CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

sábado, 31 de dezembro de 2016

2017: Jogar a culpa no PT vai colar cada vez menos.

desculpas-capa

Michel Temer investiu-se de uma missão árdua: convencer as pessoas a gostarem de seu governo mesmo que não tenham a menor razão para tanto. Ele acredita nos poderes mágicos da mídia omissa e dos marqueteiros espertalhões.
Para o autoproclamado “presidente da República” – que muitos preferem chamar de usurpador –, porém, é perfeitamente possível a vida das pessoas continuar piorando e elas continuarem colocando a culpa nos “governos anteriores” ad aeternum.
No mundo real, porém, teria que fazer mágica para conseguir algo meramente parecido com apoio popular. Então ele tentou fazer.
Em comunicado divulgado no Portal Brasil sob o título “120 dias com coragem para fazer as reformas de que o Brasil precisa”, Temer começa mentindo – contabiliza apenas 120 dias de gestão, sendo que assumiu há exatos 232 dias.
Para fazer mágica, Temer diz que sua “posse efetiva” ocorreu há 120 dias, mas o mesmo Temer disse, recentemente, que ignorou a condição de interino e governou desde maio “como se efetivo fosse
Será que Temer esqueceu o que disse? Claro que não. Ele sabe que pouca gente neste país se informa corretamente sobre política – lendo e ouvindo os dois, três, quatro lados, enfim, quantos lados houver.
Temer fala em “coragem”, mas tem evitado comparecer a palanques, estádios e até velórios por medo de ser vaiado.
O comunicado temerário enumera 40 medidas “que já se tornaram realidade”, como se tudo que se tornasse realidade fosse bom. Desastre de trem pode se tornar realidade e nem por isso é bom.
É o caso das medidas econômicas que perpetrou ou está para perpetrar com a cumplicidade do mesmo Congresso que é seu comparsa no golpe para derrubar o governo legítimo do Brasil.
Temer diz que a reforma da Previdência vai garantir a aposentadoria “das gerações atuais e futuras”, mas não explica, por exemplo, que há Estados onde a expectativa de vida dos homens é de 65 anos, idade em que começaria a aposentadoria só de quem começou a trabalhar aos 15 anos de idade e nunca ficou desempregado.
Diz que o governo assegurou a “moralização das nomeações nas estatais”. Há poucas semanas, Temer loteou seis vice-presidências da Caixa entre partidos aliados. As nomeações atenderam a PSDB, PP, PR, PSB, DEM e PRB.
Temer gaba-se do teto de gastos públicos que irá vigorar por 20 anos e que deve promover um desaquecimento dramático da econômica em um momento em que o país precisaria voltar a crescer e, para tanto, precisaria que o Estado liderasse os investimentos.
Temer disse que está fazendo ajustes nas contas públicas sem criação de novos impostos. Sim, claro, porque vai tirar dinheiro da Saúde, da Educação, do saneamento básico, do transporte, da Segurança Pública para que ricos não paguem mais impostos, já que pobre não tem como pagá-los porque mal ganha para sobreviver.
Será tão difícil explicar isso ao povo? Duvido.
Temer ainda fala de bobagens como “redução do número de ministérios”, medida que não representou nada, feita para enganar trouxas, já que as pastas que existiam com microestruturas continuarão assim, agora fundidas.
Só muda a contabilidade do número de pastas, não o gasto com elas. E, se mudar, não muda pela extinção de pastas, mas pelo recém-criado “teto de gastos públicos”.
Temer se gaba da Lei que desobriga a Petrobras a ser operadora de todos os blocos de exploração do pré-sal, quando esse é um passo para a desnacionalização da gigantesca reserva petrolífera, que, nos próximos anos, os golpistas tentarão doar ao capital estrangeiro em troca de gordas propinas.
O usurpador Michel Temer ainda tenta engabelar a sociedade dizendo que fez a inflação cair, quando se sabe que ela começou a cair em janeiro, muito antes de Dilma ser derrubada pelo Senado.
desculpas-1
Mas não importa muito o que os golpistas pensam, o que importa é que eles só conseguirão fazer a mágica de que precisam para não serem defenestrados pelo voto em uma eleição que pode ocorrer tanto em 2018 quanto no ano que entra se conseguirem aliviar a situação aflitiva em que o povo está mergulhando cada vez mais.
Mas como Temer fará a vida do povo melhorar? O congelamento de gastos públicos inibe o grande motor de investimentos, o setor público. E o setor privado cansou de pregar essa peça no Brasil dizendo que só vai investir se o país arrochar salários, direitos, programas sociais.
Vai ser difícil o país se recuperar do que os golpistas estão fazendo. E o pior talvez nem seja a retirada de direitos, arrocho dos salários, da previdência, dos programas sociais, mas a doação do pré-sal. Esse vai ser o maior roubo do mundo.
Mas nem tudo é má notícia. A continuidade dessa desgraça mal chamada de “governo” Temer vai devolver o juízo ao povo – e, quando se diz “povo”, não é alusão àqueles vagabundos que vestiram camiseta da Seleção, mas ao povão mesmo, aos brasileiros que carregam este país nas costas em suas extenuantes jornadas de trabalho assalariado.
O prejuízo aos brasileiros que será causado por essas reformas será fortemente sentido e vai fazer piorar a vida de todo mundo. E aí entrará de novo em campo o fenômeno que fez o povo condescender com o golpe parlamentar contra Dilma.
Os brasileiros gostam de milagres – deve ter algo a ver com a religiosidade desmesurada deste povo. Acreditamos, os brasileiros, que tirando o PT do poder tudo entraria nos eixos, como diziam os golpistas. Acreditaremos que, trazendo Lula de volta, retornará a prosperidade que permeou todo o seu governo de oito anos.
Na verdade, para impedir que o PT dê a volta por cima a mídia e seu braço policial (Lava Jato) sabem que só resta a extinção autoritária do partido, por decisão de Estado. E a prisão de Lula, claro. Sem esses dois atos de arbítrio, o PT e Lula voltam muito antes do que se pensava.
Isso é o que resulta da mentira. Se o inferno existir, deve ser um lugar em que você tem que ficar correndo atrás das mentiras que será obrigado a contar dia após dia.
A mentira é mais torturante para quem a conta do que para quem a escuta. O mentiroso tem que ir contornando e escondendo os fatos, senão eles vêm à tona. E é isso o que vai acontecer com os golpistas.
Por enquanto, vão ficar com essa malandragem de tentar fazer as pessoas acharem que eles estão há pouco tempo no poder. E de atribuírem a Dilma, a Lula e ao PT a culpa pela sabotagem que eles praticaram no Congresso e com a Lava Jato.
Mas como será daqui a seis meses, quando as medidas duras que foram propostas agora ao Congresso já estiverem se fazendo sentir? Vai ser uma desgraça. O povo vai ficar furioso quando vierem com a desculpa de que a culpa é do PT, do Lula, da Dilma…
*

Nenhum comentário: