CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

PTMG - Padre João pede à PGR apuração de denúncias contra Aécio Neves.



Pedido feito por deputado petista leva em conta denúncias de jornalista que teria sido perseguido após divulgação de matérias contra o governo do tucano.
O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM), deputado federal Padre João (PT-MG), solicitou ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que apure as denúncias realizadas pelo jornalista Marco Aurélio Flores Carone contra o senador Aécio Neves.
As informações apontam desvio de dinheiro público oriundo da extração de nióbio no período em que o político do PSDB era governador de Minas Gerais. O esquema teria envolvido estatais mineiras como a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerias (CODEMIG) e da Cia. Brasileira de Metalurgia & Mineração (CBMM).
Carone fez as denúncias durante audiência pública promovida pela CDHM em 23 de novembro de 2016, com o tema “Violações de Direitos Humanos de Jornalistas”. A audiência, transmitida pela TV Câmara para todo o país, abordou a perseguição sofrida pelo jornalista devido as denúncias que realizou contra o governo mineiro, que resultaram na cassação do registro do seu jornal e na prisão de Carone por nove meses, em período concomitante ao da eleição presidencial de 2014, em que o senador Aécio Neves foi derrotado no segundo turno por Dilma Rousseff. Cinco dias depois do segundo turno, o jornalista foi libertado e posteriormente absolvido no processo que originou sua prisão.
No ofício enviado pela CDHM ao procurador-geral da República, Padre João ressalta que o pedido está sendo feito para “avaliar e investigar as denúncias relativas à ameaça ou violação de direitos humanos”, uma das principais atribuições da Comissão de Direitos Humanos e Minorias.
Durante a audiência, Carone entregou documentos comprobatórios das denúncias de fraude e desvio de recursos públicos, que foram anexadas ao ofício, junto com a íntegra das notas taquigráficas.
“Atentos à gravidade dos fatos, solicitamos a Vossa Excelência que examine os documentos no anexo e as denúncias feitas na audiência pública para, no âmbito das suas competências, promover a devida apuração e consequente responsabilização dos agentes envolvidos”, diz o deputado Padre João no texto enviado ao procurador Rodrigo Janot.
Foto e fonte: Agência PT de Notícias.

***
***
***


Lula: Agora o céu ganha a estrela que iluminou a minha vida.
Ex-presidente prestou homenagem à Marisa, que faleceu na sexta (3). Velório aconteceu no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde eles se conheceram.
O velório e as homenagens a Dona Marisa reuniram milhares de pessoas no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), neste sábado. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu a solidariedade e o abraço de militantes, dirigentes, colegas e familiares durante toda a cerimônia.
Em homenagem à Marisa, uma coroa de flores assinada por Lula com a frase: “agora o céu ganha a estrela que iluminou a minha vida”.
Ao final da cerimônia, ele agradeceu a todos que estiveram no local e que enviaram manifestações de apoio. Lula relembrou a importância do sindicato em sua história.
“Vocês não têm dimensão da representatividade desse espaço que nós estamos tem na minha vida. Aqui, eu aprendi a falar, eu perdi o medo do microfone, nós decidimos combater a ditadura militar, criamos o novo sindicalismo, nós pensamos em criar a CUT e o PT, aqui nós pensamos em fazer todas as greves que foram feitas e, a partir daqui, saiu a inspiração para que muitos sindicatos no Brasil se transformassem em sindicato”, lembrou.
“Aqui eu conheci a Marisa. Aqui eu casei com a Marisa. (…) Aqui nós tivemos os nossos filhos e aqui a Marisa sustentou a base para que eu me transformasse no que eu me transformei”, continuou o ex-presidente.
Lula exaltou o companheirismo de Marisa Letícia, que o apoiou e permitiu que ele chegasse à Presidência da República. “Eu sou resultado dessa menina que parecia frágil e que me deu a garantia que eu poderia viajar que ela segurava a barra dos filhos”, afirmou.
O ex-presidente citou diversos momentos da história do casal, como o nascimento dos filhos, que ele acompanhou, sempre, à distância, impossibilitado de acompanhar os partos.
“Eu assumi o compromisso com ela que eu ia assistir o parto do Luis Cláudio (filho mais novo) e quando eu estou na clínica, me liga um companheiro falando de uma reunião urgente. Eu outra vez pedi desculpas a Marisa e falei ‘meu amor, ainda não é dessa vez’. Quando eu cheguei ao hospital, já tinha nascido”.
“Eu vou continuar agradecendo a Marisa até o dia que eu não puder mais agradecer. E espero encontrar com ela com esse mesmo vestido que eu escolhi para colocar nela para mostrar que a gente não tem medo de usar vermelho”.
Ao final do discurso, Lula condenou os ataques contra a ex-primeira dama. “Eu tenho 71 anos e eu quero provar, para os facínoras que levantaram leviandade contra a Marisa e que eles tenham, um dia, a humildade de pedir desculpas a ela”.
“Eu tenho a consciência tranquila, tenho certeza da consciência e do trabalho da minha mulher. Querida companheira Marisa, descanse em paz porque o seu ‘lulinha paz e amor’ vai continuar brigando muito para defender a sua honra e a sua imagem”.
Dom Angélico, bispo católico brasileiro emérito da Diocese de Blumenau, participou, juntamente com outros representantes das mais diversas religiões, de uma cerimônia religiosa dedicada à Marisa Letícia.
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, homenageou, em nome de todos os petistas, a ex-primeira dama. “Marisa foi companheira e lutou ombro a ombro com o presidente Lula. Não é aquela visão daquela mulher que vive atrás. Ela tinha vida própria, sabe das lutas dos trabalhadores”, exaltou Falcão, ao desejar força ao ex-presidente Lula.
Fonte: Agência PT de Notícias.

Nenhum comentário: