CEZAR CANDUCHO

Minha foto
TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA., MG, Brazil

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

PTMG - Jovens e adultos que querem voltar a estudar encontram opções na Secretaria de Educação.


Oportunidades são oferecidas àqueles que desejam iniciar ou retomar os ensinos fundamental ou médio.
Em 2014, a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicava que, entre os jovens com idade entre 15 e 17 anos, 1.053.179 deveriam estar com o ensino médio em andamento. No entanto, 139.608 (13%) jovens estavam fora e 268.391 (cerca de 25%) continuavam no ensino fundamental. Isto em meio a um cenário já traçado pelo Censo Demográfico (IBGE), com dados de 2000 a 2010, de que 6,4% da população mineira (com idade entre 25 e 59 anos) eram analfabetos e, na faixa etária acima de 60 anos, o índice de analfabetismo alcançava a marca de 26,5%.
Situações como essas levaram a Secretaria de Estado de Educação (SEE) à adoção de novas ações e à criação de programas de incentivo ao acesso dessa população a modalidades de ensino que vão da alfabetização à formação no ensino médio.
Em 2015, por exemplo, a Campanha VEM (movimento Virada Educação Minas Gerais) surgiu com o objetivo de trazer de volta às salas de aula a juventude que, por algum motivo, deixou a escola ou não concluiu, no tempo previsto, os ensinos fundamental e médio.  Reformulações nos horários de funcionamento do ensino médio noturno e mudanças no conteúdo curricular contribuíram para novas matrículas e a redução da evasão desses alunos, tanto no ensino médio regular quanto na Educação de Jovens e Adultos (EJA).
Campanha VEM 2016.
A Campanha VEM 2016 foi lançada no dia 17 de setembro e permanece até 28 de outubro. O foco da ação é a discussão de metodologias e ações que estimulem os estudantes a voltar a estudar e contribuam para a sua permanência da escola.
Para os que querem voltar para a escola, a rede estadual de ensino oferece Educação de Jovens e Adultos (EJA)  presencial e semipresencial (quando o aluno estuda a distância e vai à escola em datas determinadas para tirar dúvidas e fazer exames).
Estão disponíveis também nos Centros Estaduais de Educação Continuada (Cesec) 48 Bancas Permanentes de Avaliação, contemplando as regiões do Centro, Vale do Aço, Zona da Mata, Norte, Sul e Triângulo Mineiro. Nelas, os interessados podem se inscrever e agendar as provas para certificação dos ensinos fundamental e médio.
Os candidatos devem se dirigir ao Cesec mais próximo com documento de identidade original e cópia. Para fazer a prova de certificação do ensino fundamental, o candidato deve ter idade mínima de 15 anos completos e para o ensino médio, 18 anos.
Como as inscrições são por disciplina, o candidato pode eliminar matérias exigidas para a certificação, nas quais obteve aprovação nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Bancas Itinerantes.
A partir deste ano, a Secretaria de Educação passsou a promover também bancas itinerantes do Cesec, facilitando o acesso à certificação em todo o estado. A primeira delas aconteceu em Lavras, em maio, iniciativa do Cesec Professor José de Oliveira Barbosa, de Campo Belo.
Outras bancas itinerantes vêm sendo realizadas pelo Cesec Doutor Tancredo de Almeida Neves, de Machado: em agosto, no município de Três Corações; entre 19 e 22 de setembro, em Varginha, e entre 3 e 6 de outubro, na cidade de Paraguaçu. Duas outras estão previstas, pelo Cesec de Machado, ainda para esse segundo semestre, com datas a serem confirmadas, em Alfenas e Três Pontas.
No processo de inscrição para as provas, as exigências são as mesmas das bancas permanentes. As quatro áreas de aplicação são de livre escolha do inscrito. As provas são divididas da seguinte forma: Linguagens (Português, Inglês, Artes, Educação Física e Redação); Ciências Humanas (Geografia, História, Sociologia e Filosofia – as duas últimas apenas para o Ensino Médio); e Ciências da Natureza (Ciências para o ensino fundamental; Química, Física e Biologia para o ensino médio).
Para ser aprovado, o participante dos exames especiais deve obter um aproveitamento mínimo de 50% em cada prova. O candidato que não alcançar o mínimo exigido para aprovação em uma ou mais áreas de conhecimento pode requerer novos exames em data a ser fixada pelo Cesec. As bancas são compostas por três professores, que são responsáveis por organizar as provas, aplicar e corrigir os exames, além de registrar os resultados.
Profissionalizante
Desde agosto, somadas às quatro escolas exclusivas já existentes, outras 103 unidades de ensino – aptas a atender demandas identificadas no plano de atendimento – já disponibilizam cursos profissionalizantes em 13 áreas (até dois por escola) nas 47 Superintendências Regionais de Ensino (SREs). Nelas, foram matriculados 14.257 alunos, que estão cursando ou já concluíram o ensino médio. 
São oferecidos cursos técnicos em Administração, Agente Comunitário de Saúde, Cooperativismo, Informática, informática para Internet, Logística, Marketing, Recursos Humanos, Secretaria Escolar, Secretariado, Serviços Públicos, Transações Imobiliárias, Enfermagem e Massoterapia.  A partir de outubro o curso de Enfermagem será incorporado ao cardápio de opções profissionalizantes.
Aceleração
Considerando a necessidade de reduzir as desigualdades educacionais e garantir o direito de todos à aprendizagem, a SEE atua para diminuir progressivamente as taxas de distorção idade/ano dos alunos maiores de 14 anos e menores de 18, da rede estadual de ensino. Para isso, foi implantado, este ano, o projeto “Elevação da Escolaridade Metodologia Telessala Minas Gerais”.
A iniciativa atende em torno de 12 mil estudantes da rede estadual, com dois anos ou mais de distorção idade/ano de escolaridade, em escolas de ensino fundamental. Também participam alunos do 6º e 7º anos que completaram 15 anos de idade até 30 de junho de 2016. Eles devem também saber ler e escrever.
Os estudantes que participam da iniciativa neste ano são das Superintendências Regionais de Ensino de Almenara, Araçuaí, Barbacena, Coronel Fabriciano, Divinópolis, Januária, Juiz de Fora, Governador Valadares, Montes Claros, Teófilo Otoni, Uberaba, Uberlândia e das Metropolitanas A, B e C.
O projeto é dividido em três módulos e cada um trabalha um eixo temático. No módulo I, os alunos estudam “O ser humano e sua expressão”, com foco nos componentes curriculares: Língua Portuguesa, Ciências e Educação Física. No módulo II, o eixo “O ser humano interagindo com o espaço” trabalha prioritariamente os componentes curriculares: Geografia, Matemática e Ensino Religioso. Já no módulo III é trabalhado eixo “O ser humano em ação e sua participação social” no qual são enfatizados os componentes curriculares: História, Língua Estrangeira Moderna Inglês e Arte.
A cada módulo, os componentes curriculares são abordados a partir de teleaulas que duram, em média, 15 minutos e são contextualizados seguindo atividades orais, escritas, de leitura e práticas, coletivas e individuais, adequadas às dúvidas surgidas em sala de aula.
Foto e fonte: Agência Minas

Nenhum comentário: