CEZAR CANDUCHO

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Dilma lança o Dialoga Brasil: Não se governa sem ouvir as pessoas - A presidenta Dilma Rousseff lançou nesta terça-feira (28) a plataforma “Dialoga Brasil - O país fica melhor quando você participa”, um fórum de participação digital que tem o objetivo de receber propostas da população para melhorar as ações e programas do governo federal.

Dilma e ministros participaram do lançamento da plataforma digital Dialoga Brasil
Dilma e ministros participaram do lançamento da plataforma digital Dialoga Brasil.

Numa cerimônia informal e diante de uma plateia composta por centenas de lideranças dos movimentos sociais que lotou o teatro Plinio Marcos da Funarte, em Brasília, a presidenta iniciou o discurso regatando o discurso da vitória, após a segundo turno das eleições, em que ela reafirmou o compromisso com o diálogo.

“Logo após a minha eleição disse a população que o meu primeiro compromisso seria o diálogo. Aprendemos ao longo do caminho que é muito difícil governar um país da dimensão do Brasil sem ouvir as pessoas. É muito difícil governar um país do tamanho do Brasil sem perceber que as grandes iniciativas que tivemos até agora, quase todas, vieram através da participação popular, de diálogos, de críticas, de comentários sobre a situação do país”, enfatizou Dilma.

Muita aplaudida pela plateia e andando livremente pelo palco, muitas vezes respondendo aos comentários de populares, Dilma acrescentou: “O governo precisa que vocês participem, precisa dos comentários, das sugestões e propostas. O Dialoga Brasil vai ser uma das melhores e mais democráticas formas de falar com a sociedade“.

Por meio do site – www.dialoga.gov.br – qualquer cidadão brasileiro poderá apresentar sugestões para 80 programas relacionados a 14 áreas de atuação do governo, como saúde, educação, cultura e segurança pública. A plataforma permite também que o internauta conheça os programas e possa "curtir" propostas de outros participantes.

Mais Médicos

A presidenta citou como exemplo da participação popular o programa Mais Médicos. “O programa começou porque havia uma grande reclamação da assistência básica de saúde. Sabíamos que o Brasil tinha um problema de atendimento nas pequenas cidades, mas também nas grandes capitais. Passamos a estudar, discutir e, sobretudo, ouvir as pessoas. Não foi um programa que saiu da cabeça mágica de alguns”, destacou.

“Se alguém não tinha escutado isso antes é porque não abriu os ouvidos. Ninguém que não tentou fazer sabe fazer melhor. É isso que o Dialoga Brasil é. Nós queremos melhorar e só dá para melhorar tendo essa parceria do governo federal com a sociedade”, pontuou a presidenta.

Completamente à vontade com a plateia, Dilma disse em tom de brincadeira: “Eu digo aos meus ministros que eu não quero saber somente o que está bom. Peço para eles não deixarem de me contar nunca o que está bom, mas eu quero saber também o que está ruim...Precisamos da crítica para monitorar e melhorar”.

Dilma ressaltou que o programa Minha Casa, Minha Vida também surgiu do debate com os movimentos sociais “para garantir que a nossa inclusão social não fosse somente pela renda, mas também pelas condições básicas da vida das pessoas”. Mas o principal exemplo de participação da sociedade no funcionamento do programa, segundo Dilma, foi o Bolsa Família. “O programa que mais passou por isso foi o Bolsa Família. A gente escutou o que tinha de ser mudado. Contratamos auditoria para ver onde estavam as falhas”, pontuou.

“Vamos lutar para que esse processo de diálogo crie vínculos nas suas sugestões, criando novos e melhores caminhos. É isso que queremos para o Brasil”, concluiu.

O site

O site permite ainda que os internautas participem de bate-papos virtuais com ministros e integrantes do governo. O primeiro ministro a participar será Arthur Chioro, da Saúde, num chat dia 6 de agosto. A partir de novembro o governo irá responder as três propostas mais apoiadas de cada programa.

Segundo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, afirmou que a plataforma representa uma inovação. “Temos um ambiente forte de participação nos conselhos setoriais, audiências públicas, onde são construídos os programas que modificam para melhorar o nosso país... Queremos ampliar espaços de participação e de diálogo. Queremos que todo cidadão brasileiro, do menor ao maior município possa ter um canal direto de participação com o governo”, afirmou.

Além de Rossetto, o lançamento contou com a participação dos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Arthur Chioro (Saúde), Tereza Campello (Desenvolvimento Social) e Renato Janine (Educação). “O Dialoga Brasil cai como uma luva, um estímulo a todos os brasileiros que não puderam participar das conferências de saúde e que não estarão em Brasília [para a conferência nacional] possam ajudar a definir os rumos para a saúde nos próximos quatro anos”.

Para participar do Dialoga Brasil, os internautas devem fazer um cadastro no site. Também podem utilizar suas contas pessoais no Facebook ou no Google.
 

Do Portal Vermelho, Dayane Santos, com informações da NBR

Nenhum comentário: