CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

sábado, 8 de agosto de 2015

Ninguém vai tirar a legitimidade que o voto me deu, afirmou Dilma - Sob aplausos de milhares de pessoas em Boa Vista, Roraima, nesta sexta-feira (7), a presidenta Dilma Rousseff rebateu os intentos golpistas ao afirmar que as ameaças contra o seu governo e a democracia não a amedrontam e ressaltou que é preciso respeitar a decisão das urnas.

Dilma esteve na cerimônia de entrega de 747 unidades habitacionais em Boa Vista, Roraima, do programa Minha Casa Minha Vida
Dilma esteve na cerimônia de entrega de 747 unidades habitacionais em Boa Vista, Roraima, do programa Minha Casa Minha Vida.

“Esse país é uma democracia e uma democracia respeita, sobretudo, uma coisa: a eleição direta pelo voto popular. Eu respeito a democracia do meu país. Eu sei o que é viver numa ditadura. Por isso, eu respeito a democracia e o voto. E podem ter certeza: além de respeitar, eu honrarei o voto que me deram. A primeira característica de quem honra o voto que lhe deram é saber que ele é a fonte da legitimidade e ninguém vai tirar essa legitimidade que o voto me deu”, afirmou a presidenta.

"Sou uma pessoa que aguenta ameaças. Sobrevivi a grandes ameaças à minha própria vida”, salientou a presidenta durante discurso na cerimônia de entrega de um conjunto habitacional com 747 casas do programa Minha Casa, Minha Vida. O empreendimento beneficiou famílias da chamada faixa 1, com renda de até R$ 1.600,00, a camada com a menor renda do programa.

O coro “Olê, olê, olá, Dilma, Dilma!" interrompeu diversas vezes o discurso da presidenta. Sobre a economia, Dilma reafirmou seu compromisso com a retomada do desenvolvimento. “Me comprometo a contribuir e a me esforçar pela estabilidade. O país tem uma democracia e, por isso, devemos respeito entre os poderes, entre o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. E eu me disponho a trabalhar incansavelmente para assegurar a estabilidade política do nosso país”, declarou.

Dilma também rebateu o discurso da mídia de que o país vai quebrar. Ele salientou na economia vive uma travessia, mas que o país é “muito mais robusto” para enfrentar esse momento do que era em outros governos. Ela citou o volume das reservas cambiais, que ultrapassam os US$ 300 bilhões.

“É fato que o Brasil passa por dificuldades, mas é fato também que nós somos hoje um país muito mais robusto e muito mais forte. Pensem na família de vocês. Antes, o Brasil, quando havia qualquer problema, interno ou externo, tendia a ter dificuldade para pagar suas contas externas. Ou seja, não tinha dólar para pagar as contas. Hoje o nosso país tem mais de US$ 300 bilhões de reserva. Ou seja, nós não quebramos”, disse.

Dilma também destacou que o país deixou de ser um país com uma maioria de pobre, para se tornar um país majoritariamente de classe média, mas enfatizou que sabe que não é a condição ideal e, portanto, ainda há “muita coisa a se fazer”.

Casa para quem precisa

Os residenciais Pérola 6 e 7, localizados no bairro Dr. Airton Rocha, e Ajuricaba, em Nova Cidade, vão beneficiar 2.900 pessoas e custaram R$ 46,2 milhões. As obras foram finalizadas em 24 meses, segundo a Caixa Econômica Federal.

As casas entregues possuem 45 metros quadrados, divididos em dois quartos, sala, banheiro, cozinha, área de serviço e todos com piso cerâmico. As unidades são avaliadas em R$ 62 mil cada e devem ser quitadas em 10 anos. A média da parcela paga pelas famílias é de R$ 40.

Durante a entrega, Dilma falou sobre a terceira etapa do Minha Casa, Minha Vida, que deve ser lançada no próximo dia 10 de setembro, com a entrega de mais 3 milhões de imóveis.
“Quero dar a vocês uma boa notícia: vamos lançar o Minha Casa, Minha Vida 3. Vamos lançar no dia 10 de setembro. E eu quero dizer para vocês que nós fazemos questão de transformar o Minha Casa, Minha Vida em um programa ainda melhor”, disse Dilma.
 

Do Portal Vermelho, Dayane Santos, com informações de agências

Nenhum comentário: