma orquestra na televisão e achei ‘palha’, mas aqui é outra coisa. Estou maravilhada, quero voltar mais vezes. Queria que outras colegas pudessem sentir o que eu senti hoje aqui”.
Para Letícia, o concerto “mudou minha ideia sobre música clássica, é lindo maravilhoso, um sonho”, resumiu.
O concerto que encantou todos os olhares foi como uma aula prática a respeito daquilo que ela já havia aprendido na escola.
“É muito importante ações educacionais como estas porque trabalhamos no sentido de levar a cultura para dentro da escola, democratizar o acesso e ampliar a noção de que aquele é um espaço deles, no qual também estão inseridos. Ao final do concerto tivemos meninos perguntando se eles também poderiam tocar harpa, violino ou violoncelo. E os DVD’s que foram levados para dentro das escolas vão contribuir para estimular e incentivar cada vez mais o universo imagético, a sensibilidade e a cultura desses estudantes”
Lucas Evencio Soares Dutra, membro da equipe pela Educação Integral da Secretaria de Educação
O objetivo da Filarmônica, segundo Diomar Silveira, diretor-presidente do instituto Cultural Filarmônica (ICF), é levar a música clássica a todas as pessoas, quebrando o tabu de ser elitista. “Levamos para as praças públicas, juventudes e para os estudantes com os Concertos Didáticos.
“Os meus alunos não conheciam a maioria dos instrumentos que vimos e achavam que não gostavam de música clássica, mesmo sem ouvir. Dou aula de Música na escola e sei dos benefícios que ela pode trazer a meus alunos. Então, acho importante formá-los como apreciadores de música de boa qualidade”
Marcelo Umbelino, professor da Escola Estadual Cristiano Guimarães
Segundo Werner Silveira, músico da orquestra, produtor e programador do DVD, a ideia era fazer um DVD didático que todos pudessem acessar. “Um DVD que não fosse só para criança. Participei do pré-roteiro, com o maestro Armond de Oliveira. Estudamos bastante”.
Ele foi dividido em momentos, como a apresentação, com animação, da orquestra e da família de instrumentos. São cinco obras no total. A primeira tem orquestra inteira para apresentar aos jovens uma orquestra como um todo, depois passa família por família de instrumentos – madeira, metais, cordas e percussão -, e encerramento novamente com a orquestra inteira”.
Além da experiência presencial em salas de concerto, professores, alunos e público em geral têm, por meio do site da Orquestra (www.filarmonica.art.br), no menu Educacional, acesso a obras e compositores, sons, características e curiosidades sobre instrumentos de orquestra, livros de introdução ao universo orquestral dirigidos a crianças, adolescentes e adultos, além de vídeos sobre os bastidores e especificidades dos repertórios.
Plataforma Educacional da Filarmônica de Minas Gerais
A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais tem quatro “Séries Educacionais e de Formação”, visando alcançar e sensibilizar o público de diferentes modos. Os Concertos Didáticos, com oito apresentações, são dedicados a crianças e adolescentes dos ensinos fundamental e médio e a instituições sociais.
Os Concertos Para a Juventude, com seis apresentações e recuperando a tradição dos concertos matinais aos domingos, busca reunir famílias em torno da música clássica e suas histórias.
Os Concertos de Câmara, com oito apresentações, trabalham no sentido de desenvolver a percepção sobre os diversos sons que compõem uma orquestra, por meio de seus grupos instrumentais (cordas, madeiras, metais e percussão).
Já os Concertos Comentados são 48 palestras de 30 minutos cada, com conteúdo histórico e musical, e que têm o objetivo de oferecer, por meio da narrativa, uma experiência mais ampla em relação ao repertório dos concertos das séries Allegro, Vivace, Presto e Veloce.
Há, ainda, duas atividades de “Fomento a Novos Talentos”, ambas de caráter nacional.
Uma delas é o Festival Tinta Fresca, que se destina a estimular a criação musical sinfônica entre compositores brasileiros. Já o Laboratório de Regência oferece a jovens regentes a oportunidade de aprimorar seus talentos por meio de aulas teóricas com o regente titular da Filarmônica, Fabio Mechetti, e aulas técnicas com toda a Orquestra.
Concertos em 2017
A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais lançará em 2017 a décima temporada e tem em seu planejamento concertos de série, programas educacionais, itinerância e produção de conteúdos para a disseminação do repertório sinfônico brasileiro e universal.
“Os concertos didáticos são preparados pensando na oportunidade das crianças conhecerem o que é um trabalho coletivo de músicos, a socialização, a responsabilidade de um sobre os outros e os outros sobre um”, pontua a diretora de Comunicação do Instituto Cultural Filarmônica (ICF), Jacqueline Guimarães.
Noventa e dois músicos trabalham na Orquestra, onde 18 nacionalidades convivem em harmonia. A programação artística tem o apoio de 3.320 assinaturas e 7 prêmios de cultura e de desenvolvimento foram recebidos.
 Folder didático entregue aos alunos na apresentação da Orquestra Filarmônica.
Foto e fonte: Agência Minas.

Nenhum comentário: