CEZAR CANDUCHO

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Gilmar, *temer e PSDB querem livrar Cunha da cadeia, concluir o golpe e limitar a Lava Jato como arma contra Lula e o PT.




Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Em depoimento ao juiz sonoramente vaiado em Nova York e de primeira instância, Sérgio Não Vem ao Caso Moro, o deputado cassado, Eduardo Cunha, um dos milhares de presos do sistema carcerário brasileiro, deu um inconfundível recado ao governo pária e golpista do presidente fantoche, *mi-shell temer, que é mais ou menos assim: "Ou vocês me soltam e deixam eu responder pelos meus crimes em liberdade, ou eu vou botar pra quebrar e entregar todo mundo, a começar por *temer, porque posso acusá-lo, e com provas, que ele comandava as nomeações na Petrobras".

As palavras de Eduardo Cunha soam como aviso ao tempo como ameaça. Evidentemente, o juiz Sérgio Moro e o procurador-geral, Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot não devem ter gostado de ouvir tais ilações em forma de ameaças, pois, seguramente, Moro, mais do que Janot, não quer ficar em uma sinuca de bico, já que passado mais de dois anos de Lava Jato só foram presos políticos do PT e uns poucos gatos pingados do PMDB e de outros partidos, a exemplo do PP.

Além disso, o jogo sujo dos operadores da Lava Jato ainda não conseguiu garantir que Lula não seja candidato nas eleições de 2018, sendo que o político trabalhista é o único do campo da esquerda que tem reais chances de vencer as eleições para presidente da República, e, por sua vez, acabar com a farra dos abutres que tratam o patrimônio público, a Constituição e os direitos civis como carniça. A eleição de um presidente legítimo é a única forma de uma País se tornar civilizado e buscar a união quando uma Nação está partida ao meio, como é o caso do Brasil.

Moro e seus pitboys da PF e do MPF sabem e compreendem que suas ações têm limites quando se trata de enfrentar a direita no poder, que ora se faz representada fortemente por intermédio de seus agentes políticos, que atuam e agem no STF e no Palácio do Planalto, sendo que agora estão mancomunados para estancar as investigações e as punições no âmbito da Lava jato, e, consequentemente, livrarem da cadeia e do impeachment o presidente golpista do PMDB, um dos sete principais chefes do golpe de terceiro mundo e de direita, que atende pelo vulgo de *mi-shell temer. Os outros são FHC, José Sarney, Aécio Neves, Eduardo Cunha, Rodrigo Janot e Sérgio Moro, com a participação incisiva, mentirosa e protofascista das Organizações(?) Globo, que mudou malandramente sua nomenclatura para "Grupo Globo".

O juiz (sic) Gilmar Mendes, do PSDB do MT (Mato Grosso) e do PMDB do *MT (*mi-shell temer), anunciou de forma altissonante que já está na hora de libertar os presos das masmorras da Lava Jato do Moro e do Dallagnol. Não que o juiz condestável e empresário se importe com os encarcerados. Gilmar é um estrategista da direita, e não foi à toa que ele se reuniu com o *temer e o Moreira Franco, com o *temer e Alexandre Lex Luthor de Moraes. Afinal, pensemos: os golpistas, na verdade, reuniram-se e conversaram para marcar posição, sem um mínimo de preocupação com que pense e deixe de pensar a sociedade brasileira sobre seus (maus) atos e ações.

Hipoteticamente, ficou acertado assim: Alexandre de Moraes como juiz do STF e Moreira Franco passa a ser ministro e, com efeito, a ser blindado com a impunidade, porque agora o Angorá, que não possui meia dúzia de votos em Niterói, só responde por seus crimes delatados pela Lava Jato, no âmbito do Supremo Tribunal Federal, onde Gilmar manda e desmanda, pisa e pisoteia, fala alto e grita, assim como influencia no jogo de xadrez da política brasileira, para que o golpe de estado travestido de legal e legítimo seja consolidado até 2018.

Todo esse processo, não se engane, é estudado e colocado em prática. A finalidade é garantir a proteção judicial dos implicados do PMDB, do PSDB e do DEM, na Lava Jato. As eleições de Rodrigo Maia (DEM/RJ) e Eunício Oliveira (PMDB/CE) como presidentes da Câmara e do Senado amparam e dão sustentação aos deputados e senadores dos partidos de direita golpistas, que formalizaram um pacto para derrubar Dilma Rousseff do poder, porque somente com sua deposição seria possível formar uma frente política e criminosa para limitar a Lava Jato às perseguições e punições contra os políticos e os aliados do PT.

A Lava Jato tem caráter persecutório, seletivo, parcial e, por seu turno, movimenta-se sempre no sentido de ser uma operação anti-Lula. É visível, e só não percebe e não enxerga quem não quer, por motivos de hipocrisia, cinismo, ideologia, partidarismo, injustiça, perversidade, preconceito, burrice e falso moralismo. No Brasil atual, trata-se do moralismo sem moral. Alexandre Lex Luthor de Moraes é o exemplo e a referência do que aconteceu no Brasil, a partir das manifestações de junho de 2013, quando os coxinhas vestidos com a camisa amarela da CBF corrupta exigiam que o Brasil oferecesse serviços de qualidade "padrão Fifa".

Isto mesmo, a Fifa corrupta tanto quanto o pato amarelo corrupto da Fiesp, que dava sombra, na Avenida Paulista, aos coxinhas de direita e sem discernimento sobre a história do País e de seus partidos, pois, irrefragavelmente, analfabetos políticos. Cooperaram para depor uma mandatária legítima, eleita legalmente e que não cometeu crimes de responsabilidade, bem como concordaram, arbitrariamente e despoticamente, que 54,5 milhões de cidadãos brasileiros tivessem seus votos invalidados e cassados por malfeitores, que tomaram de assalto o Palácio do Planalto.

Golpe à moda republiqueta bananeira e com o apoio, a conveniência e a cumplicidade do Judiciário, representado por juízes, procuradores, promotores e delegados, que, no decorrer desse processo vampiresco e covarde, mostraram e demonstraram que tinham partido, lado e cor ideológica. O lado do PSDB, do DEM e de seus aliados de golpe de estado contra os interesses e os sonhos de desenvolvimento econômico e justiça social dos trabalhadores, a camada mais nobre da sociedade brasileira.

Togados "ameganhados" que passaram a integrar a sedição contra o Governo democrático e trabalhista de Dilma Rousseff, o País, a Constituição e o Estado de Direito, sendo que esses indivíduos são servidores públicos e operadores do Direito. É o fim da picada. Um golpe bananeiro e terceiro-mundista rebaixou o Brasil a uma republiqueta de quinta categoria, ao ponto de o presidente golpista, *mi-shell temer, ser tratado por autoridades no exterior como um "macaquito" golpista, cucaracha e pária.

Trata-se de macaquitos usurpadores, que têm as caras e os focinhos desprezíveis e subdesenvolvidos da classe média coxinha reacionária e das oligarquias atrasadas e provincianas, que teimam em viver no século XIX, mas que não abrem mão de usufruir das tecnologias do século XXI e dos privilégios e benefícios que o Estado burguês e patrimonialista, assim como a luta de classes e suas hegemonias de poderes lhes proporcionam, por intermédio de uma estrutura social e econômica opressora, sectária, injusta e arcaica.   

A intenção primordial da escória de direita, entreguista e fundamentalista do mercado é fazer com que Lula, ainda neste ano de 2017, seja descartado da corrida eleitoral e o PSDB garanta que seu candidato vença e dê continuidade ao desmantelamento do estado nacional e imponha sua política econômica antissocial e ultraliberal, que se alicerça no neoliberalismo que afundou a Europa e os Estados Unidos, a partir de 2008.

O ultraliberalismo do PSDB e do PMDB, que retorna em 2016 por meio de um golpe de estado e que já tinha ferrado com o Brasil, quando o Governo de FHC — o Neoliberal Golpista I — foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado e com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes. E a Globo et caterva chamam os economistas, financistas e diplomatas de prateleiras de FHC e da Globo News (são os mesmos) de gênios. Durma-se com um barulho desses. Seria cômico se não fosse trágico, porque, no fundo, é uma tremenda e retumbante palhaçada sem a mínima graça.

A verdade é que Gilmar Mendes, no STF, está a segurar o touro pelo chifre e precisou, com o intuito de atender às demandas golpistas e usurpadoras, indicar o ministro da Justiça, o Lex Luthor, para juiz do STF. Amarra-se aqui, ali e acolá... Faz-se um giro de 360 graus e eis que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o mesmo que junto com os juízes sediciosos do STF permitiu que o ex-deputado, Eduardo Cunha, efetivasse o golpe contra a presidente legítima, Dilma Rousseff, reconhece que o golpe foi para estancar e limitar as ações e os atos da Lava Jato.

Todo esse processo político e judicial anda sozinho até chegar ao seu fim, a despeito de o Sérgio Moro, juiz de província e embriagado pelas luzes de ribalta da imprensa golpista e de negócios privados inconfessáveis, ser parte intrínseca da máquina jurídica e judiciária que se aliou aos interesses da burguesia e dos partidos políticos de direita que a representa, a exemplo do PSDB, do DEM, do PPS e do PMDB.

O problema é como, por exemplo, explicar por que o Moreira Angorá Franco se tornou ministro logo após seu nome ser delatado no âmbito da Odebrecht dezenas de vezes, bem como convencer os cidadãos intelectualmente independentes que a nomeação de Alexandre Lex Luthor de Moraes não é uma forma de limitar a Lava Jato ao PT e livrar da cadeia os corruptos e corruptores do PSDB, do DEM e do PMDB e, mais do que isto, blindar o golpista *mishell temer, de forma que seja assegurado a permanência do governante usurpador, ilegítimo e pária no poder até o ano eleitoral de 2018.

Os golpistas acreditam que a permanência deles no poder abre um leque de oportunidades matreiras e ilegítimas,  com chances, inclusive, de se tornar uma eleição indireta e, por sua vez, garantir o PSDB no poder, a realizar, enfim, sua política privatista e entreguista sem ser duramente questionado, bem como garantir aos ricos e muito ricos um governo dedicado, caninamente, aos seus interesses patrimonialistas e econômicos. Afinal, quem tem um pouquinho de massa encefálica e sensatez compreende muito bem que o Brasil e seu povo já vivem em um ditadura branca, pois disfarçada.

O PSDB no poder, tem de se entender esta questão, é a concretização de um processo para que haja um maior controle da Lava Jato. O PSDB e a imagem de seu espelho, o DEM, estão fortemente presentes no Poder Judiciário e no aparelhamento do Estado nacional. Diziam, a distorcer a verdade, que o PT aparelhava o Estado, mas a verdade é que o PT foi republicano e permitia que as categorias de juízes e procuradores escolhessem, em lista tríplices, os seus togados preferidos para assumir cargos de relevância em suas instituições.

O PT fortaleceu a PF, a liberá-la para agir sem ser controlada, fato este que também é uma faca de dois gumes. Foi o PT que criou a Controladoria Geral da União (CGU), que foi extinta, obviamente, pelo desgoverno de *temer, e o Portal da Transparência, além de nunca se interpor no que é relativo às ações da PGR/MPF. O resto é bravata, safadeza e mentira da direita brasileira, que, verdadeiramente e historicamente, sempre se locupletou do Estado nacional e dos estados da Federação para proveito próprio, inclusive a transferir seus patrimônios para a iniciativa privada, que, na verdade, sempre viveu do dinheiro público. O grande empresariado brasileiro gosta mesmo é de tetas estatais fartas, como comprovam seus benefícios e privilégios no decorrer da história do Brasil. Francamente!

Não haveria golpe sem a cumplicidade e o apoio criminoso do Judiciário. Por intermédio da influência do PSDB neste campo, o Judiciário (STF, PGR/MPF e PF) se torna cada vez mais parcial, seletivo, politizado e ideologizado. A resumir: o Judiciário se torna partidário e, consequentemente, o esteio de seus protegidos e aliados, como o são, sem sombra de dúvida, os políticos do PSDB, do DEM. do PPS e agora os do PMDB, que juntos formaram um consórcio de direita que implementou no Brasil seus projetos e programas, assim como seus interesses à força, doa a quem doer, inclusive as urnas onde o povo brasileiro depositou o voto soberano, porque, de acordo com a Constituição, o "Poder emana do povo e em seu nome deve ser exercido". Ponto!

A nomeação de Lex Luthor para juiz do Supremo faz da Corte instituição moralmente falida e diminuta. Tão minúscula como o condestável juiz Gilmar Mendes, que o nomeou em acordo com o golpista *mi-shell temer. Contudo, e para o desgosto do PMDB, do PSDB, da PGR e da Vara provinciana de Moro, que depois de ser vaiado em Nova York quer ouvir o Lula, apesar dos 27 depoimentos de delatores que eximiram o Lula de quaisquer cometimentos de crimes, o Eduardo Cunha existe, pois está vivo. Aliás, ele é muito vivo.

Pois bem, não é que essa gente togada, que recebe salários pornográficos, porque muito acima do que a Constituição permite, não sabe o que fazer com o Cunha que realizou depoimento para o Moro? É como uma pessoa ter de carregar um baú pesado e sem alça, ou seja, o sujeito fica cheio de mãos - uma verdadeira saia justa. Ontem, dia 8, e esta data é muito importante e a sociedade precisa ficar alerta, a defesa de Cunha entrou com um pedido de habeas corpus. Agora resta ao País esperar a decisão do STF.

Se o Supremo negar o HC, talvez Eduardo Cunha, um dos "pais" do golpe de estado de 2016, resolva abrir o bico, porque ele disse ao juiz Moro, do PSDB do Paraná e que, certamente, deve ter detestado ouvir o Cunha esclarecer que o *mi-shell temer era o principal responsável pelas nomeações de diretores na Petrobras e não o Lula e a Dilma, para o seu desgosto de juiz de primeira instância, o Brasil poderá, até que enfim, saber realmente até onde o Judiciário protegeu e blindou os corruptos e os corruptores do PSDB e de todos os partidos que assaltaram o Palácio do Planalto para não serem presos.

Houve um pacto conspiratório entre criminosos, e o Moro vai ter de se virar para que a Lava Jato não se transforme uma pantomima de si mesmo, a ser vergonhosamente desmoralizada pelos políticos que foram protegidos pelos meganhas da PF e os togados do MPF/PGR , do STF e, evidentemente, pelo juiz Moro e seus "dallangnois" do PowerPoint, além dos delegados cruzados aecistas.

Creio, inclusive, que a mulher e a filha do Eduardo Cunha ainda não foram presas para que a republiqueta bananeira e cucaracha, dominada por golpistas e quadrilheiros heróis dos coxinhas paneleiros de barrigas cheias não exploda de vez. O reconhecimento do PGR Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot de que a nomeação de Alexandre Lex Luthor de Moraes para juiz do STF tem a finalidade de controlar e limitar a Lava Jato significa a desmoralização do Judiciário. Este fato é emblemático.

Porém, daqui a alguns anos, quando terminar a crise política estabelecida propositalmente no Brasil a partir de Aécio Neves (PSDB), que não aceitou sua derrota eleitoral para Dilma Rousseff, o Judiciário vai ter de passar por uma profunda reforma, porque não é mais possível tolerar que togados de classe média concursados se comportem como príncipes e se aproveitem do poder e de seus cargos para intervir na política e se beneficiar com salários altíssimos e mordomias de toda monta pagas pelo dinheiro público dos contribuintes.  

A direita, a verdadeira direita, a dona do sistema de capitais e da casa grande não é brincadeira. A alta burguesia tupiniquim aliada da plutocracia internacional está a ensinar ou a dar uma lição a esses servidores públicos do Judiciário sobre quem de fato manda, a despeito de procuradores, delegados e juízes terem poder para investigar, denunciar, julgar e, se for o caso, prender criminosos como punição.  

Entretanto e apesar das mil jogadas que envolvem a luta pelo poder no Brasil de hoje, a grande questão da direita partidária, judicial e judiciária é o que fazer com o Lula politicamente e juridicamente. A Lava Jato é destinada para o Lula e não para o Aécio Neves, o Fernando Henrique, o Geraldo Alckmin, o José Serra, o *mi-shell temer e sua trupe de ministros que caiu a conspirar contra a Lava Jato, que vai ficar lenta, além dos ministros que estão ainda no poder por um fio.

Não esqueça, no Brasil os tucanos são i-nim-pu-tá-veis e todo mundo é tratado como burro e idiota, mesmo se você não se considerar idiota e burro. É desta forma que a imprensa corrupta e golpista te trata, mas a verdade é que é o cidadão politizado que ouve, vê e lê a notícia e, por intermédio dela, cria sua opinião, até porque a realidade é que opinião publicada não é opinião pública, como pensam, soberbamente e ridiculamente, os comentaristas, editorialistas e colunistas da imprensa burguesa e de mercado.       

As longas prisões preventivas do tucano Moro podem estar com os dias contados, porque na verdade são ilegais. Gilmar Mendes, da Segunda Turma do STF, quer, com o apoio dos juízes Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, dar fim a esse processo kafkiano e, com efeito, relaxar as prisões após 60 dias.

Se acontecer a soltura dos presos, notabiliza-se como um soco no estômago de Sérgio Moro e sua galera fundamentalista da seletiva e persecutória Lava Jato, quando se trata do PT e somente do PT. Para o Moro, ficará apenas a perseguição canina a Lula, à sua família e ao PT e suas lideranças. A ONU está de olho... Isto pode. Isto o STF deixará acontecer, porque integrante do consórcio de direita que golpeou a democracia brasileira.

Porém, o problema é que o Lula não consta nas listas de delações, pelo simples fato que o político trabalhista e de esquerda não roubou e governou com sucesso e republicanismo. O pecado de Lula foi ter sido presidente, um dos melhores do Brasil em todos os tempos, pois o outro foi o estadista Getúlio Vargas. Este é o maior crime do Lula: ter sido presidente do Brasil, mesmo a olhar para o seu passado de retirante nordestino e operário de fábrica. 

O PSDB, o DEM, o PMDB e o STF não são fáceis. A verdadeira direita com bico e plumagem de tucano. A verdadeira proprietária da casa grande udenista. Não é mesmo, PGR Rodrigo Janot? É isso aí.

*mi-shell temer - o nome de tal peçonha é sempre escrito em minúsculo, por se tratar de um pigmeu moral, político, citadino e golpista.

*mi-shell temer, além de ter seu nome sempre escrito em minúsculo, a partir de agora terá seu primeiro nome escrito com as letras m-i-s-h-e-l-l. Portanto, o nome de tal desditosa peçonha passa a ser escrito no Palavra Livre como *mi-shell temer. PS: sempre em minúsculo.

*mi-shell é também conhecido pelo vulgo Amigo da Onça — o Usurpador Traidor.


*Golpista é palavra sinônima de *mi-shell temer.

Nenhum comentário: