CEZAR CANDUCHO

sábado, 19 de novembro de 2016

PTMG - CCJ é discutido na Assembleia Legislativa de Minas.


CCJ é discutido na Assembleia Legislativa de Minas
No primeiro dia de discussões no plenário da Assembleia Legislativa (ALMG), que ocorreu nesta quinta-feira (17), sobre o relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), foi discutido o parecer do deputado Rogério Correia (PT) que recomenda a não autorização da abertura do processo contra o Governador Fernando Pimentel.
Na reunião, a estratégia dos parlamentares de oposição foi tentar, sem sucesso, adiar a discussão, já que as nulidades dessa operação estão evidenciadas na defesa do Governador.
Ainda durante a sessão, o deputado Agostinho Patrus (PV), questionou as constantes provocações e desrespeito cometidos pelo deputado derrotado, ainda no primeiro turno, nas eleições à Prefeitura de Belo Horizonte, Sargento Rodrigues (PDT).
Somente essa semana, o deputado do PDT incitou a violência por duas vezes. A primeira delas, na última quarta-feira (16), quando questionou a proibição da entrada de manifestantes com pedaços de ripas nas galerias da Assembleia Legislativa. A partir desse ato, manifestantes agrediram o deputado Paulo Guedes (PT), em frente à ALMG.
O líder do Bloco Minas Melhor, deputado Rogério Correia (PT), emitiu nota de repúdio contra a violência dizendo que a incitação é tão explícita que, em plenário, houve defesa de entrada nas galerias com pedaço de pau e ripas.
Rogério Correia também afirmou que os atos de violência demonstram a intolerância por parte de um grupo de manifestantes que, instigados por parlamentares da oposição, tentam criar um clima de guerra no Parlamento Mineiro.
O PTMG também se solidariza com o deputado Paulo Guedes e condena qualquer tipo de violência, reafirmando seu compromisso com a democracia.

Assessoria de Comunicação PTMG

***
***
***

Nota de Repúdio



O Partido dos Trabalhadores de Minas Gerais repudia todo e qualquer ato de violência com a população.
A Polícia Militar do Estado teve uma ação truculenta e descabível com os estudantes que estão ocupando a UFMG.
O lamentável ocorrido na manhã de hoje, no Campus da Pampulha não faz jus à orientação do governo de Minas que prima pela liberdade de manifestação dentro dos princípios democráticos e dos ordenamentos legais.
Esperamos que os excessos cometidos contra os estudantes e professores que estavam presentes sejam rigidamente apurados e que os responsáveis sejam punidos.
PTMG

Nenhum comentário: