CEZAR CANDUCHO

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Golpistas têm projeto: manter-se no poder até 2018 e destruir Lula e o PT.



Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

É sintomático. A direita brasileira, formada por maltas de corruptos, golpistas e usurpadores, que mais uma vez na história tomou o poder de assalto, como os bandidos rotineiramente assaltam a sociedade, não vai largar o osso, ou seja, o Estado nacional. Portanto, jamais, e em nome da democracia, do Estado de Direito, da Constituição, da moral e dos bons costumes, não irá, de forma alguma, arriscar o único "projeto" de País que tal escória produziu em toda sua existência: consolidar  golpes e perseguir, diuturnamente, presidentes trabalhistas, especificamente o ex-presidente, de forma covarde, feroz e desumana, porque a vitória eleitoral de Lula significa o triunfo de um projeto soberano, independente e autônomo de País, que visa, sobretudo, transformá-lo em potência econômica mais do que já é, bem como torná-lo influente nas discussões e negociações em âmbito mundial.

De maneira alguma as oligarquias brasileiras e proprietárias do Estado brasileiro durante séculos vão abrir mão de se manter no poder a qualquer custo, nem que o preço seja a transformação total do Brasil em um pardieiro e terreno gigantesco onde viceja a violência, a pobreza e a prostituição dos brasileiros em todos os sentidos. Não somente em termos da venda de seus corpos, mas, sobretudo, da mercantilização de seus futuros, do bem-estar desejado e do direito a ter acesso a um País mais justo, democrático e solidário, que propicie a todos os cidadãos uma vida de melhor qualidade, com igualdade de oportunidades, conforme reza a Constituição de 1988, que hoje não passa de letra morta, porque vilipendiada grotescamente por golpistas, com a aquiescência e a cumplicidade do STF, da PGR e do Judiciário em geral.

Destruir o projeto de inclusão social e de independência do Brasil se trata de estratégias como nunca se viu antes na história deste País atrasado, onde habitam a burguesia e a pequena burguesia mais reacionárias e perversas do mundo ocidental. O ímpeto de destruição e de desmonte do Estado brasileiro, dos projetos estratégicos vinculados às terras (agropecuária), ao petróleo (energia) e à segurança  (construção de submarinos nucleares e a exigência de conteúdo local e de transferência e conhecimento de tecnologias) por parte dos golpistas, que assumiram o poder central sem a autoridade do voto, impede que suas ações sejam soberanas, porque se trata de um governo usurpador, que conquistou o Palácio do Planalto, a partir da maior farsa que este País vivenciou. Uma verdadeira fraude, pois capitaneada por um consórcio oligárquico, que não aceitou a derrota eleitoral de 2014 para o PT, além de ser compromissado com os interesses do governo dos EUA e as corporações bancárias e petrolíferas dos países desenvolvidos.

O poder tomado pelos bárbaros ainda não se tornou o poder consolidado, pois o golpe de estado não termina apenas na ascensão de *mi-shell temer, um vice-presidente sem votos, traiçoeiro e testa de ferro da direita implicada na Lava  Jato, que, além de trair sua companheira de chapa, Dilma Rousseff, traiu a confiança de quase 55 milhões de brasileiros, que votaram em um projeto de País vitorioso, no decorrer de 13 anos, ou seja, quatro eleições presidenciais.

O exemplo inquestionável da luta para impedir que Lula seja candidato a presidente e, consequentemente, destruir o PT, a tê-lo como o único partido punido pelas decisões arbitrárias, parciais, seletivas e de carácteres persecutórios do STF, da PGR, da PF e da Vara do juiz Sérgio Moro, com a intenção de mantê-los, indefinidamente, no olho do furacão, são os delegados da PF, Igor Romário de Paula, que disse à imprensa de mercado e golpista que Lula poderia ser preso daqui a dois meses, e Marlon Cajado, que acusou Lula de obstruir a Justiça, quando a verdade é que Dilma Rousseff, mandatária legítima e com autoridade para nomear quem ela quiser a cargos do Governo Federal, foi quem tentou empossar Lula como chefe da Casa Civil, de modo que o líder trabalhista e esquerda tentasse recompor a base partidária do Governo no Congresso Nacional, pois o propósito era garantir a estabilidade político-institucional, até porque no Brasil os governos eleitos são de coalizão, coisas que servidores públicos do Judiciário, do alto de suas ignorâncias políticas, parecem não compreender.

Contudo, tais delegados, como também juízes do STF, de primeira instância e inúmeros procuradores não acusam e nem se sentem melindrados, do alto suas egolatrias, quando o traidor e golpista *mi-shell temer nomeia, para juiz do STF, o tucano e ex-ministro da Justiça, Alexandre Lex Luthor de Moraes, que sabidamente tem a missão de blindar os homens do governo entreguista e antipopular do *temer, no que diz respeito a não serem réus pelas ações do juizado da Lava Jato e do MPF de Paraná. São dois pesos e duas medidas, já que não se pode e não se deve esquecer que o golpista Moreira Angorá Franco foi nomeado ministro pelo seu comparsa *mi-shell, pois desta forma tal sujeito, que não tem votos para eleger a prefeito de Niterói, também é um dos indivíduos do governo entreguista acusado de corrupção pelos delatores das masmorras da Lava Jato.

Lula e seus aliados ainda não viram nada, porque a perseguição por parte dos vazadores e repressores da Lava Jato e dos jornalistas da imprensa de negócios privados mais corrupta e golpista do planeta vão recrudescer o processo de destruição e de desconstrução da imagem do político mais popular da história do Brasil e o mais conhecido da América Latina em termos mundiais. E toda esse selvageria das oligarquias terceiro-mundistas tem um propósito fundamental: a disparada de Lula nas pesquisas eleitorais encomendadas pelos próprios perseguidores do ex-presidente petista.

Não haverá água e nem misericórdia. Existe muita coisa em jogo. A verdade é que o lado que milita no campo da direita pode fazer tudo, inclusive roubar de forma impune, sem ser molestada pelas instituições, órgãos e corporações do Judiciário. Aqui neste País se pode tudo, tanto que pessoas ou grupos não sejam de esquerda e não se metam a dividir renda e riqueza de forma democrática, a fim de desenvolver o País e torná-lo independente e autônomo. Nem pensar. A burguesia se sente à vontade e mais segura a circular pela órbita de influência dos Estados Unidos. Complexo de vira-latas, além de vocação irresistível para ser subalterno e colonizado. Trata-se do DNA de los macaquitos miameiros, que, não me canso de falar: nunca, em momento algum da história pensaram o Brasil.

Os patifes e os medíocres estão no poder, com o apoio da classe coxinha que é tão cúmplice e culpado por este País ser o que é: atrasado socialmente e dependente economicamente. A mediocridade perdeu a modéstia, e não mais se importa em mostrar e repercutir o quanto é imbecil, ignorante e despolitizada. Os medíocres subiram no pódio e, orgulhosos, evidenciam suas incompetências que se refletem na destruição da economia brasileira e no desmonte do estado nacional. São mentalmente e civicamente párias, porque se importam apenas com individualidades, que proporcionam a essa gente satisfações e prazeres a curto prazo, a envergar camisas amarelas sob à sombra do pato amarelo, leviano e corrupto da Fiesp. Por sua vez, os coxinhas se calaram e não reclamam nem de serem estuprados em seus direitos trabalhistas e previdenciários, empregatícios e consumistas, ou seja, do acesso pleno ao mercado. Uma verdadeira lástima e burrice sem dó!

A luta agora se dá no campo do STF. Lula tem de ser parado de qualquer jeito. Todo fim de semana se cria uma acusação a ele e sua família, ao tempo em que todo fim de semana não se toca no assunto da Lava Jato e de suas delações contra os políticos do PSDB, nas pessoas de Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin, FHC — o Neoliberal Golpista I — et caterva. A percepção das covardias e perseguições é total, mas o Brasil foi maneteado, igual a boi em vaquejada. Grupos reacionários e de históricos ditatoriais se mobilizaram e deram mais um golpe no Brasil e em seus eleitores. Este País não tem jeito. Jamais vai se tornar em um imenso Portugal, como diz o poeta Chico Buarque. Aqui a casa grande põe rédeas, cabrestos e ferraduras no povo. Locupleta-se a valer com as riquezas e as produções propiciadas pelo suor dos trabalhadores brasileiros. É isso aí. 

*mi-shell temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*mi-shell temer, além de ter seu nome sempre escrito em minúsculo, sempre terá seu primeiro nome escrito com as letras m-i-s-h-e-l-l. Portanto, o nome de tal desditosa peçonha passa a ser escrito no Palavra Livre como *mi-shell temer. PS: sempre em minúsculo.

*mi-shell é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça — o Usurpador Traidor.

*Golpista é palavra sinônima de *mi-shell temer.

*mefistófeles é *mi-shell temer.

*mi-shell temer é *mefistófeles.

*mefistófeles é sempre escrito em minúsculo.

Nenhum comentário: