CEZAR CANDUCHO

terça-feira, 14 de julho de 2015

Só restou ao PSDB fazer oposição ao Brasil.

ibope capa

A recente pesquisa Ibope que mostrou perda substancial – ainda que menor do que o esperado – de capital eleitoral de Lula contém elementos que revelam quais são os grupos de eleitores que abandonaram Dilma Rousseff, o ex-presidente e o PT. Juntos, esses grupos representam cerca de um terço do eleitorado total que reelegeu a presidente.
Essa pesquisa foi divulgada no sábado, apesar de ter sido realizada na segunda quinzena de junho, e mostrou que Lula seria derrotado por 48% a 33% dos votos totais em um confronto eleitoral com Aécio Neves, e que empataria tecnicamente se o candidato fosse Geraldo Alckmin (40% para o tucano e 39% para o petista).
A estratificação da pesquisa revela quem é o eleitorado que abandonou não apenas Dilma e o PT, mas, também, o dito “lulismo”.
ibope 1
O cientista político Marcus Melo, da UFPE, fez uma análise muito boa da pesquisa e dividiu em dois grupos os eleitores que abandonaram o PT, que chamou de “core voters” e “swing voters”.
Os “core voters” são os eleitores ideológicos, de esquerda, que, nas eleições presidenciais anteriores, votaram no PT por maior identificação e para evitar que o novo grande partido de centro-direita, o PSDB, chegasse ao poder.
Esses eleitores são de classe média e ligados a sindicatos, movimentos sociais e até a partidos de esquerda. São informados politicamente e altamente escolarizados. Porém, são bem menos numerosos que os do segundo grupo.
Esse eleitorado foi fortemente afetado pelas críticas que o governo Dilma sofreu “pela esquerda” e, desiludido, integra o segmento que anularia o voto ou votaria em branco se houvesse nova eleição presidencial.
Os “swing voters” compõem a grande maioria dos eleitores que, segundo a mídia, teriam jogado o governo Dilma, Lula e o PT no “volume morto”. São associados à prática de “swing” (sentido figurado de troca de parceiros) porque não têm fidelidade ideológica; guiam-se, basicamente, pelo bolso.
Os “swing voters” têm pouquíssima informação política e não têm ideologia definida. Esse grupo responde, fundamentalmente, a mudanças para melhor ou para pior no seu bem-estar e abriga os mais temerosos pelo futuro, sobretudo em questões como desemprego e inflação.
No passado recente, esse grupo não havia deixado majoritariamente Dilma, Lula e o PT porque, apesar do medo do futuro, não havia sentido piora considerável em seu bem-estar. Com as medidas do ajuste fiscal, já sente piora e, assim, enfureceu-se ao julgar que as críticas que o governo Dilma sofria tinham fundamento.
Devido à ampla campanha midiática de associação de Lula a Dilma, os “swing voters” passaram a enxergá-los como uma coisa só.
No caso de uma ruptura democrática neste momento (impeachment) ou das eleições de 2018, os “core voters” acabariam votando no PT (sobretudo se o candidato for Lula) a contragosto, para evitar o “mal maior” associado à volta da centro-direita tucana (ou similar) ao poder, mas seriam insuficientes para barrar o candidato do PSDB.
Dessa forma, apesar de os “core voters” estarem enfurecidos com o governo, com Lula e com o PT – ironicamente, graças à propaganda negativa inclusive de setores do próprio PT contra o ajuste fiscal – eles reduziriam a vantagem de Aécio em um confronto direto com Lula neste momento. E, muito provavelmente, caso o candidato do PT fosse outro.
No caso dos “swing voters”, porém, a situação seria mais complicada se houvesse golpe “branco” e fosse convocada nova eleição presidencial neste momento, pois a economia ainda estaria com problemas e, desse modo, o eleitorado volúvel votaria em qualquer um que prometesse evitar os problemas econômicos que teme e/ou que já começa a sentir.
Só para registro, vale refletir que, em caso de o PSDB  (ou similar) assumir o poder e não evitar a crise, mesmo atribuindo o problema à “herança maldita do PT” não evitaria o descrédito e o enfurecimento, agora consigo, dos “swing voters”.
Contudo, se o golpe for evitado e a disputa pela Presidência só vier a ocorrer em 2018, a reversão da situação de Lula e do PT é absolutamente factível, dependendo, apenas, de que o Brasil retome um ritmo consistente de crescimento do emprego e da renda a partir de 2017.
O cientista político supracitado considera que é “improvável” que a economia entre nos eixos em um ano e meio. E, apesar de não ter dito, isso se deve ao fato de que, além dos problemas próprios do desequilíbrio entre receita e despesa, há o componente político, que é hoje o tendão de Aquiles da economia.
Os condutores da Operação Lava Jato prometem manter o estardalhaço até a eleição presidencial de 2018. O Congresso, hoje nas mãos da direita, tratará de ir aprovando toda sorte de maluquices – como extensão de reajustes do mínimo para aposentados – de forma a afastar investimentos.
Por outro lado, o governo Dilma trabalha incansavelmente para mostrar aos investidores que fará a “lição de casa” – ou seja, o ajuste fiscal – e que adotará uma política mais receptiva à iniciativa privada.
A postura governamental de aposta no reequilíbrio das contas públicas e de facilitação da vida dos investidores tem grande possibilidade de funcionar, razão pela qual o grupo de Aécio Neves e Eduardo Cunha não quer esperar 2018 e busca derrubar Dilma já, antes que a economia se recupere.
Seja como for, uma coisa é certa: hoje, o PSDB em peso e setores do PMDB fazem oposição ao Brasil. Dependem, basicamente, de que o país não saia da crise para que possam vencer a eleição presidencial de 2018 ou até fazerem o impeachment vingar para realizarem nova eleição enquanto a economia estiver indo mal.
*
http://www.blogdacidadania.com.br/…/so-restou-ao-psdb-faze…/

***
***
***

Confira denúncia à polícia do fascista que ameaça matar petistas.

justiça

Na tarde de segunda-feira (13), este blogueiro, acompanhado de advogado, compareceu a delegacia de polícia para denunciar fanático antipetista que, no último dia 4 de julho, postou 14 comentários nesta página fazendo ameaças de violência contra o denunciante, além de ameaçar matar petistas e cometer violência sexual contra a presidente da República.
O boletim de ocorrência é o primeiro passo do processo de caça a criminoso que, além das ameaças, fez apologia ao nazismo.
Na quarta-feira (15/7), está marcada audiência em cartório de notas na qual será feita ata notarial para dar fé pública a reprodução das ameaças e apologias criminosas.
Na próxima semana, o escritório de advocacia contratado pelo Blog irá àquela delegacia oferecer representação pedindo instauração de inquérito criminal. A partir daí, caberá ao denunciante produzir as provas necessárias através da contratação de perícia.
Confira, abaixo, reprodução das ameaças e, em seguida, do boletim de ocorrência lavrado na data da publicação deste texto.
fascista


BOLETIM DE OCORRÊNCIA
bo 1

bo 2

Este é o primeiro passo de vários que serão dados por este Blog contra criminosos que vêm usando a internet para atentar não só contra a honra, mas, também, contra a integridade física de quem tem ideias políticas diferentes das suas.
Mais uma vez, o Blog da Cidadania exorta a todos os que forem vítimas desses tipos de crimes a não aceitarem tais atitudes. O que vem estimulando esse tipo de comportamento literalmente criminoso é justamente a passividade das vítimas.
Após esta publicação do primeiro passo do processo, os leitores que se manifestaram no sentido de apoiá-lo serão contatados via e-mail, conforme explicado em postagens anteriores.
Esta é uma medida inédita. Um coletivo de democratas e defensores do Estado de Direito e da liberdade de expressão do pensamento atuará conjuntamente para levar às barras da lei aqueles que agem por meios claramente fascistas para sufocar tais garantias individuais.
O Blog da Cidadania cumprimenta a todos os que decidiram participar da iniciativa de usar a lei em defesa da democracia.
*

Nenhum comentário: