CEZAR CANDUCHO

quarta-feira, 6 de julho de 2016

PTMG - Temer age como se tivesse poder absoluto, diz Lula à Der Spiegel.


Em entrevista à maior revista da Alemanha, o ex-presidente Lula criticou as atitudes do presidente golpista e afirmou: “Não tenho medo da prisão”
Em entrevista à revista alemã Der Spiegel“, publicada nesse sábado (2), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou sobre a crise política enfrentada pelo Brasil. O líder petista defendeu a presidenta eleita Dilma Rousseff e criticou o presidente golpista Michel Temer.
Ele voltou a falar em “vingança” ao ser questionado sobre o processo de impeachment em andamento contra Dilma. “O impeachment foi um ato de vingança do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, o qual não ajudamos quando foi acusado de corrupção.”
Lula reafirmou também que ainda não foi provado nenhum crime cometido pela presidenta eleita. “Essa coisa toda com o orçamento não passa de uma acusação barata. Quem está insatisfeito com o resultado das últimas eleições, deveria esperar pelas próximas”, afirmou. “Uma mudança abrupta não faz bem para o País.”
O ex-presidente acredita que as chances de o impeachment não ocorrer são grandes. Seria necessário conseguir o apoio de apenas mais seis senadores, disse. Além disso, diz Lula, “Temer cometeu muitos erros”.
“Temer parece acreditar que ficará no poder por 70 anos. Ele trocou o comando de todos os postos importantes, dos ministérios, do Banco Central, da Petrobras. É absurdo”, criticou Lula.
“Se a Dilma de fato voltar, vamos precisar de meio ano para contratar e dispensar gente de novo”, concluiu. A votação sobre o afastamento definitivo de Dilma está prevista para agosto.
Ele apontou uma “sociedade cada vez mais polarizada” e a desaceleração econômica como fatores que levaram ao processo de impeachment.
“Tudo isso se refletiu num parlamento que não apenas bloqueou todos os projetos de lei do nosso governo, mas que também espreitava uma oportunidade de expulsar o PT, depois de quase 14 anos, do poder”, disse. “Parece que a democracia incomoda uma parcela da sociedade”, afirmou, referindo-se às “elites conservadoras.”
Lula afirmou que a mídia, mais especificamente a TV Globo, o taxou de corrupto ao afirmar que ele possui dois imóveis, apesar de ele não ser o proprietário deles. “Eles querem me desmoralizar perante à opinião pública.”
“Um juiz investiga o senhor. O senhor não tem medo de ser preso?”, perguntou a “Der Spiegel”. “Não tenho medo da prisão”, respondeu Lula. “Preocupa-me muito mais o fato de, na nossa democracia, parecer ser possível se tornar uma vítima de mentiras desse tipo.”
“Não tenho medo da prisão. Preocupa-me muito mais o fato de, na nossa democracia, parecer ser possível se tornar uma vítima de mentiras desse tipo”
O ex-presidente afirmou que casos de corrupção estão vindo à tona graças ao PT, que estabeleceu as bases legais para isso nos últimos anos. “A crise é um sinal de que o Brasil avançou na luta conta a corrupção […] Um dia teremos orgulho do que está acontecendo no momento.”
A “Der Spiegel” também abordou a nomeação de Lula para o cargo de ministro-chefe da Casa Civil, em março deste ano, suspensa pela Justiça.
Lula explicou não ter feito nada de errado e destacou que já havia sido convidado por Dilma para assumir o cargo no ano passado. “Eu achava que não havia lugar para dois presidentes no Palácio do Planalto, e recusei”, disse.
Com uma piora da crise, seus aliados o teriam pressionado a tentar “afastar o impeachment”. “Eu não abandono uma companheira somente para salvar minha própria reputação”, afirmou.
Fonte Agência PT de Notícias, com informações do Deutsche Welle.
***
***
***
Jornada de Formação se encerra na região Norte e Vale do Aço.
No último sábado (2 de julho) aconteceu o encerramentos dos cursos da Jornada de Formação para pré-candidatos, que foi promovida pela Escola Nacional de Formação do PT e a Secretaria Estadual de Formação PTMG. Os encontros aconteceram nas cidades de Coronel Fabriciano e Montes Claros, onde reuniu cerca de 50 municípios e 250 participantes nas duas regiões.
A presidenta do diretório estadual Cida de Jesus, participou do evento de Coronel Fabriciano, junto do secretário de Assuntos Institucionais do PTMG, Carlos Eduardo Gleber Naime, conselheiro da Fundação Perseu Abramo; Chico Simões, ex-prefeito de Fabriciano; Rosangela Mendes, prefeita de Fabriciano; Zizinho, prefeito de Santana do Paraíso e Lyvia Prais, membro da executiva do PTMG.
A presidenta afirmou durante a abertura dos trabalhos, que esses cursos são de suma importância para o partido e principalmente para os pré-candidatos. “Esses cursos mostram a todos o nosso modo petista de governar e colabora para o pleito desse ano, como preparação de programa de governo, além da campanha direta que tiveram muitas modificações na legislação eleitoral”, disse.
Em Montes claros, tivemos a presença do deputado estadual Paulo Guedes, da secretária de formação do PTMG, Lilian Macena e do vice-presidente do PTMG, Alfredo Ramos.
A formadora da Escola Nacional de Formação, Jupira Cauhy, explicou que o curso trabalha dois grandes temas: os desafios que o PT vai enfrentar em 2016 e o modo petista de governar. “Damos orientações para preparação de campanha, preparação de programa de governo e com isso fazer com que tenham ferramentas para que possam sair daqui estruturando ou melhorando a estrutura de campanha”.
Sobre os encontros
Foram 10 cursos de formação, em 10 regiões diferentes do estado, que contou com a presença de mais de 350 cidades durante toda a jornada, voltados para preparação de pré-candidatos e demais envolvidos com o processo eleitoral. O objetivo é qualificar os concorrentes na defesa e afirmação do Projeto Estratégico do PT.
De acordo com a secretária de formação Lilian Macena, os encontros tiveram como intuito de ajudar e qualificar nossos pré-candidatos e tendo como uma das principais linhas de trabalho o modo petista de governar e também sobre a atuação parlamentar, além d apresentar como deve ser organizada uma campanha eleitoral da sigla.
A secretária disse ainda que o objetivo do curso não é um impacto de primeiro momento, mas que possa se tornar um processo de formação permanente. “O objetivo não é para um primeiro momento, mas para um processo permanente de formação em que a gente possa retornar aos núcleos de base, que a gente possa formar em todo o estado conselheiros que vão trabalhar a formação politica e resgatar as diretrizes do PT”, disse.
Ela ainda explicou que esse processo permanente foi iniciado agora, mas que durante as eleições de 2016 ele será colocado em prática para que em um próximo momento, com vitória dos nossos candidatos e candidatas possa retomar o processo de formação, para que ele seja permanente para todos os filiados e filiadas.
A secretária citou ainda o momento político que passamos no país, com um processo de golpe em curso, um ataque à democracia. “Visto estamos passando por um momento muito importante, estamos num processo da nossa história que é ímpar, um processo de golpe, um ataque à democracia. É de suma importância que o partido retorne a esse processo de formação politica, para que possamos estar preparados, todos os companheiros e companheiras para reverter esse quadro”, concluiu.
Assessoria de Comunicação PTMG
***
***
***

Nova lista com nomeação de 2.500 servidores da educação foi publicada neste sábado.
São 1.276 professores regentes de turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental, 340 Assistentes Técnicos de Educação Básica (ATB) e 884 professores regentes de aulas.
O Governo de Minas Gerais publicou no Diário Oficial deste sábado (2/7) uma nova lista com a nomeação de 2.500 servidores da educação aprovados em concursos públicos, todos eles para atuarem nas escolas estaduais. Deste total, 1.276 são professores regentes de turmas, que irão atuar nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 340 são para o cargo de Assistente Técnico de Educação Básica (ATB), em ambos os casos classificados do concurso de Edital 01/2011. Serão nomeados também 884 servidores para o cargo de professor regente de aulas, para todas as disciplinas dos anos finais do Ensino Fundamental e para o Ensino Médio, aprovados no concurso de Edital 04/2014.
Com essa nova publicação, o Governo do Estado terá atingido a marca de 15 mil nomeações para a Secretaria de Estado de Educação (SEE) em 2016 e um total  de 30.057 novos servidores, entre quadros técnicos e professores, desde o início da atual gestão.
“Agora, vamos dar posse aos recém-nomeados, processar as remoções do pessoal do magistério previstas para o mês de julho, publicar os ‘torna sem efeito’ para os nomeados que não entraram em exercício e fazer um balanço dos resultados obtidos”, afirma  o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos da SEE,  Antonio David de Sousa Junior.
Exames
Uma vez publicada a nomeação, o aprovado deve submeter-se a exame médico pré-admissional, a ser realizado pela Superintendência Central de Perícia Médica e Saúde Ocupacional (SCPMSO) da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), nas datas e horários informados no site da Seplag.
Fonte: Agência Minas
***
***
***
Milton Pomar: Combate à compra de votos e as eleições de 2016.
“A corrupção só será reduzida se houver combate feroz à sua base de funcionamento – a compra e venda de votos nas eleições municipais”
Está difícil saber a extensão e profundidade do atual curto-circuito nos meios empresarial e político do Brasil, resultado da divulgação prematura e propositalmente misturada de possíveis delitos envolvendo financiamento eleitoral, com a apropriação de recursos públicos em larga escala, por grandes grupos empresariais, parlamentares, integrantes de governos nos três níveis e empresários da mídia.
Esse curto-circuito será maior se as investigações na FIFA pegarem a CBF/Globo; se ficar comprovado o envolvimento de megaempresas em fraudes no CARF; se remessas ilegais de recursos, via Banestado, forem ressuscitadas e os envolvidos denunciados; e se vierem à luz nomes de brasileiros no “Panama Papers” e no HSBC na Suíça.
Verdade que a mixórdia de investigações, delações, traições, prisões, condenações, multas, acordos de leniência e execração pública de centenas de pessoas é produto do “modus operandi” político e agressivo da parcela do Estado (Judiciário, PF, MPF), que atua no combate à corrupção em íntima parceria com empresas que fazem propaganda disfarçada de jornalismo. Combate que está custando muito caro à economia nacional, em especial os setores de petróleo e gás e construção pesada: o desemprego mais que dobrou, caiu a arrecadação dos governos.
Verdade também que o combate à corrupção em tão grande escala deve-se ao PT no governo federal desde 2003, via nova legislação; ampliação, através de concurso, dos efetivos da PF, Receita Federal, COAF e CGU; de maiores recursos para estruturas e operações; e possibilitando inédita e histórica liberdade a esses órgãos federais para investigar, até não restar “pedra sobre pedra” no combate à corrupção.
E até acabar o estoque de pedras, faltam os magistrados e promotores que recebem valores maiores que o teto legal de salários; as “n” formas de corrupção das polícias civil e militar e dos presídios e abrigos para menores; os casos envolvendo militares das Forças Armadas (para estes, processos correm em segredo de justiça); os “cartolas” de futebol; os jornalistas que recebem “jabá”; médicos e outros profissionais envolvidos em fraudes contra o sistema público de saúde; e em muitas outras situações desonestas.
Milton Pomar
Os operadores policiais, jurídicos e midiáticos da atual cruzada contra a corrupção no Brasil começaram-na mirando nas relações entre empresários e representantes dos trabalhadores, por desconsiderarem tolamente quão corrupta e fraudulenta é a natureza do capitalismo.
Bateram de frente com a realidade nacional, anterior à época do Barão de Mauá, dos relacionamentos corruptos de empresários que fazem negócios com governos, políticos a serviço de empresários, e empresários que estão na política para fazer negócios – 80% do total, no Congresso, assembleias e câmaras municipais.
Quando não restar “pedra sobre pedra”, chegaremos ao curto-circuito total, econômico e político. Talvez fiquem apenas cinzas das instituições brasileiras; com certeza faltarão cadeias quatro e cinco estrelas e tornozeleiras de grife para os milhares de ricos, empresários e políticos envolvidos em negócios ilegais no universo de 5,5 mil prefeituras e respectivas câmaras de vereadores, 27 governos estaduais/assembleias legislativas, Governo Federal, Congresso, Judiciário, polícias, Forças Armadas, fundações, etc…
Quaisquer que sejam os desdobramentos desse verdadeiro caos que se avizinha, uma coisa é certa: a corrupção só será reduzida se houver combate feroz à sua base de funcionamento – a compra e venda de votos nas eleições municipais. Isso será possível através de campanha nacional, de julho a outubro de 2016, articulada pelos movimentos sindical e popular, entidades diversas, igrejas, universidades e institutos federais, forças armadas, polícias, judiciário etc.
Com investigações pela PF, para que sejam presos, julgados e condenados em todo o país compradores, vendedores e financiadores dessa prática criminosa.
Milton Pomar, 58, é profissional de marketing, geógrafo e mestrando em Estado e Políticas Públicas pela Fundação Perseu Abramo. Trabalha em campanhas eleitorais desde 1986.

Nenhum comentário: