CEZAR CANDUCHO

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Volta de Lula e diretas já: de marolinha a tsunami.

lula-capa


O bunker golpista entrou em pânico. O estrondo da pesquisa Datafolha já se fazia ouvir de longe na semana passada, dias antes da divulgação.
Na quinta-feira 9/12, a Folha de São Paulo publica na primeira página que delatores da Lava Jato acusam a Odebrecht de ter “pago caixa 2 a Alckmin”, ou seja, propina.
Poucas horas depois, vem a contrapartida: Lula é denunciado pelo MPF por “tráfico de influência”
Três dias depois, na segunda-feira 12 – estranhamente, não no domingo, quando costumam ser publicadas pesquisas sobre eleições –, a Folha de São Paulo publica pesquisa Datafolha que mostra disparada de Lula na preferência do eleitorado para eleição presidencial de 2018.
Poucas horas depois, mais uma contrapartida. A Polícia Federal anuncia que está indiciando Lula, Palocci e outras cinco pessoas na Lava Jato.
O mais interessante é que uma enxurrada de leitores perguntou no dia seguinte ao jornal, em sua sessão de leitores, por que sua manchete principal de primeira página do dia anterior contradisse a lógica e estampou que Marina Silva venceria em todos os cenários de segundo turno sendo que Lula vence em todos os cenários de primeiro turno e reduziu drasticamente a diferença para a adversária no segundo turno, de mais de 30 pontos para 9, além de, agora, vencer todos os outros adversários nessa possível segunda rodada da eleição de 2018.
Confira, abaixo, cartas de leitores do jornal reclamando da manobra.
lula-1

Não é só. Aparentando dar notícia negativa contra Temer, o UOL dá uma — lula 1
Não é só. Aparentando dar notícia negativa contra Temer, o UOL dá uma notícia para contrabalançar a subida de Lula no Datafolha. Diz que “Rejeição de Temer salta de 29% para 45% e empata com a de Lula”, que seria de 44%.
O jornal só se esqueceu de dizer que em março deste ano, pouco antes de a Lava Jato ter prendido Lula por algumas horas para levá-lo à força para depor no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ele tinha 57% de rejeição; que, um mês depois, essa rejeição caiu para 53%; que, em julho, a rejeição de Lula já havia despencado para 46%, segundo o mesmo Datafolha; e que neste mês de dezembro, caiu de novo, agora para 44%, ao mesmo tempo em que o petista passa a vencer todos os tucanos em primeiro e segundo turno, além de ter encostado em Marina Silva.
É neste ponto que sobressai uma pergunta: por quê e como? Por que e como Lula sobe na preferência do eleitorado, apesar dessas manipulações da mídia e da clara operação de guerra do Estado brasileiro contra ele, através do uso da “lei”?
A resposta parece evidente, à luz dos fatos supracitados. Está na cara que a população vai percebendo que há uma evidente manipulação de fatos contra Lula e, mais do que isso, essa mesma população parece estar chegando às conclusões óbvias a que este Blog disse tantas vezes que chegaria.
Essa conclusão é muito simples de entender: a manipulação grosseira que você viu acima está fazendo cada vez mais gente ficar desconfiada do processo que tirou Dilma Rousseff do poder e que fez milhões de brasileiros se voltarem contra um grupo político e um líder que durante mais de uma década melhoraram profundamente suas vidas.
Além disso, há um outro fator. As pessoas gostam de acreditar em soluções mágicas. Pelos menos a maioria das pessoas. Desse modo, acharam que tirar Dilma valeria aceitar tudo. Aceitaram sabotagem do governo dela e aceitaram mentiras toscas que negaram a melhora de vida inédita que os brasileiros tiveram ao longo de mais de dez anos de governos petistas.
Tudo em prol de promessas veladas que os golpistas fizeram no sentido de que tirando Dilma tudo voltaria ao que era. Como tantas vezes se disse aqui, o povo tirou o PT do poder para obter de volta tudo aquilo que quem lhe deu foi o PT.
Como era óbvio, os golpistas não teriam como entregar o que prometeram sem prometer, deixando subentendido. Se tivessem dito claramente que mesmo tirando Dilma os problemas prosseguiriam, talvez tivessem encompridado o prazo de tolerância, ainda que seja difícil tolerância para quem vê seus direitos trabalhistas e previdenciários e os serviços públicos afundando.
A erosão precoce do governo Temer – do qual o PSDB se tornou protagonista imaginando que o ódio ao PT seria suficiente para todo mundo aceitar piorar drasticamente de vida –, então, inaugura uma nova agenda.
A pesquisa Datafolha recém-divulgada deu conta de que 63% do eleitorado querem eleições diretas
lula-2
Ao contrário do que se pensava, porém, o Datafolha mostra que não está acontecendo no país aquilo que as manifestações dos patos verde-amarelos na avenida Paulista e em Copacabana sugeriam. Não é a direita que está sendo beneficiada com o naufrágio ultrarrápido do governo tucano-peemedebê, é a esquerda. E, mais do que isso, de forma impensável, Lula é que está ganhando. De novo.
No começo deste ano, Lula tinha virado uma marolinha eleitoral. A campanha midiático-estatal contra ele tinha surtido bons efeitos, ainda que muito menores do que se esperava. Apesar de tudo, quase 40% do eleitorado (segundo o Datafolha) continuava a considerar Lula o melhor presidente que o Brasil já teve.
Desesperados, os dois maiores lulofóbicos do país, Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi, surtaram ao reconhecerem que o ex-presidente começa a recuperar sua força eleitoral à revelia dos ataques da Lava Jato e da mídia.

lula-3
Contudo, concordo com Azevedo. Acusações de “corrupção” como forma de combater Lula, Dilma e o PT fracassaram incontáveis vezes. Não foi por isso que grande parte do povo apoiou o golpe. É a economia, reaças estúpidos. Foi ela que fez o povo se voltar contra o PT.
Porém, como eu disse um bilhão de vezes neste Blog e nas rede sociais, o fator “recall” iria começar a se fortalecer conforme o povo fosse percebendo quanto piorou de vida após ter passado mais de dez anos de sua vida melhorando por obra e graça de quem mesmo…?
Enfim, é isso. Agora, a marolinha Lula + eleição direta para presidente ameaça virar uma tsunami devido ao mesmo fenômeno que fez grande parte do eleitorado pobre ou remediado (que é a ampla maioria) se voltar contra Lula, Dilma e o PT.
Os brasileiros começam a ver em Lula a possibilidade de obter de volta o que foi ele quem lhes deu durante mais de uma década. E para terem Lula de novo, querem eleição direta.
Prender Lula torna-se um imperativo. Os principais colunistas dos grandes meios já bradam que a única chance de impedir a volta dele é prendê-lo.
Estão errados. O povo não votará no PSDB porque Lula está preso, votará na coisa mais próxima de Lula que estiver disponível, se quiser muito que ele volte.

*

Nenhum comentário: