CEZAR CANDUCHO

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Dória assume com apoio ostensivo da mídia antipetista.

doria-capa

No primeiro dia do ano, vendo o noticiário festivo em torno da posse do novo prefeito de São Paulo, João Dória, escrevi um comentário no Twitter que reproduzo aqui porque tem tudo para se tornar profético.

doria-1
É óbvio que ninguém está cobrando da mídia – que fustigou o ex-prefeito Fernando Haddad do primeiro ao último dia de seu mandato recém-terminado – que atacasse o novo prefeito paulistano no dia de sua posse, mas tampouco parece cabível que essa mídia adote um tom de comemoração e de assessoria de imprensa no dia em que o tucano tomou posse.
Para não ser acusado de má vontade com Dória e a mídia antipetista, deixo pra lá a comemoração mal contida dos grandes órgãos de imprensa antipetistas. Mas vale fazer um registro.
Apesar de que Globo, Folha, Estadão, Veja e cia. mal conseguiram disfarçar o júbilo diante da extensão do império tucano em São Paulo, Estado governado há 21 anos pelo PSDB, só no dia a dia será possível mostrar a tendenciosidade desses veículos, os quais, com Haddad, eram tendenciosos contra e agora serão tendenciosos a favor.
Houve, porém, um caso escandaloso de sabugismo político praticado pelo veículo que, de longe, foi o maior inimigo do ex-prefeito Fernando Haddad. Através de seu comentarista Marco Antonio Villa, a rádio Jovem Pan perseguiu tanto o ex-prefeito que ele foi obrigado a processar esse indivíduo.
Como se pode notar na imagem lá em acima, fiz o comentário sobre o comportamento da mídia paulistana às 9:40 horas de 1º de janeiro de 2017. Poucas horas depois, o site da Jovem Pan, hospedado no UOL, publica uma longa bajulação ao novo prefeito.
Observação: a Jovem Pan é uma das rádios que mais acusou blogueiros de serem “chapas-brancas”
O título da reportagem já oferece uma pista do que vem pela frente: “Secretários mantêm promessas de Doria e veem desafio de “fazer mais com menos
A matéria é constrangedora, para dizer o mínimo. Foi dividida em tópicos tais como “romessa mantida na saúde”, “Objetivo é zerar crianças sem creche”, “Wi-Fi para todo mundo”, “Parques dignos”…
Não é uma reportagem, é um release de assessoria de imprensa. Cada tópico tem um vídeo, cada vídeo é de um repórter da Jovem Pan entrevistando um secretário da nova administração.
A reportagem vai reproduzida abaixo. Os vídeos nem vale a pena ver, pois são pura adiantada de bola para os secretários de Doria chutarem.
doria-2
O mais absurdo dessa matéria é que ela fala em “promessas cumpridas” de um prefeito que nem começou seu mandato.
Esse release feito Pela Jovem Pan Assessoria Política deve ser um novo ramo de atividade em que a rádio entrou e contrasta escandalosamente com o tratamento que ela dava ao agora ex-prefeito Fernando Haddad.
Vamos relembrar – e comparar – como a Jovem Pan o tratava.
28 de abril de 2016.


22 de julho de 2016

12 de setembro de 2016

10 de outubro de 2016


21 de novembro de 2016


Daria para encher vários blogs se tivesse que divulgar aqui todos os ataques da Jovem Pan a Haddad. E seria ocioso fazê-lo; a desavença da Jovem Pan com Haddad é mais do que notória. A rádio foi usada como arma política do PSDB contra o adversário, o que, inclusive, em períodos eleitorais viola a lei eleitoral.
Assim fecha o círculo da dinastia tucana em São Paulo. O PSDB governa o Estado há 21 anos enquanto sua população, desinformada pela mídia, cobra outras esferas de governo por problemas que são do governo do Estado, tais como o transporte metroviário e ferroviário, a segurança pública etc.
Como venho dizendo, a partir do último domingo e pelos próximos quatro anos a mídia antipetista vai “esquecer” que São Paulo capital tem prefeito assim como “esquece” que São Paulo Estado tem governador.
Um povo que mantém o mesmo partido no poder durante 21 anos teria que estar vivendo em um paraíso. A longevidade de sucessivos governadores tucanos, porém, não se deve a um bem-estar em São Paulo que qualquer um que conheça o Estado sabe que não existe. Essa longevidade deriva de blindagem de governantes tucanos pela mídia, sobretudo pela mídia paulista.
A administração João Dória, portanto, tornar-se-á um manancial de furos para a imprensa dita “alternativa”. Blogs como este, páginas das redes sociais, todos poderemos furar a mídia chapa-branca que tentará blindar Doria assim como blinda Alckmin.
Mas a administração municipal será muito mais fácil de fiscalizar. O governo paulista está localizado no limbo. O palácio dos Bandeirantes fica em uma região inacessível e o governo paulista é um dos mais opacos do Brasil.
Este blog pretende acompanhar pari passu o novo governo paulistano. E já tem pauta programada para o mês de janeiro. Assim, exorto companheiros blogueiros e demais ativistas digitais a ficarem muito atentos.
O governo Dória será muito… interessante, por assim dizer.
*

Nenhum comentário: