CEZAR CANDUCHO

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

PTMG - PT deve mobilizar povo contra pautas de retrocessos, afirma Damous.



Para o deputado, apenas a mobilização popular será capaz de derrotar as agendas de retiradas de direitos, como as reformas da previdência e trabalhista.
A tarefa do Partido dos Trabalhadores em 2017 é mobilizar a população pelas eleições diretas para presidente da República e para barrar as pautas do retrocesso, impostas pelo governo ilegítimo de Michel Temer. Essa é a avaliação do deputado federal Wadih Damous (PT-RJ).
Isso porque, para ele, apenas com mobilização e povo nas ruas será possível enfrentar as agendas do retrocesso, simbolizadas, sobretudo, nas reformas da Previdência e trabalhista.
Damous acrescenta que a resistência não virá do Congresso Nacional, “na sua grande maioria composto pelo que há de pior aqui no Brasil”, nem do Poder Judiciário, que “hoje é um poder associado ao golpe e ao retrocesso”.
“Nós temos que enfrentar a agenda do retrocesso. E derrotá-la. O grande papel do PT é se associar aos movimentos sindicais, aos movimentos sociais e populares para derrotar essa agenda do retrocesso. Essa é a nossa tarefa, a nossa principal e talvez única tarefa: mobilizar a população”, enfatizou.
Para o petista, um governo ilegítimo, que não consegue governar e está impondo retrocessos aos direitos, precisa ser tirado do poder.
“O País é governado hoje por uma quadrilha, uma camarilha de bandidos. Esse governo tem que ser derrubado democraticamente. E a forma de derrubar um governo ilegítimo é no voto. É isso que nós temos que reconquistar nas ruas também”, afirmou.
Nesse cenário, as ‘ Diretas Já’ é uma pauta permanente, avaliou Damous, pois “vivemos em um regime inconstitucional” desde o golpe que derrubou a presidenta eleita Dilma Rousseff.
“As ‘Diretas Já’ são uma imposição desse contexto. Nós precisamos recuperar nossa democracia. E para isso temos que recolocar no patamar de que foi retirado a soberania popular, que é o voto. Um governo só pode ser legítimo se ele for eleito pela maioria da população”, apontou.

Congresso do PT

A democracia interna do PT também precisa ser recuperada, opinou o deputado petista, ao falar da sua expectativa para o 6º Congresso Nacional do PT, que acontecerá este ano.
Para ele, o PT foi perdendo a sua identidade ao longo do tempo.
“A democracia no partido foi sendo solapada. Então nós temos também que recuperar a democracia interna no partido. As discussões têm de ser amplas, abertas, e elas devem resultar exatamente na recuperação da identidade do PT. Um partido ligado às suas bases, ligado aos movimentos sociais, um partido que emergiu do povo brasileiro, dos trabalhadores brasileiros”.
Damous espera que o Congresso do PT “abra caminho para isso”, sendo um momento “democrático, amplo, que todas as posições sejam respeitadas”.
De acordo com o deputado, o PT tem de reconhecer seus erros e admitir que precisa mudar. E declarou que o golpe foi, de alguma forma, facilitado pelos erros do partido.
“Nós não podemos permanecer como estamos ao longo desse tempo. Nossos governos foram vítimas de um golpe, mas nós facilitamos esse golpe, nós cometemos erros e esses erros têm de ser corrigidos, admitidos e corrigidos. E corrigidos para que eles não voltem a acontecer”, ressaltou.
Foto e fonte: Agência PT de Notícias 
***
***
***
Governo reforça orientações para vacinação contra a febre amarela.


Situação de surto em algumas regiões altera regras de vacinação para alguns casos. Quem receber duas doses ao longo da vida está imunizado.
Secretaria de Estado de Saúde (SES) reforça as recomendações de vacinação para conter o surto de febre amarela nas imediações de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni. Nestas regiões, as doses devem ser administradas, preferencialmente, a pessoas que vivem em áreas rurais dos municípios com casos suspeitos e a pessoas que nunca se imunizaram contra a doença.
Para quem tem mais de 5 anos e já tomou a primeira dose, não é preciso esperar 10 anos para tomar o reforço, que deve ser aplicado imediatamente.
Idosos que nunca se vacinaram e também residem em área de risco (zona rural) com casos prováveis de febre amarela devem receber uma dose como precaução e serem devidamente acompanhados. Em gestantes a vacinação deverá ser analisada caso a caso através de avaliação médica. Elas devem ser devidamente acompanhadas em relação aos eventos adversos durante todo o pré-natal e nascimento do bebê.
“As pessoas devem ficar atentas quanto à orientação para a vacinação, sobretudo no caso de idosos e crianças. As recomendações especiais são para as pessoas que vivem nas áreas de risco, onde foram identificados casos suspeitos de febre amarela. Para as demais regiões do estado, o esquema vacinal continua normal e sem alterações”, esclarece a diretora de Vigilância Epidemiológica da SES, Janaína Fonseca.
Em caso de mulheres que estejam amamentando crianças menores de 6 meses de idade, a vacina deve ser evitada ou postergada quando possível. Se não for possível, existem orientações em relação ao estoque de leite materno, uma vez que a amamentação deve ser suspensa por 28 dias.
Em crianças entre 6 e 9 meses, deve ser aplicada uma dose aos 6 meses, não sendo considerada válida para rotina, devendo ser mantido o esquema vacinal aos 9 meses e aos 4 anos de idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.
Pessoas que receberam uma dose antes de completar 5 anos também devem administrar o reforço com intervalo mínimo de 30 dias. Destaca-se ainda que, em crianças menores de 2 anos de idade não vacinadas contra a febre amarela, não deve-se administrar as vacinas tríplice viral ou tetra viral simultaneamente com a vacina febre amarela. O intervalo entre as vacinas é de 30 dias. Em situações de surto, este prazo pode ser reduzido para 15 dias.
A vacina é contraindicada a crianças menores de 6 meses de idade, pacientes com neoplasia, imunodeficiência primária, imunossupressão e submetidos a transplante de órgãos, entre outros casos.
Distribuição de vacinas
Todos os estados estão abastecidos com a vacina e o país tem estoque suficiente para atender toda a população nas situações recomendadas. Na semana passada, o Ministério da Saúde enviou 735 mil vacinas ao estado, totalizando mais de 1 milhão de doses ao estoque de Minas Gerais.
Postos de saúde móveis estão sendo montados nas regiões onde estão ocorrendo os casos suspeitos de febre amarela, além da ampliação do horário de funcionamento das unidades de saúde. Devido ao aumento da demanda pode ocorrer um desabastecimento pontual em alguns municípios, mas o estoque é logo recomposto.
A vacina contra a febre amarela é ofertada no Calendário Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e é enviada, mensalmente, para todo o país. Em 2016, o total distribuído foi de mais de 16 milhões de doses.
Ajuda aos municípios
Intensificando as ações do Governo de Minas Gerais no combate à febre amarela, o governador Fernando Pimentel assinou, na última sexta-feira (13/1), dois despachos definindo como prioridade o investimento de R$ 26 milhões para ações de enfrentamento ao surto da doença nos municípios das unidades regionais de Saúde de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni. Os recursos também contemplam ações de Atenção Primária à Saúde.
O governador já havia decretado situação de emergência em saúde pública na área de abrangência das unidades regionais de saúde citadas. O decreto NE Nº20/2017, publicado no Diário Oficial do Estado, é uma resposta do Governo ao surto de doenças infecciosas virais, casos prováveis de febre amarela, notificado nas imediações das cidades mencionadas.
Em 2017, até 13/1, foram notificados 133 casos suspeitos de febre amarela, sendo que desses 20 são casos prováveis, cujos pacientes apresentaram quadro clínico suspeito e exame laboratorial preliminar reagente. Em relação aos óbitos, foram notificados 38 , sendo que desses, 10 são considerados óbitos prováveis de febre amarela. Essas mortes ocorreram nos municípios de Piedade de Caratinga (3), Ladainha (3), Ubaporanga (1), Ipanema (1), Itambacuri (1) e Malacacheta (1).
Acompanhe as principais notícias sobre o tema no site e redes sociais da Secretaria de Estado de Saúde:
– Clique aqui e confira no Blog da Saúde MG o post especial com perguntas e respostas sobre Febre Amarela.
– Clique aqui e confira informações importantes sobre a atualização do Calendário Nacional de Vacinação.
– Clique aqui para acessar o Facebook da SES.

Foto e fonte: Agência Minas

Nenhum comentário: